MENU

14 de junho de 2017 - 23:44Rali

WRC: vitória de Tanak no Rali da Sardenha

11549_tanalk-spray-sardinai-2017_111_896x504

RIO DE JANEIRO - Pausa nos assuntos de 24 Horas de Le Mans para falar do World Rally Championship: a 7ª etapa da temporada, o Rali da Sardenha, na Itália, serviu para pôr um pouco mais de pimenta num campeonato que está espetacular, como há muito tempo não se via.

O homem mais feliz desta vez – e merecidamente, pois já vinha batendo há tempos na trave – foi o estoniano Ott Tänak, que com uma pilotagem exemplar ao lado do navegador Martin Jarvejoja, provou que a Ford M-Sport tem dois carros capazes de levar a marca do oval de Detroit ao título mundial em 2017. O azar estava do lado contrário: Tanak estava em 2º na classificação geral, quando o neozelandês Hayden Paddon, que comandava a classificação até o sábado, teve um acidente que lhe custou uma quebra de suspensão e uma possível vitória.

“Foi um erro de principiante. Errei uma curva e bati num barranco”, explicou desapontado o “kiwi”.

No último dia de provas, que culminou com a vitória de Tänak, Jari-Matti Latvala tentou se apresentar como o homem a destronar o líder do topo do pódio. Mas o finlandês da Toyota também tinha lá os seus problemas e, depois de um Rali bastante atribulado, ainda contentou-se com um bom 2º lugar. Thierry Neuville, que em alguns momentos durante o evento mostrou grandes doses de irritação, ficou em terceiro e se aproximou ainda mais de Sébastien Ogier na classificação do campeonato.

11547_sardinia-tanak-bottle-2017_111_896x504

Além da vitória de Tänak, outro grande destaque da etapa foi a performance sólida do finlandês Esapekka Lappi. Mesmo sem a 2ª marcha de seu Yaris, quebrada no primeiro dia, o nórdico não baixou os braços e deu show. Venceu cinco especiais – inclusive o Power Stage – e conquistou um excelente quarto lugar, seu melhor resultado em sua curta trajetória como piloto Toyota no WRC. Juho Hänninen, após um mau início de campeonato, também vem mostrando progressos e ficou em sexto.

E Ogier? Pois é: o francês começou mal porque – como é hábito no primeiro dia – abriu a trilha, queixou-se de falta de aderência e o carro #1 desta vez não tinha o ritmo ideal. Furos de pneus também atrasaram o tetracampeão e no fim das contas até que o 5º posto não foi tão ruim assim.

Se comparado com Kris Meeke, o Rali da Sardenha foi um sonho para Ogier.

Porque para o irlandês foi um inferno.

Uma capotagem logo no primeiro dia destruiu a “Roll Cage” de seu Citroën e ficou invíavel para o britânico continuar na prova. E provavelmente os dias do vencedor do Rali do México como piloto da casa francesa estão contados. Yves Matton anunciou logo após a disputa da prova na Itália que Andreas Mikkelsen, que estreou com a 8ª colocação, vai disputar mais uma etapa – o Rali da Polônia, próximo evento do campeonato. E justamente no carro que seria de Kris Meeke.

Após o pior resultado na temporada, Ogier agora vê a diferença para Thierry Neuville baixar para 18 pontos, isso restando ainda seis eventos e pelo menos 180 pontos em jogo. E não é só isso: Ott Tanak e Jari-Matti Latvala não estão tão longe assim, o que anima muito a reta final da temporada.

O resultado final do Rali da Sardenha:

1. Tänak-Jarvejoja (Ford Fiesta WRC’17) – 3:25:15.1
2. Latvala-Anttila (Toyota Yaris WRC’17) – a 12.3
3. Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 WRC’17) – a 1:07.7
4. Lappi-Ferm (Toyota Yaris WRC’17) – a 2:12.9
5. Ogier-Ingrassia (Ford Fiesta WRC’17) – a 3:25.3
6. Hänninen-Lindström (Toyota Yaris WRC’17) – a 3:38.5
7. Østberg-Fløene (Ford Fiesta WRC’17) – a 6:31.8
8. Mikkelsen-Jaeger (Citroën C3 WRC’17) – a 8:07.8
9. Camilli-Veillas (Ford Fiesta WRC R5) – a 11:15.8
10. Kopecky-Dresler (Skoda Fabia WRC R5) – a 11:21.4

Classificação do campeonato:

