MENU

30 de outubro de 2016 - 11:19Rali

WRC: Ogier vence Rali da Grã-Bretanha e Tanak é a grande surpresa

9983_Wales-DMack-Tanak-2016_1_896x504

Ott Tanak guiou como nunca nas estradas do País de Gales, foi o mais rápido em várias especiais e deu trabalho ao vencedor Sébastien Ogier no Rali da Grã-Bretanha

RIO DE JANEIRO - Surpresa nenhuma ver Sébastien Ogier mais uma vez no topo do pódio num evento do Mundial de Rali (WRC). O piloto francês da Volkswagen, já consagrado tetracampeão mundial, conquistou seu sexto triunfo no ano – quarto consecutivo – e 38º em toda a sua trajetória na competição. Mas surpresa mesmo, e das grandes, foi o 2º colocado do Rali da Grã-Bretanha, penúltimo do calendário de 13 provas.

O estoniano Ott Tanak, em seu Ford Fiesta equipado com os pneus Dmack, foi a sensação da prova, que teve um total de 22 especiais com pouco mais de 330 km de percurso. Ele não se deu por vencido em nenhum momento e neste domingo, simplesmente trucidou parte da diferença que o separava de Ogier, desde o primeiro dia sólido na liderança. Dos quase 34 segundos que os separavam, Tanak diminiu a margem em quase 24 – terminou a 10″8 do adversário e ainda levou os três pontos extras do Power Stage, a última especial disputada em Brenig com 7,93 km. O piloto do Ford #12 foi o mais rápido, com Andreas Mikkelsen em segundo e Thierry Neuville em terceiro.

O nórdico da Volkswagen, inclusive, foi o maior perdedor do fim de semana: com problemas, ele foi impedido de brigar na linha de frente e também ficou fora de esquadro para pontuar no top 10. Acabou não só em 12º como viu Neuville, mediante o 3º lugar – terceiro seguido do belga da Hyundai – lhe roubar a vice-liderança do campeonato e abrir 14 pontos, restando apenas o Rali da Austrália como último evento do ano.

Hayden Paddon conquistou um interessante 4º lugar, que o deixa com possíbilidades ainda remotas de lutar pelo vice com Neuville e Mikkelsen. E o britânico Kris Meeke, após performances espetaculares em várias das etapas que disputou nesta temporada, dessa vez não pôde brigar pela vitória, terminando com o quinto posto. Dani Sordo fechou os seis primeiros à frente de Jari-Matti Latvala e de Mads Østberg – que agora não tem mais chance alguma de brigar por uma posição melhor na tabela.

Em seu retorno ao WRC depois do forte acidente que sofreu no Rali da Alemanha, e que deixou seu navegador Garbin Moreau ainda fora de combate, Stéphane Lefévbre conquistou a 9ª posição final. O último ponto disponível ficou com o outro Ford da equipe M-Sport, numa performance discreta do francês Eric Camilli.

No WRC2, com Elfyn Evans já tendo cumprido a cota de 7 provas disputadas como manda o regulamento, a vitória foi do finlandês Esapekka Lappi, que completou o evento em 11º lugar na geral. O piloto da Skoda chegou a 107 pontos e três triunfos na temporada. Como ele ainda tem possibilidade de disputar o Rali da Austrália e fechar o número máximo de participações, o campeonato segue em aberto: Elfyn Evans continuará com os mesmos 120 pontos que possui, enquanto o também finlandês Teemu Sunninen, que fechou o Rali da Grã-Bretanha em 3º lugar na categoria, também chegou a 120 pontos e com as mesmas três vitórias do piloto do País de Gales.

Um simples 3º lugar dá o título mundial a Lappi. Caso ele fracasse e chegue em qualquer outra posição abaixo desta, Evans será o campeão no desempate por resultados – o piloto da M-Sport tem um 3º lugar e Sunninen, nenhum.

O resultado final do Rali da Grã-Bretanha:

1. Ogier-Ingrassia (VW Polo Wrc) – 3.14’30”2
2. Tanak-Molder (Ford Fiesta RS Wrc) + 10”2
3. Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 Wrc) + 1’35”4
4. Paddon-Kennard (Hyundai i20 Wrc) + 1’54”9
5. Meeke-Nagle (Citroen DS3 Wrc) + 2’35”2
6. Sordo-Marti (Hyundai i20 Wrc) + 4’02”6
7. Latvala-Anttila (VW Polo Wrc) + 4’28”3
8. Ostberg-Floene (Ford Fiesta RS Wrc) + 4’38”3
9. Lefebvre-De Turckheim (Citroen DS3 Wrc) + 7’12”2
10. Camilli-Veillas (Ford Fiesta RS Wrc) – 8’19”3

Classificação do campeonato após 12 etapas:

1. Sébastien Ogier (campeão) – 247 pontos
2. Thierry Neuville – 143
3. Andreas Mikkelsen – 129
4. Hayden Paddon – 126
5. Dani Sordo – 119
6. Jari-Matti Latvala – 110
7. Mads Østberg – 94
8. Ott Tanak – 82
9. Kris Meeke – 64
10. Craig Breen – 36
11. Eric Camilli – 28
12. Stéphane Lefévbre e Henning Solberg – 14
14. Esapekka Lappi e Martin Prokop – 12
16. Kevin Abbring – 10
17. Pontus Tidemand e Teemu Sunninen – 8
19. Jan Kopecky – 7
20. Marcos Ligato e Elfyn Evans – 6
22. Lorenzo Bertelli – 4
23. Armin Kremer e Nicolás Fuchs – 2
25. Valeriy Gorban – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>