MENU

12 de outubro de 2015 - 14:45Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (293)

12143149_937008509678847_875148930467476968_n

RIO DE JANEIRO - Campeonato Europeu de Fórmula 2 em 1972, etapa de Thruxton. Na foto, José Carlos Pace coloca uma das rodas dianteiras fora do asfalto, atacando a zebra do veloz circuito britânico com seu carro, um Pygmée, durante os treinos.

A história da participação do saudoso Moco naquela temporada é bem curiosa: ele e Lian Duarte acertaram com a escuderia BE Racing Team, de Rodney Banting e Michael Earle, para a disputa da categoria. O monoposto, projeto do francês Marius Dal Bo, não era dos piores – tanto que naquela mesma corrida de Thruxton, Patrick Dal Bo, o terceiro piloto da BE Racing Team, chegou em 4º lugar e levou os pontos da segunda posição – pois o vencedor Ronnie Peterson e o 2º colocado François Cévert não pontuaram por serem pilotos graduados de F1.

Mas a equipe era uma tragédia. Pessimamente administrada, foi um verdadeiro cheque sem fundo para os três pilotos. Além de arruinar a reputação da Pygmée, Rodney Banting e Michael Earle embolsaram a grana do patrocínio levado pelos brasileiros e não investiram no time. No meio do ano, após uma série de dissabores, Moco e Lian deixaram o time – e foram andar de Surtees – sendo que o segundo, apenas no Torneio Brasileiro de F2, ao fim daquele ano.

A publicação da foto foi uma cortesia do amigo argentino Eduardo Luis Angelelli, que publicou-a no Facebook e compartilhou comigo.

Há 43 anos, direto do túnel do tempo.

5 comentários

  1. Eduardo disse:

    Siempre con su casco característico, un gran piloto que merece ser recordado. ¡Excelente blog!, (no escribo en portugués, he usado el traductor, sepan disculpar)

    Sempre com seu capacete de marca, um grande piloto que merece ser lembrado. Excelente blog, (eu não escrever em Português, eu usei o tradutor, pedir desculpas)

  2. Antonio Seabra disse:

    Uma rara foto do Moco com o Pygmee. O carro chegou a andar bem, ser veloz em algumas pistas, mas a confiabilidade era zero.

    Pena que o Moco tendia sempre o fazer escolhar erradas, não logrando transformar em resultados a sua habilidade e a sua velocidade natural.

    Antonio

  3. Zé Maria disse:

    Curioso, Rodrigo.
    Tinha para mim que, após o imbroglio, Moco de fato conseguiu se bandear para a Surtees mas o Lian havia voltado para o Brasil.
    Abraço.
    Zé Maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>