1. Sébastien Ogier – 141 pontos
2. Thierry Neuville – 123
3. Ott Tänak – 108
4. Jari-Matti Latvala – 107
5. Dani Sordo – 70
6. Elfyn Evans – 53
7. Craig Breen – 43
8. Hayden Paddon – 33
9. Juho Hänninen – 29
10. Kris Meeke – 27
11. Esapekka Lappi – 20
12. Andreas Mikkelsen – 16
13. Mads Østberg – 12
14. Stéphane Lefévbre – 10
15. Teemu Suninen e Jan Kopecky – 5
17. Pontus Tidemand – 4
18. Eric Camilli e Stéphane Sarrazin – 2
20. Yohan Rossel e Brian Bouffier – 1

2 comentários

  1. wellington disse:

    Parabéns ao Tanak, o cara merecia a muito tempo uma vitória…

    Sem perder a piada, o Meeke e o Paddon estão disputando para ver quem pega o lugar o Jary-bate Latvala como o maior destruidor de carros do WRC hahahhaha

    Falando sério, quanto ao Meeke e ao Paddon… ambos são muito rápidos e excelentes pilotos, mas cometem cada erro besta que dói de ver… Veja o Paddon que no Domingo retornou ao Rally e destruiu novamente o i30… era só pro cara levar o carro até o fim e tentar pontuar no Power Stage…. O Meeke estava visivelmente pra baixo… deu pena… talvez essa “pausa” de um Rally seja boa pra ele, pra colocar a “cabeça” no lugar e acabar com essa sina de não terminar os rallys. Mesmo porque parece que o Mikkelsen veio para ajudar a Citroen a somar pontos no campeonato, e não para tomar o lugar do Meeke, tudo isso pois os pilotos oficiais justamente não tem conseguido terminar rallys e somar pontos! Para o Mikkelsen é merecido… o cara foi vice ano passado e foi correr o WRC2, um tremendo desperdício…

  2. José Carlos disse:

    Realmente merecida esta tão esperada primeira vitória de Ott Tänak no WRC, cujo programa ainda está em apresentação no Fox Sports2.

    Além de acrescentar mais um protagonista neste já tão disputado campeonato, amplia as possibilidades de um também merecido título para a Ford, pois apesar de sua tradicional presença, a marca só obteve três títulos de construtores, em 1979, 2006 e 2007.

    Além disso, a vitória de Tänak traz de volta a presença tão ansiada em seu país de mais um piloto estoniano lutando por vitórias (e se possível por títulos) desde que Markko Martin abandonou o WRC em 2005. Ainda que territorialmente a Estônia esteja situada em área pertencente ao chamado Leste Europeu, e que economicamente não esteja no mesmo nível dos países escandinavos, conta com uma grande proximidade geográfica (faz limite pelo Mar Báltico) e cultural, além de um idioma muito similar ao da Finlândia, com a qual compartilha também de uma grande paixão pelo rally, produzindo alguns pilotos que às vezes chegam ao nível dos melhores de seus vizinhos. Tanto é que, em 60 anos de história, o único estrangeiro a vencer o supercompetitivo Campeonato Finlandês de Rally, superando os donos da casa, foi o estoniano Karl Kruuda, em 2014.

    Outra grata surpresa foi o pódio obtido na WRC2 por uma dupla da Tommi Mäkinen Racing, com o terceiro lugar do japonês Takamoto Katsuta, navegado pelo finlandês Marko Salminen, que esteve aqui no Brasil em 2009 disputando uma etapa da Copa Peugeot em comemoração aos 80 anos da Colônia Finlandesa de Penedo-RJ. Na época ele obteve o segundo lugar na prova brasileira, navegando o conterrâneo Jussi Tiippana, sendo que em seu país ambos disputavam o Campeonato Finlandês com Subaru Impreza, pela mesma Tommi Mäkinen Racing.

    Finalizando, gostaria ainda de comentar que a alguns dias atrás tive a satisfação de ver em um programa do Boa Tarde Fox uma matéria com imagens e comentários do Rodrigo Mattar sobre o Rally Internacional de Erechim. Não sei se outras matérias com conteúdos como este são apresentadas neste programa, pois lamentavelmente devido ao horário de apresentação quase nunca posso vê-lo, mas de toda maneira ficam aqui os meus cumprimentos pela inclusão de notícias sobre o nosso rally nacional na programação da emissora. Espero que, sempre que possível, dêm alguma notícia sobre a modalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>