MENU

11 de dezembro de 2014 - 13:05Televisão

Bandeira preta

flavioricco

RIO DE JANEIRO - A nota acima, aqui copiada por completo, está na coluna do Flávio Ricco no UOL. Deram bandeira preta pro “Linha de Chegada”. O programa de automobilismo do referido canal a cabo deixa de existir para 2015, após mais de uma década na grade.

Só posso lamentar pelos fãs do esporte, que ficam órfãos, como já ficaram quando a ESPN matou o “Limite”. Além do Linha, o “Grid Motor” também já tinha sido extinto. E lamento pelos que participaram do nascimento deste programa – tanto este que vos escreve quanto o Eduardo Abbas, o Borrachinha – e nós dois participamos da concepção do mesmo desde o início, em 2004. Por ironia do destino, nós dois fomos mandados embora – eu, algum tempo depois do Borracha. E hoje tocamos a vida, cada um com seus projetos. E felizes, não tenham dúvida.

Lamento também por gente bacana feito o camarada Marcio Arruda, que acabou indo para o meu lugar e deve estar triste, assim como o parceiro e amigo Fred Sabino, que trabalhou na atração por um tempo e é muito gente boa. Mas por outros, não lamento mesmo. Nem um pingo. É a velha lei divina, meus amigos. Aqui se faz, aqui se paga.

Numa emissora de muito cacique e pouco índio, só podia dar nisso mesmo. E até que o programa durou muito no seu formato atual. No antigo, chegou a dar mais de 2 pontos de audiência, o que pra TV fechada é impressionante. E o que eu e o Borracha tivemos em contrapartida? Nada. Tanto que levamos um pé na bunda.

Mas estamos aí. Afinal, a estrela está no céu e brilha do mesmo jeito, com tempo nublado ou com céu aberto.

 

32 comentários

  1. Herik disse:

    Parece que o pessoal da tv fechada ainda não percebeu que a sobrevivência destes canais se dará só pela seguimentação e fidelidade de público. Lembro que no começo o Sportv tinha um programa tarde da noite só com aquelas categorias pouco conhecidas como rally inglês, TVR Tuscan Challenger, corridas com réplicas de Lótus Seven, RallyCross… Depois que estes programas desapareceram aconteceu o mesmo com meu interesse e saí da tv a cabo. O último que acompanhei foi o Limite, mesmo assim com bastante dificuldade.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Herik, era o Grid Motor, nos bons tempos.

      • @WLuizCarvalho disse:

        Aliás o Grid Motor era muito bem editado e comentado. Em pouco espaço de tempo conseguia mostrar um ótimo resumo, comentado a cada momento de importância das corridas que aconteciam no fim de semana.

      • Rodrigo Mattar disse:

        Fiz parte desse projeto com indisfarçável orgulho, mas conseguiram, como todo mundo sabe, destruir o que era bom. Paciência.

  2. Ricardo Talarico disse:

    Bandeira Preta para a Globo e sua programação LIXO.
    Parte da culpa é dos “organizadores” da maioria dos esportes, que se vendem para ela.
    A Formula Truck é a prova que existe automobilismo de qualidade e lucrativo fora das suas garras.
    Abrax.

    • Isidio disse:

      Outra coisa que ninguém vem comentando é a Vicar reunir até 4 competições num fim de semana, ao meu ver isso diminui a utilização dos autódromos por ano onde se tinha 2, 3 datas diferentes vai ter só uma. O que já se sabe Curitiba e Caruaru estão ameaçados pela especulação imobiliária

      • Hugo Cardozo disse:

        Mas a Vicar está olhando pra sobrivencia dela ja que que tem competiçoes que nao da lucro sai pelo proprio bolso da empresa se ela não fazer isso ela pode ate falir. Poderiamos perder uma das poucas empresas que esta fazendo alguma coisa pelo automobilismo brasileiro.

  3. “Mas por outros, não lamento mesmo. Nem um pingo. É a velha lei divina, meus amigos. Aqui se faz, aqui se paga”. – Eita, Tssssssssssss… rs

  4. Alvaro Ferreira disse:

    Usando sua próprias palavras, “parabéns aos envolvidos”. Conseguiram transformar um projeto muito legal em algo mais ou menos, depois ruim, e agora acabou.
    São executivos de tv de primeira linha, uns gênios da raça!
    Eu percorri os corredores da Globo durante 8 anos, ralei muito lá. Também participei de projetos de que me orgulho muito, mas que ficaram na poeira do tempo. E, quer saber? Meus dois dias mais felizes lá foram o dia em que entrei e o dia em que saí!

