MENU

9 de julho de 2017 - 22:22IMSA Weather Tech SportsCar Championship

Corrida insana e vitória dos atuais campeões da IMSA em Mosport

1A6AEA7B-0CBB-4FF5-8DA6-A2DBC602A943

Nem eles talvez acreditassem: Dane Cameron e Eric Curran venceram em Mosport, mantendo a invencibilidade dos Cadillac DPi na IMSA (Foto: Brian Cleary/BCPix.com)

RIO DE JANEIRO - A 7ª etapa do IMSA Weather Tech SportsCar Championship disputada hoje à tarde no Canadian Tire Motorsports Park, em Mosport, teve absolutamente todos os ingredientes que uma – boa – corrida precisa ter. Emoção do começo ao fim, grandes disputas, imprevisibilidade, alguns acidentes – felizmente sem ninguém ferido gravemente – e um final insano. No frigir dos ovos, riu por último a Cadillac, que continua invicta na temporada de estreia dos protótipos enquadrados no regulamento DPi e os atuais campeões Dane Cameron e Eric Curran foram premiados com uma vitória que lhes caiu no colo.

É que os favoritos e dominadores ‘irmãos Metralha’ Jordan e Ricky Taylor resolveram fazer de um tudo neste domingo. Largaram da pole, foram duramente combatidos pelo Oreca Gibson LMP2 da JDC-Miller guiado por Misha Goikhberg/Stephen Simpson, perderam a ponta para os rivais, pareceram jogar a toalha, voltaram à ponta quando choveu e a pista secou – arriscaram se manter com pneus slicks, o que se mostrou uma decisão inteligente e… se envolveram num acidente!

Pois é: no afã de continuar na ponta, Jordan Taylor acabou se enroscando com o Corvette C7-R da classe GTLM guiado por Tommy Milner. Os dois se tocaram e bateram num trecho de alta velocidade. O Corvette parou destruido na barreira de pneus. O #10, com evidentes danos cosméticos na parte traseira, se arrastou na pista rezando para a bandeira amarela ser mais longa que o normal: uma vez que eram os líderes, não teriam problemas se a barreira de pneus não fosse consertada a tempo.

Mas os fiscais foram eficientes e fizeram o serviço para que a relargada fosse dada e o Cadillac DPi-V.R tivesse que seguir pra box para o reparo, perdendo duas voltas e terminando na 7ª posição.

Não foi o pior dos mundos para o “176″ e para o “671″ (entendedores entenderão), porque o português João Barbosa tentou uma ultrapassagem arriscada sobre o mesmo Stephen Simpson com quem terçou bigodes nas 6 Horas de Watkins Glen no fim de semana passado e os dois acabaram batendo. João derrapou e perdeu tempo suficiente para cair ao 6º lugar, numa corrida em que os carros da Action Express jamais estiveram competitivos.

Daí a surpresa pela vitória de Curran e Cameron, só possível pela chuva, pela decisão de não trocar pneus quando a pista molhou e também porque nos últimos momentos o canadense David Ostella, já com parte do traçado encharcado, estampou o Ligier JS P217 da PR1/Mathiasen numa barreira de pneus, capotando e destruindo o protótipo quase que por completo. Ostella saiu dos restos mortais do carro com uma cara de “quanto será que vai ser o prejuízo”…

Mais uma vez, a dupla Simpson/Goikhberg deu trabalho, fez uma grande corrida e chegou de novo em 2º lugar, à frente de Ryan Dalziel/Scott Sharp e Jonathan Bomarito/Tristan Nunez. A rigor, a equipe do #85 amarelo é a única escuderia com os protótipos LMP2 que anda no mesmo nível dos DPi e dá trabalho a todos eles. Não à toa, ocupam o 3º lugar na pontuação, enquanto Fittipaldi/Barbosa subiram para 207 e diminuiram para 19 a diferença em relação aos líderes. Podia ter sido melhor…

“Estou muito chateado, porque perdemos uma oportunidade muito grande de poder encostar no Cadillac #10 no campeonato, principalmente depois de um final de semana difícil. Em grande parte da corrida, nosso carro era o mais lento da pista. Sofremos com o balanço do carro a etapa inteira e continuamos tocando na corrida. Nos beneficiamos de várias situações diferentes e, no final, estávamos andando lá na frente. Mas infelizmente não deu”, lamentou Fittipaldi. “Só fico contente pela vitória do outro carro da equipe Action Express. Poderíamos ter feito a dobradinha, na pior das hipóteses terminar em primeiro e terceiro. Agora é virar a página e partir pra próxima”.

Nessa corrida louquíssima, talvez desse para Pipo Derani emplacar um belo resultado em sua primeira corrida como colega de equipe de Johannes Van Overbeek no Nissan DPi #22 da equipe Tequila Patrón ESM. Mas o carro resolveu ter um problema mecânico e deixar a dupla a pé, um resultado que deixa Pipo em 13º lugar com 94 pontos e três corridas a menos que os pilotos regulares da temporada.

