MENU

19 de janeiro de 2016 - 17:10IMSA

Especial 24h de Daytona – Equipes GTLM

RIO DE JANEIRO - Vocês já viram aqui no blog a apresentação das equipes da classe GTD para a abertura da temporada do IMSA Weather Tech SportsCar Championship. E agora, é a hora da divisão GTLM, com a fina flor dos modelos de Grã-Turismo – repleta de novidades.

O regulamento técnico que vigora já a partir de 2016 contempla não só mudanças de aerodinâmica nos carros e potência para os motores, como também a introdução de um combustível com 20% de etanol misturado a 80% de gasolina, para também diminuir a emissão de gases poluentes. Além disso, todos os carros passaram por modificações de segurança, agora apresentando saídas de emergência no teto, em caso de acidentes em que os pilotos não possam sair dos veículos pelas janelas.

Nesse ano de transição, três carros 100% novos dão as caras nas pistas estadunidenses. Além da BMW M6, que só será vista nos EUA, estreiam a novíssima Ferrari F488 GTE e o mais do que esperado Ford GT, em homenagem ao cinquentenário do lendário modelo GT40. Estes dois últimos, revelando talvez uma nova tendência dos carros Grã-Turismo de competição, vêm com motores turbo contra os demais, de aspiração normal.

Feito o chamado nariz de cera, vamos às equipes da GTLM.

CORVETTE RACING
Sede: New Hudson, Michigan

CEO Pratt & Miller: Gary Pratt
Chefe de equipe: Doug Fehan
Diretor técnico: Doug Louth
Chefe de mecânicos: Dan Binks (#3) e Brian Hoye (#4)

Carro: Chevrolet Corvette C7-R
Motor: Chevrolet LS5 5,5 litros V8
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #3 – Antonio Garcia (platina)/Jan Magnussen (platina)/Mike Rockenfeller (platina)
Carro #4 – Oliver Gavin (platina)/Tommy Milner (platina)/Marcel Fässler (platina)

Tempos no ROAR – 1’45″124 (#3) e 1’45″106 (#4)

12573019_935250986553154_8743155445223801252_n

Força total: a Corvette Racing quer recuperar a hegemonia de outrora na principal divisão de Grã-Turismo

Campeã das 24h de Daytona, das 12h de Sebring e das 24h de Le Mans ano passado, a Corvette podia ter fechado o ano de 2015 com chave de ouro, mas o título do Tudor United SportsCar não veio, no segundo ano do modelo C7-R desenvolvido pela Pratt & Miller. Com o desenvolvimento proposto para 2016, o Trovão Amarelo volta firme e forte para brigar por mais vitórias e títulos.

12522983_931734800238106_4469991607257383922_n

Marcel Fässler volta a colaborar com a Corvette, que chamou também Mike Rockenfeller para as 24h de Daytona e 12h de Sebring

Para nenhuma surpresa, os pilotos titulares seguem os mesmos para toda a temporada e os colaboradores nas provas longas mudaram. Com a passagem de Ryan Briscoe e Richard Westbrook para o programa Ford coordenado pela Chip Ganassi Racing, a Corvette fechou com Mike Rockenfeller e Marcel Fässler – ambos vinculados à Audi – para correr nos carros #3 e #4 pelo menos nas 24h de Daytona e nas 12h de Sebring. Em Le Mans, correrão os irmãos Jordan e Ricky Taylor.

No ROAR Before The 24, a equipe teve bom desempenho e os tempos dos dois bólidos foram bastante próximos, sempre na casa de 1’45″ baixo.

BMW TEAM RLL
Sede: Hilliard, Ohio

Proprietários: Bobby Rahal, David Letterman e Mike Lanigan
Chefe de equipe: Jim Prescott
Diretor Técnico: Jay O’Connell
Engenheiros: Bruno Couprie (carro #25) e Chris Yanchar (carro #100)
Chefe de mecânicos: Jimmy Looper (carro #25) e Mike Kranz (carro #100)

Carro: BMW M6 GTLM
Motor: BMW S63 4,4 litros V8
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #25 – Bill Auberlen (platina)/Dirk Werner (platina)/Augusto Farfus (platina)/Bruno Spengler (platina)
Carro #100 – Lucas Lühr (platina)/John Edwards (ouro)/Kuno Wittmer (ouro)/Graham Rahal (ouro)

Tempos no ROAR – 1’45″120 (#25) e 1’45″088 (#100)

BMW-100

Ainda sem a pintura definitiva, a nova BMW M6 GTLM mostrou muita força nos testes do ROAR Before The Rolex 24

A equipe de Bobby Rahal, David Letterman e Mike Lanigan traz em 2016 uma das principais novidades do IWSC. A nova BMW M6 vem para substituir o modelo Z4 e brigar de igual para igual com Porsche, Corvette, Ford e Ferrari neste ano. Na última temporada, por pouco a equipe não comemorou o título com os pilotos Dirk Werner e Bill Auberlen: a dupla venceu duas corridas da GTLM, conquistou cinco pódios – mas foi derrotada por Patrick Pilet, da Porsche.

