MENU

11 de setembro de 2014 - 15:40Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (215)

579028_2145986147237_1174745060_n

RIO DE JANEIRO - Duas das minhas maiores admirações no automobilismo: Gilles Villeneuve e Reginaldo Leme, juntos, em foto histórica tirada em Jacarepaguá, 1982.

Tenho as melhores lembranças daquela corrida, a última do “Aviador Maluco” no Brasil. Ele liderou as primeiras 29 voltas com a Ferrari 126 C2 Turbo até perder a freada para a Curva Norte e bater nas cercas de proteção. Aliás, o público que estava no saudoso autódromo carioca vibrava com os três que disputavam a liderança: Gilles, Nelson Piquet e Keke Rosberg, outro por quem muitos de nós tínhamos carinho porque ele defendeu a Fittipaldi entre 80/81.

A morte de Gilles foi cruel para quem, como eu, começava a gostar desse negócio e tinha perto de 11 anos de idade. Chorei muito quando a notícia veio no Jornal Nacional, através do Reginaldo. Não fui o único: meu pai também.

Há 32 anos, direto do túnel do tempo.

1 comentário

  1. antonio seabra disse:

    Desde o principio eu fui um fá incondicional do pequeno canadense. No dia da morte dele eu estava andando no centro do Rio, Nessa época os treinos não eram transmitidos ao vivo. Caminhando próximo a uma loja de eletrodomesticos, vi uma multidão aglomerada na porta, e imaginei que algo notavel tinha acontecido. Cheguei mais perto pra ver, percebi que era F1, e que alguem tinha morrido. Pensei em Gilles, não queria que tivesse sido ele..Mais alguns segundos e o Reginaldo repetiu o anuncio da morte do piloto, mostrando outra vez a cena do acidente.
    Fiquei chocado, e comecei a chorar na mesma hora. Continuei chorando no caminho de casa, e ao longo da tarde, e ainda, durante parte da noite.

    Me lembro de ter chorado com a noticia da morte de apenas 3 pilotos: aos 13 anos, com a noticia da morte de Jim Clark, lida no jornal de segunda feira. Aos 23 anos. ao ouvir no radio do carro a noticia da morte do Moco, em acidente aéreo. E aos 28 anos, ao ver na TV daquela loja a noticia da morte do Gilles.

    Esses 3 eram os meus idolos, e ainda são até hoje, junto com o Bird e o Paul Frere.
    Dos 5, apenas o Bird ainda está vivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>