MENU

11 de abril de 2015 - 19:33Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (249)

11081067_815475541869318_7679642429010705685_n

RIO DE JANEIRO  - Registro histórico de um Roberto Pupo Moreno ainda jovem e um tanto quanto assustado a bordo do cockpit da Lotus 91 Cosworth, em 1982. Então com 23 anos e um pouco mais de cabelo do que hoje a calvície denuncia, o Baixo arrebentara na Fórmula Ford britânica em seu primeiro ano completo no exterior (1980) e na Fórmula 3 em 1981, impressionando ninguém menos que Colin Chapman. Encantado com o talento do garoto de Brasília, ofereceu-lhe o posto de piloto de teste da Lotus, que Moreno prontamente aceitou. Era uma porta que poderia se abrir para a Fórmula 1, uma oportunidade de sonho.

E ela veio – só que o sonho virou pesadelo.

No GP do Canadá, em Montreal, Nigel Mansell colidiu com a Alfa Romeo de Bruno Giacomelli e fraturou o antebraço esquerdo. Chapman e Peter Warr, chefe da equipe Lotus, não tiveram dúvidas: escolheram Moreno para guiar a Lotus #12 no GP da Holanda, em Zandvoort. Mas ao invés de confiar no garoto, tudo o que a equipe fez foi aconselhá-lo da pior forma possível.

“Não bata o carro”. Foi tudo o que conseguiram lhe dizer.

Além de tudo, o comportamento do Lotus 91 no circuito holandês foi péssimo desde os treinos livres. Elio de Angelis ainda conseguiu o 15º lugar no grid, mas Moreno, pressionado e psicologicamente despreparado para tamanha responsabilidade, fez muito pior: 1’21″149, último tempo entre 30 pilotos. Desclassificação que quase queimou sua carreira no automobilismo.

Moreno ainda colaborou com a Lotus esporadicamente até 1984. Ralou o quanto pôde na Fórmula Atlantic, Fórmula 2, Fórmula 3000 e Fórmula Indy. Até ter o seu valor reconhecido – mesmo que na precária AGS, cinco anos depois do fiasco de Zandvoort.

O Baixo é um exemplo de brasileiro que não desiste nunca.

Há 33 anos, direto do túnel do tempo.

4 comentários

  1. Douglas Ricardo disse:

    Nós merecemos uma biografia do Baixo… Fica a dica!

  2. Filipe disse:

    A galeria gooosta de puxar o saco do Moreno. Fosse qualquer outro piloto, o fato de ter seguido a recomendação passiva da Lotus seria visto como fraqueza e falta de brio. Para ele, é desconto por mais um desempenho raquítico.

    No fim, muita gente da imprensa, normalmente amigo do cara, confunde a dedicação e paixão dele pelo esporte com talento.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Olha, se você está querendo dizer que eu sou amigo do Moreno, não tenho necessidade disso, ok? Não sou desses caras. Me inclua fora desta.

  3. Marco Barral disse:

    O CARA ralou muito e merece todo nosso respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>