Roar_Test-Daytona

Mais uma vez o brasileiro Augusto Farfus foi escolhido para colaborar com a BMW Team RLL nas provas de longa duração nos EUA

A exemplo da Corvette, a BMW Team RLL mantém os mesmos titulares de 2015, com a permanência de Bruno Spengler e Augusto Farfus a bordo para as quatro provas do NAEC a bordo do #25. A novidade é a vinda do canadense Kuno Wittmer, que disputará igualmente três das quatro corridas de Endurance. Graham Rahal só corre em Daytona.

O novo carro mostrou bom desempenho no ROAR e o #100 foi o mais rápido da categoria – 1’45″088, tempo obtido logo na primeira sessão de testes.

RISI COMPETIZIONE
Sede: Houston, Texas

Proprietário: Giuseppe Risi
Chefe de equipe: David Sims
Chefe de mecânicos: Mark Sims
Engenheiros: Rick Mayer e Don Shaver

Carro: Ferrari F488 GTE
Motor: Ferrari F154CB 3,9 litros V8 Turbo
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #62 – Giancarlo Fisichella (platina)/Toni Vilander (platina)/Davide Rigon (platina)/Olivier Beretta (platina)

Tempos no ROAR – Não participaram

Ferrari-62

A Risi Competizione recebeu sua nova Ferrari F488 GTE e terá Toni Vilander ao lado de Giancarlo Fisichella em 2016

Única equipe a não participar do ROAR Before The Rolex 24, por ainda não ter recebido seu novo carro, a Risi Competizione finalizou enfim a montagem de sua Ferrari F488 GTE, sucessora do modelo F458 Italia. Apesar da defasagem de testes em relação aos demais adversários, a equipe de Houston não pode ser descartada por sua experiência e know-how na manutenção de carros produzidos pelo fabricante de Maranello.

Após a mudança promovida pela Ferrari em suas equipes nas séries de Endurance nas classes de Grã-Turismo, a equipe de Giuseppe Risi terá Toni Vilander como principal reforço, compondo a dupla full time com o veterano italiano Giancarlo Fisichella, após a saída de Pierre Kaffer para a Audi. Para Daytona, foram confirmados o experiente monegasco Olivier Beretta e o italiano Davide Rigon a bordo do carro #62.

FORD PERFORMANCE RACING/CHIP GANASSI RACING
Sede: Indianápolis, Indiana

Proprietários: Chip Ganassi e Felix Sabates
Chefe de equipe: Mike Hull
Chefe de mecânicos: Tyler Rees (#66)
Engenheiros: John Hennek (#66) e Brad Goldberg (#67)

Carro: Ford GT
Motor: Ford EcoBoost 3,5 litros V6 Turbo
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #66 – Dirk Müller (platina)/Joey Hand (platina)/Sebastién Bourdais (platina)
Carro #67 – Ryan Briscoe (platina)/Richard Westbrook (platina)/Stefan Mücke (platina)

Tempos no ROAR – 1’45″248 (#66) e 1’45″269 (#67)

Ford-66

O novo Ford GT: com cara e jeito de carro de corrida de verdade, estreia no ano do cinquentenário do histórico GT40

Cinquenta anos depois do Ford GT40, a marca do oval azul de Detroit vem com tudo para encarar a temporada do IMSA Weather Tech SportsCar Championship, em parceria com a Chip Ganassi Racing. A equipe está mais do que preparada para um desafio que coloca em confronto duas das marcas mais icônicas dos EUA – Ford e Chevrolet (leia-se Corvette).

O carro, além de um visual bonito e agressivo, mostrou velocidade e confiabilidade, quase sem sofrer nenhum problema nos testes do ROAR, com tempos consistentes. Ganassi e a Ford buscaram se cercar de bons nomes no mercado, contratando uma dupla que já atuou junto – caso de Joey Hand e Dirk Müller, parceiros na BMW – além de dois pilotos que conhecem bem os segredos da rival Corvette, como Ryan Briscoe e Richard Westbrook. Sebastién Bourdais disputará pelo menos a primeira prova do ano e as 24h de Le Mans. No #67, o terceiro piloto será Stefan Mücke, único integrante do time do WEC que estreia a bordo do novo Ford na Flórida.

SCUDERIA CORSA
Sede: Beverly Hills, Califórnia

Proprietários: Giacomo Mattioli e Art Zafiropoulo
Chefe de equipe: Eric Bachelart
Diretor Técnico: Roberto Amorosi
Engenheiro: Joseph LaJoie
Chefe de mecânicos: Wiliam Mendez

Carro: Ferrari F488 GTE
Motor: Ferrari F154CB 3,9 litros V8 Turbo
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #68 – Alessandro Pier Guidi (ouro)/Alexandre Prémat (platina)/Daniel Serra (ouro)/Memo Rojas (ouro)

Tempos no ROAR – 1’45″266

Ferrari-68

Com o brasileiro Daniel Serra confirmado entre os titulares, a Scuderia Corsa disputará apenas as provas do NAEC em 2016, na classe GTLM

Principal novidade do IWSC, pelo menos na temporada de quatro provas da Tequila Patrón North American Endurance Cup (NAEC), a Scuderia Corsa se apresenta pela primeira vez na divisão GTLM com a nova Ferrari F488 GTE. E bem servida de pilotos: além do experiente italiano Alessandro Pier Guidi, conta com o brasileiro Daniel Serra, que participará das 24h de Daytona pelo terceiro ano consecutivo.

