MENU

11 de maio de 2013 - 10:27Fórmula 1, Temporada 2013

Mercedes faz 1-2 em Barcelona

d13mal25791-640x427

RIO DE JANEIRO - Ainda tem quem se surpreenda. Mas a Fórmula 1 é assim. Cheia de franco-atiradores falando o que querem. Só que a Mercedes não é mais surpresa – pelo menos em ritmo de qualificação. Os carros prateados voltam a monopolizar uma primeira fila após um hiato de 58 anos. Em Monza, no GP da Itália de 1955, quando largavam três (às vezes quatro) carros na linha de frente, Juan Manuel Fangio, Stirling Moss e Karl Kling fizeram o 1-2-3 dos W196, as legítimas Flechas de Prata.

Tá: antes que alguém se apresse e venha aqui me corrigir e dizer que estou errado, no ano passado Rosberg e Schumacher largaram da primeira fila no GP da China. Só que Hamilton, o segundo mais rápido, foi punido. Em termos de desempenho puro, na pista, não é para mim uma primeira fila de direito e fato. Hoje, foi a vez de Nico Rosberg e Lewis Hamilton fazerem as honras da casa de Stuttgart.

O filho do campeão mundial de Fórmula 1 Keke Rosberg larga pela segunda vez consecutiva na frente de todo mundo e, desta feita, com uma volta incontestável – 1’20″718, quebrando os cronômetros e a banca. Lewis Hamilton também virou abaixo de 1’21″ e se garantiu em segundo. Reza a lenda que em 90% dos casos, ou mais, quem larga na pole ou na primeira fila vence o GP da Espanha, normalmente um dos mais soporíferos e chatos do ano. Mas pode ser que isto não aconteça. A Mercedes tem uma característica – em corrida – oposta à da qualificação. O carro não costuma ser tão “amigo” dos pneus.

E é aí que aponto o meu favorito para amanhã: Kimi Räikkönen. E explico o porquê.

O finlandês, embora não largue do lado limpo, está em ótima posição para poder chegar à frente de todo mundo – claro, se o carro não der chabu. O Lotus E21, este sim, trata melhor os pneus Pirelli, mais até do que os outros bólidos dos times de ponta. E mesmo com a saída do diretor técnico James Allison da casa de Enstone (e cujos préstimos, aliás, já estariam na mira de McLaren, Ferrari e até da própria Mercedes), o carro continua competitivo.

Ah, mas Kimi ficou a quatro décimos de Rosberg? Não importa. Olhem a folha de tempos e vejam a diferença entre ele e Sebastian Vettel, por exemplo.

A Ferrari ficou com a terceira fila inteira. Alonso não teve hipóteses de discutir a pole, mesmo usando os pneus médios assim como a Mercedes, conservando o máximo possível os macios para a corrida, e superou Massa por apenas um milésimo de segundo. Extra-oficialmente, o brasileiro sai em 6º, mas ele deve ser investigado por bloquear indevidamente a Red Bull de Mark Webber no fim de uma tentativa de volta rápida do australiano no Q2.

O “canguru” ficou em 8º no Q3, atrás também de Romain Grosjean, com Sergio Perez e Paul Di Resta completando a quinta fila. Escandalosa a diferença entre o mexicano e Jenson Button, que foi apenas 14º e ficou de mimimi no rádio reclamando de uma manobra indevida de Pastor Maldonado. O britânico deveria era reclamar com os engenheiros da equipe McLaren, que lhe deram talvez o pior carro que guiou desde os horrorosos modelos da Honda em 2007 e 2008.

Ruins também são as prestações de Sauber e Williams, com diferenças gritantes de desempenho em relação ao ano passado. Provavelmente, Hülkenberg deve estar com aquela dorzinha na consciência por ter trocado de escuderia e, por seu turno, Pastor Maldonado não sabe mais o que falar. Afinal, de uma primeira fila – com vitória – ano passado, o venezuelano despencou para 18º no treino de hoje. Num intervalo de um ano, vejam como as coisas mudam na Fórmula 1, ora para melhor, ora para pior. “O que temos feito não é suficiente para andar entre os 10 primeiros”, admite Pastor. Pelo menos ele é sincero.

