MENU

14 de agosto de 2013 - 11:38Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (115)

5792RIO DE JANEIRO - Dia 14 de agosto de 1977. Naquela data, no GP da Áustria, disputado em Zeltweg, o australiano Alan Jones foi o protagonista de uma das maiores zebras da história da Fórmula 1. Ao volante do Shadow DN8 da foto, o piloto, então com 30 anos, venceu a 12ª etapa do campeonato daquele ano, desbancando os favoritos James Hunt, Niki Lauda, Mario Andretti e Jody Scheckter.

Para começar, a posição de Jones não era nada favorável no grid. Ele largou da sétima fila, com o 14º tempo. Naquela oportunidade, seu companheiro de time era o italiano Arturo Merzario, substituindo Riccardo Patrese, que tinha um compromisso numa corrida de Fórmula 2.

A corrida começou com pista molhada, porém já secando quando os pilotos deram a largada – a grande maioria deles com slicks. Mario Andretti liderou no início e Jones teve um início tímido, em contraste com Arturo Merzario, que largou com pneus de chuva e chegou ao sexto lugar, vindo de 21º no grid, em seis voltas. Entretanto, o fôlego do italiano acabou com o desgaste excessivo dos pneus biscoito numa pista que já estava totalmente seca e Merzario foi aos boxes para mudar os pneus.

Na altura da 11ª volta, Jones era o quinto, avançando progressivamente na classificação, enquanto Andretti perdia rendimento para abandonar logo depois, com quebra de motor em sua Lotus 78. James Hunt assumiu a ponta, seguido por Jody Scheckter, da Wolf e por Hans-Joachim Stuck, da Brabham.

Possuído, Jones superou Stuck e na 16ª passagem, assumiu uma incrível vice-liderança, suplantando também a Scheckter. Após isto, o australiano se instalou confortavelmente na segunda posição, com Gunnar Nilsson e depois Niki Lauda superando Scheckter para se revezarem em 3º lugar.

A liderança de Hunt durou até a 44ª volta, quando sem nenhum aviso prévio, o motor do McLaren M26 do campeão mundial de Fórmula 1 explodiu. Jones se viu com a liderança no colo e Scheckter, que voltara ao terceiro posto, levou uma fechada do retardatário Patrick Neve e bateu.

77_aut14

Jones conquistou a primeira – e única – vitória da história da Shadow, com 20 segundos de vantagem para Niki Lauda. Hans-Joachim Stuck foi ao pódio com a Brabham BT45 Alfa Romeo que fora de José Carlos Pace, o saudoso “Moco”. Carlos Reutemann chegou em quarto, Ronnie Peterson em quinto (na Tyrrell de seis rodas) e Jochen Mass, com o outro McLaren, foi o sexto.

Há 36 anos, direto do túnel do tempo.

8 comentários

  1. Gustavo Oliveira disse:

    Que coisa linda essa segunda foto!

  2. Wagner Ponce disse:

    Ótimo texto Mattar… Seu blog já rende alguns livros com essas histórias!

  3. Franco disse:

    A McLaren já não havia abandonado o modelo M23 em 77?

  4. Leonardo disse:

    Aqui está um vídeo dessa corrida.

    http://www.youtube.com/watch?v=dOURhfjgJ28

  5. Juanh disse:

    Uno de los días más felices de mi vida: “mi” team, Shadow, ganaba su primer, y a la postre único, GP de F1.
    Lloré de alegría.
    Abrazos!

  6. michel78 disse:

    Esse era uma vaca louca e jogava duro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>