O perigo está nos outros dois pilotos – rápidos, porém inconstantes: o francês Alexandre Prémat, de carreira errática, passando pela GP2 Series, DTM e V8 Supercars e o mexicano Memo Rojas, que após perder a vaga de titular na Chip Ganassi, andou sem sucesso com o estranho protótipo DeltaWing.

Pier Guidi fez o melhor tempo no ROAR, com 1’45″288. Veremos se a equipe terá sucesso em sua temporada parcial na turma de cima.

SMP RACING
Sede: Monte-Carlo, Mônaco

Proprietário: Boris Rotemberg
Chefe de equipe: Farida Zadl
Engenheiro: Steve “Doc” Bunkhall

Carro: Ferrari F488 GTE
Motor: Ferrari F154CB 3,9 litros V8 Turbo
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #72 – Gianmaria Bruni (platina)/James Calado (platina)/Andrea Bertolini (platina)/Viktor Shaitar (prata)

Tempos no ROAR – 1’45″314

Ferrari-72

Com uma boa mescla de pilotos, a SMP Racing espera fazer um bom papel nas 24h de Daytona

Com o suporte técnico e pilotos (Gianmaria Bruni e James Calado) da AF Corse, a SMP Racing sente pelo menos nas 24h de Daytona o gostinho de estrear a nova Ferrari F488 GTE. O time russo, que faz sua segunda aparição na prova (a primeira foi em 2014, numa associação com a Extreme Speed Motorsports) vai para o primeiro confronto do ano com muito otimismo, apesar do tempo de 1’45″314 não ter sido dos mais rápidos do fim de semana do ROAR Before The Rolex 24.

No mais, a tripulação do time coordenado por Farida Zadl (única mulher chefe de equipe das 24h de Daytona) terá ainda o experiente italiano Andrea Bertolini e o russo Viktor Shaitar, que junto ao compatriota Aleksej Basov conquistaram o título do Mundial de Endurance na classe LMGTE-AM.

PORSCHE NORTH AMERICA
Sede: Rock Hill, Carolina do Sul

CORE Autosport CEO: Jonathan Bennett
Chefe de equipe: Morgan Brady

Carro: Porsche 911 (991) RSR
Motor: Porsche 4 litros Flat 6
Pneus: Michelin

Pilotos:

Carro #911 – Patrick Pilet (platina)/Nick Tandy (platina)/Kévin Estre (platina)
Carro #912 – Fred Makowiecki (platina)/Earl Bamber (platina)/Michael Christensen (platina)

Tempos no ROAR – 1’45″524 (#911) e 1’45″543 (#912)

Porsche-912

A Porsche espera repetir o sucesso do ano passado, na última temporada da versão atual do 991 RSR nas pistas

Campeã de tudo o que disputou com suas equipes oficiais de fábrica em 2015, a Porsche quer repetir a dose neste ano, pelo menos no IWSC: Patrick Pilet e a marca de Stuttgart levaram os principais troféus da temporada e a parceria continua, agora com Nick Tandy a bordo como companheiro do piloto francês. Kévin Estre é a nova aquisição para as corridas do NAEC no carro #911.

No #912, o francês Fred Makowicki e o neozelandês Earl Bamber – que assim como Tandy conquistou as 24h de Le Mans em parceria com Nico Hülkenberg – completam o time, que terá o dinamarquês Michael Christensen como colaborador nos eventos de longa duração. A equipe baseada nos EUA com o suporte da CORE Autosport deverá também ser vista em Sarthe, na disputa das 24h de Le Mans.

Dagys_2016_2272

Os dois carros do construtor alemão foram os que menos tiveram preocupação com performance, focando na resistência

Durante os treinos do ROAR, a Porsche foi a única que não se preocupou verdadeiramente com tempos rápidos, embora a diferença dos tempos do #911 e do #912 ao fim das sete sessões de treinos tenha sido inferior a meio segundo em relação ao carro mais rápido, que foi a BMW M6 #100 – um indício do enorme equilíbrio técnico que deve nortear a classe GTLM em 2016.

3 comentários

  1. TARCISIO FRASCINO FONSECA disse:

    Esperemos que as espectativas concretizem-se e tenhamos não só uma grande corrida mas também um belo campeonato.

  2. Fernando disse:

    Rodrigo, eu nunca entendi pq os carros da BMW não podem correr no WEC.

    Alguma especificação diferente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>