MENU

5 de dezembro de 2016 - 09:52Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (351)

2013618154353_raulboesel-jaguar_O

RIO DE JANEIRO - No domingo dia 4 de dezembro, vulgo ontem, Raul Boesel completou 59 anos muito bem vividos. O antigo piloto de Fórmula 1 e Fórmula Indy, hoje DJ que se apresenta mundo afora, conquistou em 1987 uma glória até hoje jamais alcançada por nenhum outro brasileiro. Naquele ano, Raul arrebatou o título do Campeonato Mundial de Endurance, então conhecido como World Sportscar Championship, com seus poderosos Esporte-Protótipos Grupo C.

Após perder uma vaga quase certa na equipe Newman-Haas de Fórmula Indy, Raul viu na revista britânica Autosport que a Jaguar – ou melhor, Tom Walkinshaw – precisava de pilotos para fazer a temporada do Mundial de Endurance. Entrou em contato, fez o teste e foi contratado. Passaria a receber £ 80 mil, mais as despesas de viagem. Primeiro, assinou em uma folha em branco e depois a situação de Raul com a Jaguar foi legalizada.

Há alguns anos, ele me contou que o carro tinha tanta pressão aerodinâmica e tanta potência que conseguia nos circuitos velozes – como Silverstone, por exemplo – ser tão rápido quanto um Fórmula 1 daquele ano. Raul classificaria tranquilamente o seu Jaguar XJR-8 no grid da corrida britânica em 1987, tamanha era a performance daquele bólido com um poderoso motor V-12 7 litros.

Como teve diversos parceiros ao longo do ano – Eddie Cheever, Jan Lammers e John Nielsen foram alguns deles – Raul chegou à 9ª e penúltima etapa da temporada, os 1000 km de Spa-Francorchamps, marcados para o dia 13 de setembro de 1987, com chance de ser campeão sozinho. A equipe confiava na possibilidade, tanto que Boesel foi inscrito nos três carros. Mas ele só pilotaria no dia da prova o que tivesse mais chances de vencer.

O carro #6, com os britânicos Martin Brundle e Johnny Dumfries – ambos também com passagens pela Fórmula 1 – tinha sofrido um acidente durante os treinos e largara da 6ª posição do grid que contou com 32 carros. Mas com o decorrer da disputa, sob chuva, era o carro da fábrica britânica que estava melhor posicionado. Raul fez sua parte e o Jaguar não só venceu a prova como deu ao brasileiro o até hoje inédito título de Campeão Mundial de Endurance.

Há 29 anos, direto do túnel do tempo.

9 comentários

  1. Gustavo disse:

    Infelizmente, naquela época, não existiam a internet e os blogs, como o do Rodrigo Mattar, para cobrir aqueles eventos que a “grande mídia” não divulga.

    Conta-se que não havia um único repórter brasileiro no dia daquela conquista, única para o país.

    Brasil…

  2. Marcio D disse:

    Titulo infelizmente pouco reconhecido(ou desconhecido) no Brasil.
    E os carros do Grupo C da época alem de serem excelentes, onde tínhamos uma briga dos aspiradões com os turbos, dão de 10 a 0 na em termos de beleza nos atuais P1 do WEC.
    Os autódromos lotavam para vê-los correr e ai Bernie(que era um dos vices da FIA) vendo na categoria uma ameaça aos seus interesses econômicos na F-1, influenciou por ruma mudança de regulamento nela, o que acabou afastando os fabricantes.

  3. Al Unser Jr. disse:

    Grande Raul 1B!

    Me lembro da Bandeirantes transmitir – em uma segunda de tarde – uma corrida dessas, onde ele estava na Jaguar.

    Bons tempos do esporte a motor.

  4. Ork disse:

    Posso estar enganado, mas o incrível Raul só não levou Le Mans por causa do inacreditável Mazda 787B!!!

    Parabéns Raul e Rodrigo Mattar

  5. TARCISIO FRASCINO FONSECA disse:

    Em 1988 Quatro Rodas Vídeo lançou fitas de vídeo cassete com a temporada 1987 do World Sportscar Championship. E também do Campeonato Mundial de Rali (o primeiro após o banimento dos supercarros do Grup0 B).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>