  5. José Eduardo Soares disse:

    Deviam rebatizar os canais para FutebolTV, FutebolTV2 e VTdeFutebolTV3

  6. Devo confessar que eu não curtia muito o formato atual, “Linha de Chegada Entrevista”, apesar de alguns bons programas produzidos (Emerson e Ronnie Von; Cléber Machado e Mariana Becker; o clã Piquet; o clã Fittipaldi, incluindo o Barão). Ultimamente, via o atual “Linha de Chegada” como uma espécie de “Vídeo Show”, um clube onde os amigos chegavam apenas para bater papo. E só. Preferia o formato antigo, com debates. Escrevi umas linhas sobre isso em meu blog. http://migre.me/nrncU

    • Rodrigo Mattar disse:

      Entre os programas que se salvam, também incluo Fritz d’Orey e Bird Clemente, não porque foi uma sugestão minha, mas porque quebrou a resistência de muita gente.

      • Eu lembro desse programa também, como de um apenas com o Fritz, por volta de 2009. Ele merece ser entrevistado sempre. Tive a honra de entrevistá-lo em 2002, na bela cobertura que ele tinha (ou ainda tem) de frente para o mar de Copacabana. Incrível como ele fala com entusiasmo de sua época nas pistas e de sua paixão pelos gadgets da Apple.

      • Rodrigo Mattar disse:

        Esse de 2009 foi uma entrevista pro Grid Motor, que ainda existia, com o Lito Cavalcanti. E creio que o Fritz ainda mora em Copacabana, sim.

  7. Alexandre Soucha disse:

    O problema é que mesmo nas tvs pagas , o futebol ainda ganha um espaço “consideravelmente” grande sendo que já não é mais um produto de qualidade.Oras, já que o esporte a motor já “não tinha” e não vai ter o espaço que merece, então pelo menos apostem em outras modalidades!

  8. Paulo Penna disse:

    O linha de chegada atual era uma meldia….

  9. Fernando Lima disse:

    Confesso que pouco assistia o “Linha de Chegada”, mas de qualquer forma, é uma atração a menos sobre automobilismo. Os programas substitutos são sobre futebol, claro. O esporte a motor, aos poucos, vai sendo banido da tv brasileira, graças à mentalidade das emissoras especializadas, dos dirigentes do esporte e até mesmo do espectador, que em boa parte custa a prestigiar aos eventos. Será que as 6h de São Paulo teriam o público que teve se não fosse as “atrações adicionais” Emerson Fittipaldi e o ex-F1 Mark Webber??
    A Stock Car, quando transmitida na Globo aberta, costumava derrubar ainda mais a já baixa audiência do Esporte Espetacular…A Truck leva um público muito bom aos autódromos (fato…eu mesmo sempre vou…), mas em audiência, no horário das corridas, a Band fica bem atrás dos demais canais abertos. Ok, as transmissões da Stock no canal aberto eram horríveis, está menos pior agora no “canal campeão”, mas o futebol brasileiro há muito também não é o melhor do mundo, os estádios estiveram “às moscas” na maioria dos jogos, em compensação a emissora detentora do campeonato continua lucrando, seja com audiência no canal aberto, no canal pago, seja com o famigerado “Sócio Premiere”, como se não bastasse, milhões de assinantes ainda pagam um canal adicional para assistir ao “maravilhoso” futebol brasileiro.
    Resumindo: Um esporte é mal gerido (no Brasil…), mal divulgado e é tratado como tal pelas emissoras…o outro é mal gerido, mas bem divulgado porque ainda é vendido como o melhor produto nacional…a tendência é piorar.

  10. FAB1000 disse:

    Como se programar para assistir algo se você não sabe quando vai começar? Depois daquela fase das 20:30-21:30h se não me engano, ficou difícil até assistir as entrevistas do Reginaldo, nunca entravam no horário certo, algumas vezes antes, outras depois, outras trocavam de canal. Quem colocava pra gravar, porque nem sempre podia estar em casa na hora do programa, vivia se ferrando como eu.
    Depois de um tempo perdi o saco e a paciência, desistindo de tentar assistir algo sobre esportes a motor no sportv e desisti. Passei a ver o que eu queria pela internet e deixei de lado a tv pra isso.

    E os áureos tempo do Zona de Impacto sempre com matérias iradas para quem gostava de esportes “alternativos” como eu, quando ficamos perdidos por um tempo com o fim do Realce? Depois foi um tal de bunda lelê botando umas toupeiras bonitinhas e gostosinhas pra fazer graça na tv, como se isso fosse de interesse pra quem gostava dos esportes.

