MENU

22 de maio de 2017 - 17:02Rali

Ogier conquista Rali de Portugal e alcança marcas históricas no WRC

11390_ogier-jump-dust-portugal-2017_444_896x504

Salto em meio à poeira: Sébastien Ogier iguala Markku Alen como o maior vencedor da história do Rali de Portugal e dá um passo importante na luta pelo pentacampeonato do WRC

RIO DE JANEIRO - Quem é rei não perde a majestade. E o tetracampeão Sébastien Ogier mostra que está afiado em busca do penta. O francês da M-Sport Ford conquistou neste fim de semana o Rali de Portugal, sexto de um total de 13 eventos do WRC. Não só manteve a liderança do campeonato como também alcançou a quinta vitória no evento – igualando o recorde do finlandês Markku Alen, inalcançável há 30 anos. E este foi o 50º triunfo de Seb II no Mundial de Rali.

No primeiro dia, não parecia que seria assim: aliás, as alternâncias de líder no evento foram assustadoras. A gangorra da classificação foi tamanha que nada menos que seis pilotos figuraram em 1º e Ott Tanak, companheiro de Ogier, fechou o primeiro dia pra valer do Rali de Portugal como o mais rápido nas trilhas.

Mas o estoniano acabou vítima de uma quebra de suspensão ao entrar quente demais numa curva. Deu com a roda traseira numa barreira durante a primeira passagem por Amarante. E acabou presenteando Ogier com a liderança. Não foi difícil para o francês controlar a situação e levar o triunfo com quase 16 segundos de vantagem para Thierry Neuville.

Se bem que o belga da Hyundai poderia ter ganho: ele foi prejudicado por ficar na poeira do lento Toyota de Jari-Matti Latvala, que no primeiro dia capotou num trecho de pouca velocidade (alegou um problema de freio) e teve que retornar à trilha em velocidade reduzida, o que exasperou Neuville. Daí a insatisfação e depois o conformismo por não ter chance nenhuma de superar Ogier em condições ‘normais’.

Sem velocidade suficiente para combater a turma da frente, Dani Sordo acabou se beneficiando dos problemas alheios e ficou com o 3º posto geral. Tanak ainda conseguiu o quarto melhor tempo e foi o mais veloz do Power Stage de Fafe, seguido por Craig Breen e Elfyn Evans.

Esapekka Lappi fez uma boa estreia na turma de cima: foi o 10º na geral e terceiro mais rápido do Power Stage. O norueguês Andreas Mikkelsen esteve perto de terminar muito bem colocado com seu Skoda Fabia WRC2, mas na última especial seu carro “miou” e ele entregou a vitória na categoria para Pontus Tidemand. Detalhe que, pela primeira vez em seis provas do campeonato, os 10 primeiros eram todos da categoria principal.

O resultado final do Rali de Portugal:

1 – Ogier-Ingrassia (Ford Fiesta WRC ’17) – 3.42’55”7
2 – Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 WRC ’17) + 15”6
3 – Sordo-Marti (Hyundai i20 WRC ’17) + 1’29”6
4 – Tanak-Jarveoja (Ford Fiesta WRC ’17) + 1’30”2
5 – Breen-Martin (Citroen C3 WRC ’17) + 1’57”4
6 – Evans-Barritt (Ford Fiesta WRC ’17) + 3’10”6
7 – Hanninen-Lindstrom (Toyota Yaris WRC ’17) + 3’48”9
8 – Østberg-Floene (Ford Fiesta WRC ’17) + 5’29”7
9 – Latvala-Anttila (Toyota Yaris WRC ’17) + 5’43”6
10 – Lappi-Ferm (Toyota Yaris WRC ’17) + 8’13”3

Classificação do WRC após a 6ª etapa:

1. Sébastien Ogier – 128 pontos
2. Thierry Neuville – 106
3. Jari-Matti Latvala – 88
4. Ott Tanak – 83
5. Dani Sordo – 66
6. Elfyn Evans – 53
7. Craig Breen – 43
8. Hayden Paddon – 33
9. Kris Meeke – 27
10. Juho Hänninen – 21
11. Andreas Mikkelsen – 12
12. Stéphane Lefévbre – 10
13. Mads Østberg – 6
14. Teemu Sunninen – 5
15. Jan Kopecky e Pontus Tidemand – 4
17. Esapekka Lappi – 3
18. Stéphane Sarrazin – 2
19. Bryan Bouffier e Yohan Roussel – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>