MENU

28 de novembro de 2016 - 13:59WTCC

Numa corrida de despedidas, Muller confirma vice do WTCC em Losail

tarquini_16112601-630x354

Gabriele Tarquini venceu em Losail na despedida da Lada do WTCC; e o vice-campeonato foi decidido em favor de Yvan Muller (Foto: WTCC/Divulgação)

RIO DE JANEIRO - Os preparativos, os problemas e a viagem para as 500 Milhas de Londrina me impediram de falar da última etapa do Mundial de Carros de Turismo (WTCC), que foi realizada na sexta-feira passada no circuito de Losail, no Catar. O fechamento de uma temporada já definida em favor do argentino Jose María “Pechito” López foi em tom de despedidas: além da Citroën, a Lada fez sua última aparição na categoria como equipe oficial. E o francês Yvan Muller, um dos maiores nomes da história da categoria, estava a bordo do C-Elysée #68 pela última vez como piloto.

Para o veterano francês, bastou impedir que Tiago Monteiro o superasse na classificação do Mundial de Pilotos, para assim garantir o vice-campeonato. Muller foi 4º colocado na primeira corrida e 6º na segunda. O abandono do piloto da Honda na prova #1 (que foi responsável inclusive por uma bandeira vermelha de 15 minutos), afora uma quinta colocação na corrida de fundo, foram o bastante para que “Yvan, o terrível” conseguisse se manter à frente do adversário.

“Pechito” López encerrou sua trajetória no WTCC rumo ao WEC como futuro piloto da Toyota com um pódio, chegando na prova final na 3ª colocação, após o nono lugar na corrida de abertura. Na primeira corrida, o vencedor foi Gabriele Tarquini, que deu à Lada sua última vitória na categoria. O experiente italiano de 54 anos largou da 3ª posição com o grid invertido entre os dez primeiros do Q2 e faturou a corrida com imensa facilidade – 5″321 de vantagem para Tom Chilton, que corre com um Citroën da Sébastien Loeb Racing.

Pole position para a prova principal, o marroquino Mehdi Bennani foi o vencedor da 22ª e última corrida do campeonato, com somente 1″176 de vantagem para Thed Björk. A Volvo fecha o ano com resultados positivos: além da primeira vitória dos azuis em Xangai, chegam ao segundo pódio do ano, justamente na corrida derradeira de 2016.

O resultado da prova #1:

1 – Gabriele Tarquini (Lada Vesta) – Lada – 14 voltas em 46’16″258
2 – Tom Chilton (Citroen C-Elysee) – Loeb – 5″321
3 – Rob Huff (Honda Civic) – Honda – 5″930
4 – Yvan Muller (Citroen C-Elysee) – Citroen – 7″608
5 – Norbert Michelisz (Honda Civic) – Honda – 9″070
6 – Thed Bjork (Volvo S60) – Volvo – 9″675
7 – Robert Dahlgren (Volvo S60) – Volvo – 10″255
8 – Nick Catsburg (Lada Vesta) – Lada – 10″871
9 – José María López (Citroen C-Elysee) – Citroen – 11″591
10 – James Thompson (Chevrolet Cruze) – Munnich – 15″375

O resultado da prova #2:

1 – Mehdi Bennani (Citroen C-Elysee) – Loeb – 15 voltas em 32’38″479
2 – Thed Bjork (Volvo S60) – Volvo – 1″176
3 – José María López (Citroen C-Elysee) – Citroen – 4″815
4 – Norbert Michelisz (Honda Civic) – Honda – 10″575
5 – Tiago Monteiro (Honda Civic) – Honda – 11″827
6 – Yvan Muller (Citroen C-Elysee) – Citroen – 12″39
7 – Gabriele Tarquini (Lada Vesta) – Lada – 14″994
8 – Rob Huff (Honda Civic) – Honda – 17″037
9 – Tom Coronel (Chevrolet Cruze) – Roal – 18″379
10 – James Thompson (Chevrolet Cruze) – Munnich – 20″819

Classificação final do campeonato após 11 rodadas e 22 corridas:

1. José María López – 381 pontos
2. Yvan Muller – 257
3. Tiago Monteiro – 214
4. Norbert Michelisz – 213
5. Mehdi Bennani – 201
6. Robert Huff – 199
7. Nicky Catsburg – 175
8. Tom Chilton – 163
9. Gabriele Tarquini – 122
10. Thed Björk – 117
11. Tom Coronel – 111
12. Hugo Valente – 78
13. Frëdrik Ëkblom – 47
14. James Thompson – 26
15. Néstor Girolami – 12
16. Grégoire Demoustier – 11
17. John Filippi e Estebán Guerrieri – 9
19. Robert Dahlgren – 6
20. René Münnich e Ferenc Ficza – 2
22. Sabine Schmitz – 1

2 comentários

  1. Danilo disse:

    Uma pena que o WTCC poderá deixar de existir,até por ter abrigado pilotos como Tiago Monteiro,José María López,Yvan Muller e algumas corridas interessantes,até mais que a Fórmula 1 nos últimos anos.Se caso o WTCC realmente deixe de existir,espero que esses três pilotos tenham um destino muito melhor.No mais,excelente matéria como sempre Rodrigo.

    • Rodrigo Mattar disse:

      O WTCC deve continuar em 2017, mas abrindo a possibilidade de entrar carros dentro de outro regulamento para garantir que o grid não tenha menos de 16 carros e asssim evitar o cancelamento da temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>