MENU

13 de agosto de 2013 - 12:37Fórmula 1, Instantâneos, Memorabilia

Anjo da guarda

1006310_10152180976329782_72524248_nRIO DE JANEIRO - GP da Espanha, Parc Montjuich, 4 de maio de 1969. Naquela oportunidade, o austríaco Jochen Rindt liderava a corrida com sua Lotus 49 até a 20ª volta quando perdeu o aerofólio traseiro de seu carro, montado a quase dois metros do chão, a uma velocidade superior a 200 km/h. Como resultado, o piloto se feriu e teve uma fratura no nariz.

Preso às ferragens contorcidas do Lotus, Rindt é logo socorrido pelo piloto que foi o grande anjo da guarda de seu tempo: Graham Hill, sempre presente nos momentos de maior gravidade. O bicampeão do mundo tinha abandonado na 9ª volta, também por acidente ocasionado pela perda do aerofólio traseiro – contudo sem se ferir gravemente – e de pronto ajudou o colega de time para que Rindt saísse dos destroços com segurança.

Na corrida seguinte, em Mônaco, Rindt foi substituído por Dick Attwood e a CSI, que fazia as regras técnicas da Fórmula 1, vetou o uso dos aerofólios em Monte-Carlo. Os aparatos aerodinâmicos foram reduzidos e reposicionados, mais próximos do trem traseiro dos carros, voltando a ser utilizados no GP da Holanda, em 21 de junho, no circuito de Zandvoort.

 

3 comentários

  1. geraldo101 disse:

    Que fratura feia!

  2. Zé Maria disse:

    Rindt chocou-se exatamente com o carro avariado de Hill. . .suprema ironia.
    Depois, via imprensa especializada, literalmente detonou Colin Chapman, dizendo que as Lotus eram verdadeiras cadeiras-elétricas no quesito segurança.
    Após esse episódio, o relacionamento de ambos foi sempre tenso, mesmo durante a temporada de 70 que consagraria o austríaco, mesmo que post-mortem.
    Zé Maria

  3. Antonio Seabra disse:

    Rindt foi um dos pilotos mais rapidos de seu tempo, talvez um dos mais rapidos de todos os tempos. Esse acidente pesou conta a Lotus, pois a estrutura daqueles aerofólios altos era finissima, e, por consequencia, muito fragil.
    Esse acidente poderia ter tido consequências bem mais serias, tanto para Hill quanto para Rindt, ainda mais considerando que Montjuich era praticamente um circuito de rua, localizado dentro de um parque.
    Me lembrava bem dessa foto, que ficou muito conehcida na epoca. Mas não a via a muito tempo, valeu por traze-la de volta, Rodrigo
    Quanto a fratura do nariz, Rindt já tinha o nariz meio achatado, senão, poderia ter sido ainda pior, rs,rs,rs

    Antonio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>