  11. Carlos Alvim disse:

    Que Lástima! R.I.P . Linha de Chegada ! É duro ver um “filho” partir, mas, essa é a vida das TVs, caro Rodrigo!, É a ditadura da audiência e dospatricinaddres ! Para nós que gostamos e trabalhamos no esporte-motor, o campo encolhe, a cada dia, no Brasil, com pouco ou nenhum apoio ao setor, que já não é de hoje! Lamento, também, pelo amigo Marcio Arruda! Quanto ao”Pé na Bunda”, todos nós já recebemos nosso quinhão ! A esperança está na Internet ! Continue firme Rodrigo!

  12. Marchi disse:

    Cara, o que a falta de um brasileiro campeão em uma das principais categorias do automobilismo faz.

    Não que eu seja a favor de todo aquele puxa-saquismo, mas só assim esses programas sobrevivem sem o minimo de esforço e é isso o que eles querem, programas com conteúdo publicitário rodeando brasileiros com talento. Na falta de talentos, usam qualquer um e público, que não é tonto, reprova.

    Sobreviver as custas de um ídolo é fácil, quero ver fazer um programa com verdadeiro conteúdo para fans com a cabeça no espetáculo das corridas e não em um ser humano único.

    Parabéns pelo trabalho verdadeiro, Rodrigo.

  13. Bruno disse:

    É engraçado como o grupo da rede globo de televisão se apóia e explora a figura do ídolo brasileiro, ao invés de aproveitar e esmiuçar o esporte a motor dentro de toda a sua diversidade e beleza. Existem tantas categorias interessantes nesse mundo, sejam elas de caráter nacional, estadual ou até mesmo regional, que daria para fazer um programa por semana sem repetir um assunto sequer durante todo um ano. Mas não, prefere-se usar as mesmos rostos para comentar sobre as mesmas categorias de sempre. O programa linha de chegada não mais falava sobre esporte a motor, falava sobre esporte stock car ou esporte formula 1, acredito que principalmente por razões comerciais. Enfim, tornou-se repetitivo e por consequência a audiência acabou. Quem procura por um programa exclusivo sobre automobilismo quer diversidade de conhecimento, características que não encontramos nos canais abertos por lidarem com público leigo no assunto. O esporte a motor é um mundo em que nós, brasileiros, só conhecemos uma parte, bem pequena, graças a pequenez de produção da maior parte dos programas especializados em automobilismo desse país.

  14. Wallace Michel disse:

    Sinceramente vou sinto muito mais falta do Grid Motor do que sentirei do Linha de Chegada. No mais, isso demonstra o quanto o Esporte Motor perdeu força na última década.

  15. Eduardo Schmidt disse:

    Já estou com saudades do Linha de Chegada, eu gostava do programa, nos restou apenas o Supermotor do Band Sports agora…que lástima, futebol da p…

    • Supermotor, que pelo menos há três ou quatro anos SEMPRE foi melhor do que o “Linha de Chegada”. Como escrevi aqui em outro comentário, de vez em quando o “Linha” acertava e apresentava um programa legal, com bons entrevistados, mas faz muito tempo que o programa dava sono. E Reginaldo Leme, sinceramente, não empolga como apresentador. Seu estilo “boa praça” acabava fazendo com que o programa fosse apenas um bate-papo entre amigos. Nenhuma polêmica, nenhum debate em cima de um tema espinhoso…. enfim, nada que trouxesse algum tempero a um programa repetitivo e sem atrativos.

  16. Rafael Fonte disse:

    Tempos atrás era o Anderson Silva o ídolo. Espera o Gabriel Medina ganhar o WTC para não idolatrarem ele. É o que vende. O bolso fala mais alto.
    Não vejo um futuro da Stockcar no Sportv. Daqui a pouco não televisionam mais ao vivo. Vai virar compacto até sair da grade.
    Super motor esta mais com propaganda da mercedes do que outra coisa. Se não for assim, não sobrevive.

    • O Supermotor ainda tem a vantagem de tratar de outras categorias, mesmo aquelas que não fazem parte da grade da Band. Mas poderia ficar melhor, é claro. Muitos dos comentários do Eduardo Homem de Mello são completamente desnecessários. Em alguns casos, até parciais, quando o assunto em questão é a performance de Felipe Massa nas pistas.

      • Rafael Fonte disse:

        Verdade Alexandre. No super motor nem formula truck eles falam lá. E sempre falam de formula 1.
        Queria ver no Sportv falar de Indy… NUNCA
        Eduardo Homem de Mello tem que sair. Muito chato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>