MENU

27 de junho de 2017 - 01:14Automobilismo Internacional

Enquanto isso, lá nos EUA…

lights-r1-ra-2017-banner

RIO DE JANEIRO - Se Nicolas Costa foi bem – e muito bem, eu diria – em sua prova de estreia no Blancpain GT Series Asia, o que dizer da molecada que continua impressionando nos EUA? Os “Boys From Brazil” vêm fazendo um bonito papel nas categorias de acesso à Fórmula Indy e pelo menos dois deles estão com os nomes em destaque.

O gaúcho Matheus Leist é quem está mais em evidência no momento. Principalmente pela vitória conquistada em Indianápolis e por ter ganho duas consecutivas na Indy Lights – ele venceu neste fim de semana a prova #1 disputada em Elkhart Lake. Com o quarto posto na prova #2, deste domingo, somou pontos suficientes para alcançar a vice-liderança, ganhando quatro posições e subindo para a vice-liderança. Leist está a 27 pontos do líder Kyle Kaiser. A próxima rodada é no oval de Iowa.

Na Pro Mazda Championship, Victor Franzoni luta contra todas as dificuldades possíveis para seguir lutando pelo título. Na rodada de Road America, o piloto venceu uma das provas e foi 2º colocado na outra. O maior rival dele, Anthony Martin, também teve o mesmo desempenho no fim de semana. A diferença entre eles é de sete pontos e ainda restam seis corridas para se encerrar o campeonato. Carlos Cunha Filho, um dos novatos da categoria, é o 5º colocado com 103 pontos.

E Lucas Kohl foi ao pódio na prova da USF2000, outra categoria que faz parte do programa Mazda Road To Indy. O piloto chegou em 3º lugar numa das provas disputadas em Elkhart Lake e está na oitava posição do campeonato com 79 pontos. Oliver Askew é o líder absoluto com 215. Faltam ainda quatro rodadas e mais seis corridas até o fim da temporada.

3 comentários

  1. PÁU NELES GURÍ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Arthur Luz disse:

    Rodrigo, a história do Victor Franzoni é muito legal. O cara faz das tripas coração pra correr.
    Mas não tem ninguém de lá que dê um suporte ‘extra’ pro rapaz?
    Eu sei que daqui da Pátria Amada ninguém vai se interessar (espero que esteja errado) em patrocinar. Também não sei como anda essa parte da vida dele.

    Se ele não for campeão e ter a temporada na Lights ‘custo zero’, será que ele aguenta outro ano na Pro Mazda?

    Abraço!

    • Rodrigo Mattar disse:

      Arthur, a meta é ser campeão para exatamente poder ter direito ao certame custeado na Indy Lights. Sem o título, acho que infelizmente o automobilismo pode perder um piloto de excepcional talento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>