MENU

1 de setembro de 2015 - 17:59Mundial de Endurance, United Sports Car Championship

Rumo a Ladoux: construtores preparam modelos GT para 2016

RIO DE JANEIRO - Chegamos a setembro. Logo 2016 está aí e em janeiro já tem corrida, com as 24h de Daytona abrindo a próxima temporada do Weather Tech SportsCar Championship, novo nome do TUSC. Por isso, a FIA determinou um teste mandatório para a pista de Ladoux, na França, que é de propriedade da Michelin.

Nesse teste, os diferentes modelos serão avaliados para que seja determinado o primeiro Balance of Performance (BoP), para que os carros dos fabricantes envolvidos nas divisões LMGTE não tenham desníveis acentuados de desempenho entre eles. Principalmente porque Ford e Ferrari vêm com modelos totalmente novos, no que concerne à mecânica e ao modelo.

Ford-GT-Test-Road-America-02-600x400

A Ford traz a mais aguardada estreia do próximo ano. O modelo GT construído para celebrar os 50 anos da vitória do GT40 sobre a rival Ferrari nas 24h de Le Mans foi concebido com motor EcoBoost V6 Turbo, uma tecnologia já testada nos prótótipos do Tudor United SportsCar. O carro vem sendo exaustivamente testado no Canadá e nos EUA (andou em Sebring e em Road America) e seu desenvolvimento é tocado pela Multimatic Motorsports através dos pilotos Scott Maxwell e Billy Johnson.

A princípio, o novo Ford GT não tem sofrido nenhum tipo de problema nos seus primeiros treinos. O construtor do oval azul de Detroit tem a obrigação de construir 100 unidades do novo modelo para que ele seja oficialmente homologado pela FIA como um carro genuíno de competição para as classes Grã-Turismo.

Na Inglaterra, a Prodrive já trabalha na construção da versão 2016 de pista do Aston Martin V8 Vantage. É pouco provável que ele chegue a Ladoux para o teste comparativo com pouco mais do que uma quilometragem de shakedown concluída. Há quem aposte que o visual do carro trará diferenças visíveis em relação ao modelo 2015 e 2014, justamente para preencher a lacuna que será deixada até 2018 – quando definitivamente o Vantage será substituído por um novo modelo ainda não concebido para o mercado.

Dos lados dos EUA, a Pratt & Miller trabalha na revisão do C7-R para o novo regulamento. O carro deve sofrer poucas alterações estéticas e mecânicas, mas sofrerá uma alteração visível em termos de segurança, com uma célula de sobrevivência mais reforçada em termos de estrutura. A BMW, embora não tenha um modelo “elegível” para o FIA WEC e para as 24h de Le Mans, deve ter para os EUA uma versão GTLM do modelo M6 GT3. Não será surpresa se este carro (o GT3, não o GTLM) aparecer em Ladoux para o teste compulsório, embora o diretor de competições da marca, Jens Marquardt, tenha informado que o calendário de desenvolvimento do novo modelo está “apertado”.

Ferrari-488-GTE-03-600x399

A Ferrari é o construtor que muda de forma mais radical o seu modelo GTE para 2016. Ao invés do motor 4,5 litros V8 que equipa a F458, vai gritar na nova F488 GTB um motor V6 biturbo com 3,9 litros de capacidade cúbica. Os primeiros testes foram positivos e feitos nos circuitos de Adria e Vallelunga com os pilotos oficiais Gianmaria Bruni, Davide Rigon e Giancarlo Fisichella, num total de 2.000 km percorridos. A Risi Competizione é a primeira equipe confirmada para receber o novo carro, que terá caixa de marchas Xtrac, substituindo a tradicional Hewland como fornecedora de Maranello (leia-se Michelotto) para os modelos Grã-Turismo de competição.

Outra novidade é que a F488 GTB também poderá ser usada como modelo FIA GT3 – e vice-versa. Nada parecido com os modelos anteriores, F458 e F430, que eram derivados dos “Challenge” construídos para as séries monomarca do construtor italiano.

