MENU

4 de maio de 2017 - 15:05IMSA Weather Tech SportsCar Championship

IMSA: os imbatíveis “Irmãos Metralha” dão as cartas em Austin

Cadillac-WTR

Começou cedo: os irmãos Jordan e Ricky Taylor partem em busca da quarta vitória consecutiva no Weather Tech SportsCar Championship

RIO DE JANEIRO - A quarta etapa do IMSA Weather Tech SportsCar Championship começa no Circuito das Américas (COTA) com o mesmo painel das três corridas anteriores: os “Irmãos Metralha” Ricky e Jordan Taylor foram os mais rápidos do primeiro treino livre que abriu as atividades para a prova de sábado à tarde em Austin, capital do Texas.

Trinta e nove dos 40 carros prometidos – a Starworks decidiu se ausentar da corrida na classe Prototype Challenge – tomaram parte do primeiro treino. Ricky Taylor foi o piloto mais rápido dos ensaios, marcando 1’57″116 a bordo do Cadillac DPi-V.R da equipe Konica Minolta Wayne Taylor Racing. João Barbosa, no #5 da Mustang Sampling Action Express Racing, foi batido por apenas 0″077.

O treino foi totalmente dominado pelos protótipos DPi, com seis deles entre os seis mais rápidos: Ryan Dalziel ficou em 3º a bordo do #2 da Tequila Patrón ESM, seguido pelo Mazda de Jonathan Bomarito e por Dane Cameron no terceiro Cadillac.

Renger Van der Zande ficou com a 7ª marca e registrou a melhor volta entre os pilotos com protótipos LMP2, a 1″168 do melhor tempo. Christian Fittipaldi completou 10 voltas e deixou para Barbosa o trabalho de andar no mesmo ritmo dos “Irmãos Metralha”. O brasileiro virou 1’58″510 como o seu melhor tempo na primeira sessão.

Com o plantel reduzido para apenas três carros diante da desistência da Starworks, a Prototype Challenge teve o domínio da Performance Tech Motorsports, com o mexicano Pato O’Ward marcando 2’00″522 – mais rápido que alguns nomes da divisão principal. Ninguém chegou no ritmo do piloto, pois os outros carros da categoria ficaram a mais de cinco segundos de diferença – Stefan Wilson fez 2’05″223 e Buddy Rice, 2’07″327.

Na GTLM, Dirk Muller estabeleceu o melhor tempo do primeiro treino – 2’03″739 – com o Ford #66 da equipe de Chip Ganassi. A boa surpresa foi a BMW do alemão Martin Tomczyk em segundo, trazendo a seguir o outro Ford com Ryan Briscoe e a segunda BMW, com Alexander Sims. O Corvette de Tommy Milner fez o 5º tempo, seguido pelos Porsches de Patrick Pilet e Laurens Vanthoor. A única Ferrari ficou em 8º, graças a Toni Vilander. Dos nove carros inscritos, sete ficaram dentro do mesmo segundo.

Pole em Sebring com a Mercedes-AMG GT3, o francês Tristan Vautier foi o mais rápido entre os carros da divisão GTD, que tem 17 inscritos neste fim de semana em Austin. O piloto do carro #75 marcou o tempo de 2’06″491, mais de meio segundo abaixo do holandês Jeroen Bleekemolen, que lidera o campeonato junto a Ben Keating.

Alessandro Balzan foi o 3º com a Ferrari da Scuderia Corsa e Dan Knox, comprovando a força das Mercedes no COTA, ficou com o 4º tempo na primeira aparição da Lone Star Racing nesta temporada. Andrew Davis fez o 5º tempo com o Audi R8 LMS da Stevenson Motorsports e Bryan Sellers deixou o melhor Lamborghini na sexta posição.

Oswaldo Negri fez o tempo de 2’08″537 com o Acura NSX-GT3 da Michael Shank Racing e ficou com a 12ª colocação em sua categoria. Os pilotos voltam ainda hoje ao COTA para mais uma sessão de treinos livres no Texas.

 

10 comentários

  1. Luciano disse:

    Mattar,

    Como vai ser a cobertura da Fox da corrida?? Ao vivo ou o bom e velho VT?? Do jeito que for, quero ver, pois ao contrário do WEC, a IMSA é bem mais atrativa em termos de disputas e diversidade de marcas, exceto a já moribunda e respirando por aparelhos Prototype Challenge…

    E perguntinha boba: se a WEC adotasse o regulamento da Prototype da IMSA para os LMP-1 sem sistemas hibrídos, não seria a salvação da lavoura da categoria-mãe do WEC??

    • Rodrigo Mattar disse:

      Vai ser VT às 23h.

      E sobre o regulamento, meu caro, eu vou repetir o que já disse várias e várias vezes: o regulamento até poderia ser usado, desde que o ACO criasse uma subclasse IMSA. Os chassis são LMP2. Existem diferenças sutis em relação aos LMP1, principalmente na largura dos carros e em especial quanto à performance.

      • Luciano disse:

        Valeu, Mattar!!!

        E sei não, se a ACO não der o jeito dela, o WEC vai minguar na LMP-1. A Peugeot pode até estar acenando para 2019, mas ela cutucou que o custo atual da categoria está puxado… E convenhamos que só duas marcas na categoria principal não tem graça e não me assusto se no fim deste ano ou em 2018 a Toyota diga tchau, principalmente se tirarem a zica e faturem finalmente Le Mans este ano… Mas se dançarem de novo, estão vazando este ano mesmo sem olhar para trás…

      • Rodrigo Mattar disse:

        A Ginetta está construindo protótipos LMP1 para privados. E a SMP Racing vai correr com seu projeto na plataforma que a Dallara vai desenvolver.

  2. Leonardo disse:

    Porque os chassis Dalara dominam o IMSA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>