MENU

24 de maio de 2014 - 15:18Fórmula 1, Temporada 2014

Domínio e uma pitada de polêmica

4480120140524183528

RIO DE JANEIRO - Seis provas do Mundial de Fórmula 1. Seis pole positions para a Mercedes-Benz. E desta vez foi Nico Rosberg quem desequilibrou a seu favor e ficou com a posição de honra. É a segunda vez consecutiva que o alemão larga na pole em Monte-Carlo, suplantando a marca de cinco poles do pai Keke Rosberg em toda a carreira.

4480020140524182212

E não faltou uma pitadinha de polêmica, porque Lewis Hamilton teria achado que o companheiro de equipe provocou, de propósito, a bandeira amarela que prejudicou sua última volta rápida no Q3. É fato que Rosberg saiu reto na freada da curva Mirabeau e houve a sinalização. Os comissários fizeram vista grossa e não puniram Nico. Hamilton, nas fotos e na entrevista coletiva, amarrou uma tromba pra ninguém botar defeito. Em entrevista aos compatriotas da rádio BBC, Lewis teria dito que se “comportou como Senna em relação a Prost”, em relação a Rosberg. Mas, honestamente, nunca lembro do Senna fazer mimimi em coletivas contra o francês e sim o oposto.

Bem, voltemos ao que aconteceu na pista. O domínio da Mercedes foi coadjuvado pela Red Bull, que forma a segunda fila – e com Daniel Ricciardo de novo pondo mais uma pulga atrás da orelha de Sebastian Vettel. À Ferrari coube a terceira fila, com Fernando Alonso tirando o máximo do carro e Kimi Räikkönen muito mais lento que o companheiro de equipe em sexto. E pode ser, aliás, o último GP de Mônaco do espanhol pela equipe italiana.

Eu explico o porque: embora Luca di Montezemolo e toda a equipe tenham se derramado em elogios publicados à vontade pela imprensa internacional, é sabido que o piloto não se sente confortável pelo fato de Maranello nunca lhe ter oferecido um carro dentro de suas pretensões – ser campeão mundial, evidentemente. Por seu turno, Ron Dennis diz claramente que o episódio de 2007, quando Fernando foi seu piloto por uma única temporada e a equipe vivia um ambiente turbulento pela relação inexistente entre ele e Hamilton, “está superado”. Não custa lembrar que em 2015 vêm os motores Honda, Jenson Button parece na curva descendente da parábola, cada vez mais disposto a trocar a Fórmula 1 por qualquer outro campeonato ou mesmo pela aposentadoria e tudo o que a parceria McLaren-Honda precisa é um piloto de peso. E Alonso é, ainda, um piloto de peso.

Por falar em McLaren, o novato Kevin Magnussen conseguiu um belo 8º posto, não menos surpreendente quanto a nona posição do russo Daniil Kvyat no grid. O piloto da Toro Rosso chegou a danificar seu carro numa rodada e posterior batida no início do Q1. Mas o carro não sofreu grandes avarias e o garoto fez um ótimo treino. Jean-Éric Vergne provou também que o carro do time sediado em Faenza vai bem no Principado: acabou em sétimo.

No Q2, foram nocauteados bons nomes como os de Nico Hülkenberg, Jenson Button, Romain Grosjean e Felipe Massa. O brasileiro, a bem da verdade, foi visivelmente prejudicado por uma manobra absolutamente infeliz do sueco Marcus Ericsson, da nanica Caterham. Massa já tinha feito seu papel, passando para a segunda parte do treino sem nenhum problema. O que o piloto da Williams não contava aconteceu: o carro verde veio como um bólido na freada da Mirabeau e, em velocidade baixa, acertou o carro de Massa, cujo motor morreu – impedindo que o piloto retornasse aos boxes para reparos e marcação de tempo no Q2.

Felipe ficou tiririca e Ericsson, em entrevista, afirmou estar “envergonhado” pela manobra, pedindo desculpas ao brasileiro que, claro, não aceitou. Massa terá pela frente uma duríssima tarefa: largar de 16º e fazer uma corrida de paciência para poder pontuar neste domingo.

Vamos ao grid do GP de Mônaco de Fórmula 1:

1. fila
Nico Rosberg (Mercedes W05) – 1’15″989 – Q3
Lewis Hamilton (Mercedes W05) – 1’16″048 – Q3
2. fila
Daniel Ricciardo (Red Bull RB10-Renault) – 1’16″384 – Q3
Sebastian Vettel (Red Bull RB10-Renault) – 1’16″547 – Q3
3. fila
Fernando Alonso (Ferrari F14-T) – 1’16″686 – Q3
Kimi Raikkonen (Ferrari F14-T) – 1’17″389 – Q3
4. fila
Jean-Eric Vergne (Toro Rosso STR9-Renault) – 1’17″540 – Q3
Kevin Magnussen (McLaren MP4/29-Mercedes) – 1’17″555 – Q3
5. fila
Daniil Kvyat (Toro Rosso SRT9-Renault) – 1’18″090 – Q3
Sergio Perez (Force India VJM07-Mercedes) – 1’18″327 – Q3
6.fila
Nico Hulkenberg (Force India VJM07-Mercedes) – 1’17″846 – Q2
Jenson Button (McLaren MP4/29-Mercedes) – 1’17″988 – Q2
7. fila
Valtteri Bottas (Williams FW36-Mercedes) – 1’18″082 – Q2
Romain Grosjean (Lotus E22-Renault) – 1’18″196 – Q2
8. fila
Pastor Maldonado (Lotus E22-Renault) – 1’18″536 – Q2
Felipe Massa (Williams FW36-Mercedes) – no time – Q2
9. fila
Esteban Gutierrez (Sauber C33-Ferrari) – 1’18″741 – Q1
Adrian Sutil (Sauber C33-Ferrari) – 1’18″745 – Q1
10. fila
Jules Bianchi (Marussia MR03-Ferrari) – 1’19″332 – Q1
Max Chilton (Marussia MR03-Ferrari) – 1’19″928 – Q1
11. fila
Kamui Kobayashi (Caterham CT05-Renault) – 1’20″133 – Q1
Marcus Ericsson (Caterham CT05-Renault) – 1’21″732 – Q1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>