MENU

20 de abril de 2013 - 23:10American Le Mans Series

Tri da Muscle Milk em Long Beach

MS13-2131-LB-ALMS

RIO DE JANEIRO - Na última corrida da American Le Mans Series no circuito urbano de Long Beach, pois, como todo mundo sabe, a série se une à Grand-Am em 2014 (e não sabemos se este evento permanecerá no calendário), a Muscle Milk Pickett Racing emplacou a terceira vitória consecutiva na Califórnia. Graças à estratégia, Klaus Graf/Lucas Luhr derrotaram o favorito Lola Toyota da Rebellion Racing guiado por Nick Heidfeld/Neel Jani, com vantagem superior a 30 segundos.

A corrida começou bastante atribulada, com três bandeiras amarelas num período em que as disputas ficaram ‘encavaladas’, sem que a corrida pegasse de fato no breu. Num dos incidentes, o Lola #16 da Dyson Racing guiado por Chris Dyson encontrou o muro e saiu da pista com danos irreversíveis na suspensão. Toques, rodadas e um trecho da pista crivado de óleo também provocaram as intervenções do Safety Car.

Nesta corrida, os pilotos das classes LMP1 e LMGT podiam ficar um mínimo de 15 minutos na pista, enquanto nas demais categorias o tempo limite de guiada era de até 40 minutos. A Muscle Milk usou de esperteza: chamou Lucas Luhr para o pit stop assim que foi possível e a Rebellion, ainda “crua” com os meandros do regulamento da American Le Mans Series, manteve Neel Jani no #12 até mais ou menos 50 minutos de disputa. Durante uma amarela longa, enquanto a Muscle Milk reabastecia o HPD e mantinha Klaus Graf a bordo, a equipe helvética fez o serviço completo.

Mesmo com uma parada a mais e 48 segundos perdidos nos boxes em,relação aos rivais do Lola preto e vermelho, Graf manteve o ritmo e fez o serviço na pista, conquistando uma vitória merecida. Antes da bandeirada, Neel Jani já reconhecia a derrota. “Perdemos a liderança por inexperiência total com a categoria”, disse.

MS13-1970-LB-ALMS

As variações de estratégia na corrida chegaram a criar situações inusitadas: em determinado momento, o SRT Viper de Dominik Farnbacher/Marc Goossens ficou na liderança geral e também o Oreca LMPC de Colin Braun/Jonathan Bennett comandou o pelotão à frente dos  demais adversários. Aliás, louve-se o trabalho da dupla da CORE Autosport, que venceu na classe dos protótipos com motor Chevrolet chegando em 3º na geral, uma volta atrás dos vencedores.

Luis “Chapulín” Diaz voltou bem e em forma: foi 2º colocado na divisão em dupla com Michael Guasch no #52 da PR1/Mathiasen Motorsports. E Bruno Junqueira, após a pilotagem de Duncan Ende, assumiu o #9 da RSR Racing e salvou um pódio, com o quinto posto na classificação geral.

MS13-2215-LB-ALMS

Os LMP2 é que ficaram devendo nesta corrida atípica. Mesmo assim, a Extreme Speed Motorsports deu o troco na Level 5, absoluta nas 12 Horas de Sebring. Apesar da 6ª posição geral, Scott Sharp e Guy Cosmo ganharam na segunda divisão dos protótipos, enquanto Johannes Van Overbeek e Ed Brown completaram a dobradinha. Já a equipe de Scott Tucker sai das ruas de Long Beach com um saldo pouco positivo: o #551 que o patrão da equipe dividiu com Ryan Briscoe teve problemas e ficou muito atrasado e o #552, partilhado com Marino Franchitti, foi atrasado primeiro por uma rodada provocada por outro carro e depois por um acidente infantil sofrido por Scott Tucker – que andou nos dois carros, aliás.

MS13-1828-LB-ALMS

A classe LMGT foi, como de hábito, a mais animada e agitada. E mesmo com uma escapada de pista no início, a BMW Z4 GTE de Maxime Martin/Bill Auberlen conquistou uma comemorada dobradinha com o carro de Joey Hand/Dirk Müller a superar o SRT Viper pole position de Dominik Farnbacher/Marc Goossens na penúltima volta. “Inacreditável!”, disse Bill Auberlen. “Nosso carro voava no fim da disputa. A equipe foi fantástica nos pit stops e os pneus funcionaram muito bem do começo ao fim. É muito bom correr e ganhar em casa”, disse o piloto nascido em Redondo Beach, lá mesmo na Califórnia.

MS13-1799-LB-ALMS

Apesar da perda da vitória, a SRT Motorsports não tem do que se queixar. Foi pole e subiu ao pódio na divisão, um resultado bastante positivo para uma escuderia que tem menos de um ano de atividade na LMGT. Os Corvette chegaram em quarto e quinto, com Oliver Gavin/Tommy Milner à frente de Jan Magnussen/Antonio Garcia. Largando do fim do pelotão, o Porsche de Bryce Miller/Wolf Henzler faturou a 6ª posição na divisão.

MS13-1616-LB-ALMS

Entre os Porsche 911 (997) GT3 Cup da LMGTC, a NGT Motorsports levou a melhor graças a uma performance muito boa de Sean Edwards a bordo do carro #30 patrocinado pela Momo, levando o triunfo com dois segundos de vantagem para o #45 de Spencer Pumpelly/Nelson Canache, da Flying Lizard. O time de Seth Neiman ainda viu o #44 de Dion Von Moltke/Brian Wong com o último lugar no pódio, à frente do #22 da Alex Job guiado por Jeroen Bleekemolen/Cooper MacNeil e o #68 da TRG, com Bret Curtis e Craig Stanton a bordo. O ator Patrick Dempsey, em dupla com Joe Foster, chegou em 6º na categoria e vigésimo-sexto na geral.

A próxima prova da American Le Mans Series é no dia 11 de maio, no Mazda Raceway, em Laguna Seca, também na Califórnia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>