Na divisão Prototype Challenge, apesar de um susto que custou uma parada extra nos boxes após atropelarem a carcaça de um pneu que jazia na pista e não foi visto pelo piloto, a dupla James French/Pato O’Ward conseguiu se manter invicta na temporada. Chegaram à sexta vitória em seis corridas e já estão com uma mão na taça: com 216 pontos, têm 34 de vantagem para Don Yount, o vice-líder. Se na penúltima etapa (para a classe) em Road America superarem uma vantagem de 36 pontos sobre o rival, o título estará no papo para a dupla da Performance Tech Motorsports.

imsa_29207748

Um dois, feijão com arroz: vitória em dobradinha das Bimmers da equipe de Bobby Rahal, com Alexander Sims/Bill Auberlen repetindo o triunfo alcançado em Watkins Glen (Foto: IMSA)

Entre os GTLM, os modelos alemães dominaram a corrida e quase tiveram o pódio inteiro a seus pés. Porsche e BMW, principalmente esta, foram simplesmente dominantes ao longo das 2h40min de prova, cabendo à Corvette uma liderança circunstancial baseada no consumo de combustível. Mas as Bimmers estiveram perfeitas e a dupla Alexander Sims/Bill Auberlen faturou a segunda vitória consecutiva na temporada para a equipe de Bobby Rahal – e em dobradinha, já que Martin Tomczyk/John Edwards foram igualmente excelentes ao longo da disputa.

O último lugar do pódio ficou com o Ford GT EcoBoost de Ryan Briscoe/Richard Westbrook, porque uma falha inesperada tirou de esquadro o Porsche de Dirk Werner/Patrick Pilet e o carro de Gimmi Bruni/Laurens Vanthoor acabou tendo um pneu furado. Antonio Garcia/Jan Magnussen terminaram com o 4º lugar em Mosport e continuam na liderança – só que com apenas três pontos de vantagem (182 a 179) para Sims/Auberlen.

Na GTD, Alessandro Balzan/Christina Nielsen ampliaram a liderança do campeonato para oito pontos em relação a Ben Keating/Jeroen Bleekemolen. A dupla da Scuderia Corsa chegou em 3º lugar com a Ferrari 488 GT3, chegando assim a 203 pontos contra 195 da dupla da equipe Riley Technologies-AMG. Nesta etapa, a vitória foi da Stevenson Motorsports, com o ótimo trabalho realizado por Andrew Davis/Lawson Aschenbach, impedindo a terceira vitória consecutiva do Acura NSX-GT3 de Andy Lally/Katherine Legge.

Oswaldo Negri e Jeff Segal chegaram momentaneamente a ocupar o 2º lugar durante a disputa, mas no trecho final as coisas se complicaram para a dupla da Michael Shank Racing e eles terminaram em décimo lugar na divisão. Com mais 21 pontos somados, permanecem em oitavo na tabela, com 152.

A próxima prova do campeonato será no dia 22 – um sábado – em Lime Rock Park, no estado de Connecticut. Em virtude da pequena extensão do traçado, a IMSA vai levar apenas os carros das classes GTLM e GTD para o evento, que será o sétimo da principal classe de Grã-Turismo e a oitava etapa dos carros derivados do regulamento GT3 da FIA.

5 comentários

  1. Alvaro Ferreira disse:

    Belíssima corrida, mais um show de transmissão, valeu Rodrigo e Cia.
    E dá-lhe BMW!

  2. Antonio Seabra disse:

    Corrida Espetacular !!! Transmissão excelente !!!
    Que foi que disse que endurance não tem emoção ????
    Com a aproximação do final a disputa entre os GT’s estava sensacional. E entre os prototipos, graças a afobação do JT, também ficou demais !!!

    Aguardando a próxima transmissão da FOX…

  3. Luigi disse:

    Infelizmente não pude ver toda transmissão, mas o que vi,foi de encher os olhos e ouvidos, bela corrida, narrativa e comentários feitos por gente do RAMO ,especialistas no assunto. Não narradores esportivos, mais interessados em rebuscarda anarrativa com ufânismo desmedido,
    e carregando mais nas cores do que a nossa visão seja capaz de ver e nossa inteligência, capaz de absorver.
    Parabéns a toda equipe do FOX 2 e muito especialmente ao responsável pela vinda do Edgard de Mello Filho,a as transmissões do FOX 2 ,pois sei que assim como eu ,todos que amamautomobilismo, sentem-se valorizados e respeitados ouvindo os abalizados comentários, feitos para quem ama e entende de automobilismo , por quem sempre foi do meio. Até mesmo quem casualmente assiste a corrida, não tem dificuldade em entender a verdade do que esta sendo comentado. Comentários feitos com conhecimento de causa e não por “achismos mediúnicos ou telepaticos
    Parabéns equipe FOX 2 e obrigado Edgard por tudo que fez e faz pelo automobilismo e seus apaixonados. “

  4. Diney De Lellis disse:

    Rodrigo,
    Dizer que a transmissão foi fantástica, feita por gente do ramo, etc, etc, etc, é chover no molhado. Pensando bem, a corrida esteve à altura dos comentaristas; vibrante, disputadíssima, imprevisível, surpreendente e quando terminou, ficou um gosto de quero mais.

  5. Allan Nicolau disse:

    Que prova, após ver uma F1 ok, assistir uma prova dessa foi incrível, gostaria de parabenizar você é o grupo FOX que estão dando muita moral para o automobilismo, está sensacional, aproveitando a deixa, Rodrigo uma pergunta, o restante da temporada do WEC será transmitido pela FOX? valeu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>