MENU

6 de março de 2016 - 16:37Rali

WRC: Latvala tira a zica e vence o Rali do México

Cc4yg_RUYAAdlcE

RIO DE JANEIRO - É para glorificar de pé, igreja! Jari-Matti Latvala, absoluto do início ao fim, finalmente disse ao que veio no Mundial de Rali 2016. “Meu campeonato vai começar no Rali do México”, alardeava antes da 3ª etapa. O problema para ele é que a temporada de Sebastién Ogier começou mais cedo, com duas vitórias em Monte-Carlo e na Suécia, com 100% de aproveitamento.

Era questão de honra para Latvala minimizar o imenso prejuízo das provas anteriores na etapa disputada na América Central. E o finlandês cumpriu a promessa: venceu com autoridade – só não levou os três pontos do Power Stage – e dominou praticamente todas as etapas até este domingo. Com mais de um minuto de vantagem para Ogier, o nórdico não quis correr riscos na SS20 e nem na última etapa cronometrada. Fez o 2º melhor tempo do último trecho – perdendo apenas para Ogier – mas saiu do Rali do México como o grande vencedor, marcando os primeiros 27 pontos no campeonato.

Ogier, que não pôde lutar palmo a palmo contra um dominante Latvala, levou mais 21 pontinhos e chega ao total de 77 – líder absoluto da temporada, com quase o dobro de pontos do 2º colocado. Foi também a 3ª vitória da Volkswagen no ano e a tão esperada trifeta ainda não aconteceu: Andreas Mikkelsen foi obrigado a desistir e não pontuou pela primeira vez em 2016.

O Rali do México era um dos mais aguardados por conta da longa extensão de algumas especiais. El Chocolate, no roteiro há alguns anos, já impressionava com seus 54,21 km e Otates, com 42,62 km, sempre é desafiante. Mas neste ano estreou a monstruosa etapa de Guanajuato, com nada menos que OITENTA quilômetros de percurso. Ogier, aliás, venceu esta etapa com o tempo de 48’06″8, mais de vinte e cinco segundos abaixo do tempo de Latvala. Hayden Paddon foi um minuto mais lento que o tempo de Ogier e daí para trás, ninguém fez igual ou melhor que os líderes.

Sem Thierry Neuville, que foi à nocaute logo no início das provas especiais, a Hyundai contou com a sólida performance de Dani Sordo para conquistar o 3º lugar na geral. O espanhol jamais foi páreo para a equipe VW, de modo que o último lugar no pódio foi bastante meritório – mas na vistoria pós-Rali do México, os comissários aplicaram uma punição de dois minutos a Sordo e ao seu navegador Marc Martí por um erro no controle dos pneus da equipe sul-coreana, o que lhe custou o resultado. Mads Østberg voltou a ter bom desempenho com o Ford Fiesta oficial da M-Sport, chegou em quarto e herdou o pódio. Hayden Paddon, que teve outra boa atuação após o fracasso em Monte-Carlo, terminou na 5ª colocação.

Ott Tanak obteve um sólido 6º posto a bordo do Ford da equipe Drive DMACK, à frente de Martin Prokop, que voltou ao campeonato somando os primeiros pontos do ano e se colocando como o melhor piloto das equipes não-oficiais. Lorenzo Bertelli e seu navegador Simone Scattolin também tiveram um bom desempenho, completando a prova com o oitavo posto, enquanto Teemu Suninen venceu entre os pilotos do WRC2, faturando um interessante nono posto na geral. O último pontinho ficou, quem diria, com o ucraniano Valeriy Gorban num Mini John Cooper Works WRC.

Resultado final do Rali do México após 21 especiais cronometradas:

1. Latvala-Anttila (VW Polo WRC) – 4.25’57″4
2. Ogier-Ingrassia (VW Polo WRC) – a 1’05″
3. Østberg-Fløene (Ford Fiesta RS WRC) – a 5’36″4
4. Sordo-Marti (Hyundai i20 WRC) – a 5’37″9
5. Paddon-Kennard (Hyundai i20 WRC) – a 6’22″6
6. Tanak-Molder (Ford Fiesta RS WRC) – a 9’59″5
7. Prokop-Tomanek (Ford Fiesta RS WRC) – a 12’58″5
8. Bertelli-Scattolin (Ford Fiesta RS WRC) – a 14’09″6
9. Sunninen-Markkula (Skoda Fabia R5 WRC2) – a 18’01″8
10. Gorban-Korsia (Mini John Cooper Works WRC) – a 32’37″3

Classificação do campeonato após 3 etapas:

1. Sebastién Ogier – 77 pontos
2. Mads Østberg – 42
3. Andreas Mikkelsen – 33
4. Dani Sordo – 30
5. Hayden Paddon – 29
6. Jari-Matti Latvala – 27
7. Ott Tanak – 24
8. Thierry Neuville – 15
9. Stéphane Lefevbre – 10
10. Henning Solberg, Elfyn Evans e Martin Prokop – 6
13. Craig Breen e Lorenzo Bertelli – 4
15. Teemu Sunninen – 3
16. Esapekka Lappi – 2
17. Armin Kremer, Kris Meeke e Valeriy Gorban – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>