MENU

14 de maio de 2015 - 13:02Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (258)

87-03-010

RIO DE JANEIRO - Quem acompanha há muito tempo a Fórmula Indy sabe que nos anos 80 havia uma equipe da Associação Internacional dos Maquinistas e Trabalhadores da Indústria Aeroespacial – a Machinists Union Racing. E quem defendeu esta escuderia, por muito tempo, aliás, foi o piloto que está a bordo do carro da foto: o mexicano Josele Garza.

Você não sabe quem foi Josele Garza?

Pois o blog vai lembrar dele, agora.

Em 1981, com apenas 19 anos de idade e alguns meses, ele tornou-se o piloto mais jovem de sempre a alinhar no grid das 500 Milhas de Indianápolis – um recorde batido apenas pelo infame Tony Foyt IV em 2003. Cabe lembrar que a idade mínima permitida para se guiar em Indy na época pelo USAC era de 21 anos – e isso só foi possível porque os registros de Garza indicavam que ele tinha três anos a mais…

Garza estreou com um Penske Cosworth e largou logo de cara na segunda fila, com o 6º melhor tempo do grid. Acabou em 23º lugar e foi eleito o Rookie (Novato) da corrida. Daí para diante, disputou mais seis edições da Indy 500 – e de 1983 até 1987, defendeu a Machinists Union Racing.

Em seu último ano, competiu com o March 87C Cosworth que ilustra este post, terminando a Indy 500 em 17º lugar. Aos 25 anos de idade na época, Josele alimentou o sonho fugaz de guiar um Fórmula 1. Chegou a testar carros da Brabham e Minardi, mas na época as empresas mexicanas (a.k.a Carlos Slim e seu grupo) não eram tão ricas a ponto de permitir-lhe um lugar na categoria máxima e assim o piloto encerrou prematuramente a sua carreira.

Há 28 anos, direto do túnel do tempo.

10 comentários

  1. Vinicius disse:

    Rodrigo,uma pequena correção:

    Não e Tony Foyt IV,mas sim A.J. Foyt IV.

  2. Alex disse:

    Eu me lembro que Josele Garza sofreu um acidente pavoroso na Indy em Mid-Ohio, 1986. Assisti à corrida, na época, transmitida pela TV Bandeirantes, narração do grande Edgard Mello Filho, que cogitou até a possibilidade de Garza não sobreviver aos ferimentos. Depois disso nunca mais ouvi falar dele. Talvez nunca mais tenha sido o mesmo depois do ocorrido, tanto que abandonou a categoria pouco depois.

  3. Marcio K disse:

    Meio fora do assunto…mas como eram bonitos os carros da Indy do tempo desse da foto. Esguios, harmoniosos, rodas cromadas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>