Por fim, a Porsche chegara a anunciar uma retirada sabática do WEC com sua equipe oficial, embora o desenvolvimento do 991 RSR na especificação 2016 já estivesse a todo vapor desde maio. Houve, no entanto, uma mudança de planos e o carro continuará sendo utilizado no ano que vem, para um novo modelo ser projetado e desenvolvido para o biênio 2017/2018.

Esse carro novo provocará a ruptura de quase 50 anos de conceito da Porsche, pois poderá ser o primeiro LMGTE da marca com motor central traseiro, ao invés do conceito do 911 que remonta o Fusca. A equipe do WEC deverá ser, mais uma vez, chefiada por Olaf Manthey. Nos EUA, a Black Swan Racing junta-se à CORE Autosport como os times do construtor de Weissach para o próximo ano.

5 comentários

  1. RAFAEL CATELAN disse:

    Seria legal a BMW voltar a correr em Le Mans com o M6, agora o campeonato vai ficar incrível com todos esses carros GT na pista, espero que ninguém desista de correr o WEC.

  2. Fernando Lima disse:

    Como já comentei anteriormente. bem provavel que teremos uma temporada do WEC com mais “badalação” nas classes GT do que nas Protótipos, por conta de todos estes lançamentos.
    Se houver vídeos dos testes e puder postá-los, aguardaremos ansiosamente para comentar aqui no blog…

    • luigi disse:

      Caro Fernando ; eu acredito que atualmente a classe GT é a que mais esta inspirada no “Espirito dos Primeiros Organizadores ” das 24 Horas de Le Mans onde os construtores colocavam seus carros para provar a qualidade ,durabilidade e velocidade de seus produtos que os endinheirados mortais poderiam comprar em agencias e ter em suas garagens (até mesmo alguns protótipos tinham versões “Estradale”- até os finais dos anos 70/80- Coisa que atualmente é impossível com os atuais LM P1 e 2 Acho que o ultimo exemplar que poderia ir para pista e também para alguma “rica” garagem foi o McLaren F1 ,projeto do genial Gordon Murray que atualmente próximo aos 70 anos esta desaparecido do automobilismo ha já um bom tempo, e tenho a impressão é que se deva a ter se cansado de ver suas genialidades sendo torpedeadas pela FIA com sua corja criando dificuldades ,normas e regras como esta idiotice chamada B O P que nada mais é que privilegiar a incompetência criativa e construtiva . Automobilismo depois que deixou de ser competição para ser Show de Velocidade onde se criam regras e falsetas para atrair incautos “assistidores de corrida’ perdeu seu encanto para mim.
      Eu que sou um técnico, ver uma corrida em que o carro não precisa ser tão bom como poderia porque o regulamento limita a criatividade de atueis projetistas como foram os geniais ; Bugatti ,Porsche ,Uhlenhaut ,Jano ,Colombo , Lampredi ,Chiti, Sayer ,Chapman, Murray ,Barnard, Coppuck, e o que sou um dos maiores admiradores que é Jim Hall (e olhe que não costumo gostar de americanos e seu automobilismo más o “gênio” tem que ser respeitado seja de que nação for ) para abençoar a alguns , pouco criativos mas muito influentes politicamente dentro do automobilismo ;perdeu a graça pois a parte técnica também é um ponto importante dentro de uma equipe. Como pode perceber ,sou mais fan do projetista/carro do que de piloto pois acredito que : Um piloto de bom nível com um excelente carro ,pode vir a .GANHAR provas (Rosberg) ;más um piloto acima da média com um carro não muito bom , no máximo faz boas corridas na rabeira da pontuação (Alonso) e na junção de ;Grande Piloto com o melhor carro se tem o campeão (Hamilton). É a minha opinião até prova em contrario. Tudo de bom para você e os seus .

  3. Bernardo disse:

    Opa! Porsche com motor central traseiro anunciado para as pistas no biênio 17/18, sendo que a Porsche acaba de lançar o boxter/cayman com o motor do 911 GT3 “amansado” pra 385 cv… Isso nos faz pensar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>