Na turma do fundão, a única mudança foi Hiedo (escrevo assim porque os holandeses pronunciam seu nome como se Giedo fosse Hiedo) à frente de Jules Bianchi e Max Chilton, desta vez, não larga em último, duvidoso privilégio que caberá a Charles Pic.

Mas por enquanto. Até porque não só o entrevero Massa-Webber está sob investigação. Gutiérrez e Maldonado também bloquearam outros pilotos e poderão ser punidos ainda. A ver.

Atualizando às 12h14 Felipe Massa foi mesmo punido pelo bloqueio a Mark Webber no Q2. O brasileiro perde três posições no grid: cai de 6º para nono. Sergio Pérez fica com a melhor posição de largada desde sua estreia na McLaren.

Atualizando às 12h38 Mais uma punição anunciada: e foi para Estebán Gutiérrez. O vídeo da manobra do mexicano da Sauber, bloqueando a passagem de Kimi Räikkönen, também foi analisado e o piloto do carro #12 também foi punido. Perde três posições no grid e cai para 19º, entre Van Der Garde e Bianchi.

7 comentários

  1. Adelermo Ledesma disse:

    Não é a primeira vez que a Mercedes monopoliza a primeira fila desde 55. Em 2012, Rosberg e Schumacher formaram a primeira fila do GP da China.

  2. Racing Fan disse:

    O diretor da Lotus não seria James Allison e o novo diretor não seria Nick Chester? Ou será um clone dos dois o tal Nick Allison.?

  3. Racing Fan disse:

    A meu ver o suposto sucesso de Raikonnen nesta temporada está muito mais no consumo de combustível do Lotus do que na gestão dos pneus. Em algumas pistas Raikonnen, principalmente, por ter tido passagens por categorias onde a gestão dos consumos é fundamental, aprendeu a gerir melhor que os outros o consumo no carro de F1 também e isso tem permitido, minha opinião, que o finlandês largue com talvez menos 10kg de peso no carro em pistas onde o consumo é elevado. A pista com mais consumo este ano foi a do GP da Australia onde Raikonnen venceu o que pode indicar que o que eu acho esteja correto. Assim sendo a pista de Barcelona não permitiria a Raikonnen a mesma jogada. Além disso há o fato de que a pista de Barcelona exigir uma configuração com elevado downforce e o desgaste dos pneus seria maior. Com menos uma parada Raikonnen aqui vai se arrastar em pista. O mais provável é que Raikonnen siga a tendência geral assim como fez Grosjean no Bahrain. A pista também é mais curta o que é uma faca de dois gumes no que toca a uma parada a menos por que o DRS nesta pista tem uma maior influência nos tempos por volta. Eventualmente um lider sem pneus frescos levaria mais tempo a chegar aos retardatários, levaria mais tempo a passá-los e seria alcançado ainda mais rapidamente e ai ficaria logo a mercê dos ataques de quem vem de trás com DRS. Raikonnen não deve ter muitas chances nesta corrida.

  4. Alisson disse:

    Fico impressionado com a coragem do Hamilton, quem diria que ele estaria andando muito à frente da Mclaren. Até então a mudança de equipe foi a escolha mais acertada. Pena o carro ainda consumir demais os pneu, e meu palpite é de Vettel, Kimi e Alonso no pódio.

  5. luiz alberto disse:

    Providencial a punição ao Mepassa ,assim ele não tem a probalidade de acidentalmente chegar na primeira curva na frente del Chiliquento de las Asturias,coisa que o deixaria muito constrangido com certeza!
    Nota: Vendo neste momento a chamada para o GP da Espanha,apareceu o novo comentarista da RGT,e da forma como foi posicionado no video,ficou com um “jeitão! de João Sorrisão aquele boneco João Bobo usado no programa de esporte para encher linguiça,na falta de matéria de alguma relevância.A maior diferença é que a cor do boneco é mais para o verde e o novo apresentador esta de laranja e falando-(Hi como gosta di furá hu zóio di um outro profissiná prá fica nu lugá)

  6. Renato de M. Machado disse:

    Falta só um ritimo de corrida consistente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>