MENU

3 de setembro de 2016 - 14:33Fórmula 1

O ano “sabático” de Button

jenson-button-mclaren-2016-australian-gp_3432615

Surpresa: Jenson Button deixa o posto de titular da McLaren na F1 para um ano “sabático” e o campeão de 2009 será substituído por Stoffel Vandoorne

RIO DE JANEIRO - Nem bem a Fórmula 1 se refez do anúncio da saída de Felipe Massa da categoria após o fim da temporada e o paddock de Monza, onde se disputará nesse domingo o GP da Itália, foi sacudido por outra bomba: a retirada de Jenson Button da McLaren como piloto titular para um ano “sabático”.

O britânico, campeão mundial de 2009, está com 36 anos de idade e 297 GPs no currículo. Chegará a pouco mais de 300 ao fim do ano e desse modo não passa perto do recorde de Rubens Barrichello – a menos que volte em 2018, como o próprio Button terá afirmado hoje em Monza que essa possibilidade existe. Além de ocupar o papel de piloto reserva da equipe de Ron Dennis, Button passa ser também responsável pela parte de desenvolvimento, trabalhando mais nos simuladores e à disposição do time para qualquer eventualidade – só não sabemos se existe uma cláusula contratual que permita a Button competir noutra categoria em 2017.

Desse modo, o belga Stoffel Vandoorne assume a vaga de Jenson ao lado de Fernando Alonso e o espanhol, por sua vez, caso fracasse em mais uma tentativa de se tornar campeão da categoria, pode abandonar a Fórmula 1 e dar uma chance ao retorno de Button. Mas, será? Em 2018, o britânico terá 38 anos e não sei se com essa idade, ele voltaria a correr com o mesmo tesão de antes.

E tem o seguinte: também cai por terra o papo de Button na Williams, abrindo-se no horizonte uma vaga interessante de companheiro de equipe de Valtteri Bottas. Mas a equipe de Sir Frank precisará fazer um papel melhor em 2017 com os novos regulamentos do que agora, em que foi deixada para trás pela Force India, para ser uma alternativa positiva.

Não faltarão intere$$ado$ inclusive, não só na Williams como também na Renault – que na verdade é a escuderia que mais precisa de alguém com horas de voo na F1 para o desenvolvimento de um novo projeto e sequer tem esse “alguém” em mente a partir de agora.

A conferir.

10 comentários

  1. Alfredinho disse:

    Esse ano sabático está com cheiro de aposentadoria.

  2. Felipe disse:

    Ano sabático a essa altura da vida é baboseira!
    Aposenta de uma vez!

  3. Carl disse:

    Não carioca, nem comenta F1 não. Isso não é pra você.. Fica nesse lixo de WEC mesmo. Beijo.

  4. Diogo disse:

    Crava aí, Mattar: Bottas fica na Williams (que queria Button mas ficou chupando dedo) e o Perez vai para a Renault. O Nasr pega a segunda vaga em uma das duas equipes, já que garantiu o patrocínio do ano que vem.

    O lado positivo da saída de Button e Massa foi a agitada no grid, com a renovação e troca de pilotos.

  5. Claudio disse:

    Piloto muito subestimado o Button, na maior parte da carreira teve companheiros de equipe maus valorizados que ele é sempre correu de igual pra igual, superando eles em diversas ocasiões, Villeneuve, Barrichello, Hamilton e Alonso estão aí para provar.
    Gostaria de ver alguns pilotos que tem mostrado resultados na GP2 subirem ano que vem, Gasly vai estar na Toro Rosso, certeza, gostaria de ver Giovinazzi em alguma vaga também.

  6. Andre disse:

    Adoro o Barrichello, mas tenho certeza que ele torceu desesperadamente para o Button pular fora da F1, e manter, ao menos por enquanto, o recorde de piloto com mais corridas na F1.

  7. Marchi disse:

    Button é um cara legal, bom piloto sem dúvida, mas… tá na hora de deixar outras pessoas correrem em cockpits descentes se é que podemos chamar a atual McLaren assim. Talvez se ele fosse menos passivo (tipo Raikkonen) seria interessante ainda vê-lo correr.

    Por isso sou a favor que as grandes equipes tenha um satélite como faz a Red Bull. O piloto não fica mais que duas temporadas. Se não brilha, caí fora e dá a chance para outro piloto mostrar seu potencial. A Ferrari e a Mercedes bem que poderiam tomar partido ao invés de “patrocinar” equipes intermediárias.

  8. Vinicius disse:

    Pode anotar: o melhor lugar para um piloto com pouca idade entrar é na Renault! Os franceses tem cacife para serem campeões e já mostraram isso! É questão de tempo! Uns 4 ou 5 anos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>