MENU

25 de julho de 2017 - 22:30Super GT

Super GT: campeões triunfam em Sugo

Super-GT-2017-Sugo-Lexus-Denso

A chegada emocionante do último domingo, com o Lexus da Denso Kobelco SARD ganhando do Nissan da S-Road Craftsports por pouco mais de um segundo!

RIO DE JANEIRO - Finalmente: os atuais campeões Heikki Kövalainen e Kohei Hirate chegaram à primeira vitória na atual temporada do Super GT no último domingo. Os pilotos da equipe Denso Kobelco SARD, que conquistaram apenas um pódio nas três etapas anteriores, venceram a prova de 300 km realizada no circuito Sugo Sportsland, com pouco mais de 3,7 km de extensão, numa disputa frenética nas voltas finais. Tanto que a diferença do Lexus dos vencedores para o Nissan da equipe S-Road Craftsports Mola dos pilotos Satoshi Motoyama/Katsumasa Chiyo foi de apenas 1″022 ao fim de 81 voltas completadas.

A corrida começou com pista úmida por conta da chuva, mas as condições melhoraram e a pista secou gradativamente. Entrementes, houve um período de Safety Car por conta de uma batida com o Nissan GT-R guiado pelo brasileiro João Paulo de Oliveira e mais outro, em que o japonês Masaki Tanaka bateu na mesma curva onde acidentou-se o “Oribeira”. Nesse intervalo entre as duas neutralizações da disputa, a Denso Kobelco SARD e a S-Road aproveitaram para fazer o pit stop de seus dois carros, com Kövalainen trocando com Hirate no #1 e Chiyo deixando o #46 com Motoyama. A estratégia deu tão certo que eles colocaram uma volta inteira de vantagem sobre os demais carros.

Motoyama beneficiou-se dos pneus Michelin que tinham melhor performance e deixaram o carro bastante rápido no piso seco, aproximando o Nissan do Lexus de Hirate, equipado com compostos Bridgestone. Mas a chuva deu o ar da graça a duas voltas do fim, o que provocou inclusive a saída de pista dos dois carros que brigavam pela vitória. No fim, Hirate conseguiu prevalecer e a dupla sobe para o 4º lugar no campeonato, com 35 pontos.

Kazuya Oshima/Andrea Caldarelli conseguiram um importante 3º lugar, que deixou a dupla da equipe Wako’s 4CR com a liderança do campeonato, completada a primeira metade da temporada. O japonês e o italiano subiram para 41 pontos, deixando para trás os antigos líderes Ryo Hirakawa/Nick Cassidy, que não tiveram um bom resultado e terminaram a prova em décimo.

O melhor Honda, após a dominante performance nos treinos de classificação, foi o carro #8 da equipe ARTA, do ex-piloto de Fórmula 1 Aguri Suzuki, com Tomoki Nojiri/Takashi Kobayashi, que cravou a pole position. Já o NSX-GT de Takashi Kogure/Koudai Tsukakoshi, 3º no grid e que brigava inicialmente pela liderança, deu um enorme susto quando o motor explodiu e a cobertura do propulsor voou longe com a vibração.

Gainer-Mercedes-Super-GT-Sugo-2017

Estratégia perfeita levou a Mercedes-AMG GT3 da Gainer Tanax de 17º ao topo do pódio na GT300, com a primeira vitória do time na categoria em quase dois anos

Na categoria GT300, riu por último quem fez a melhor estratégia: a Gainer Tanax, graças a Katsuyuki Hiranaka/Björn Wirdheim, veio do 17º lugar entre os carros da divisão para o topo do pódio, oferecendo à tradicional escuderia sua primeira vitória no campeonato desde os 1000 km de Suzuka há dois anos. A dupla também não triunfava no certame desde a prova final de 2014, em Twin Ring Motegi.

A grande surpresa foi o 2º lugar da Ferrari 4888 GT3 de Akihiro Tsuzuki/Morio Nitta, no melhor resultado de um carro do construtor italiano na categoria desde 2011. A Inging & Arnage Racing conquistou um dos mais improváveis pódios de toda a temporada, já que vinham de um enorme acidente em Okayama na abertura do campeonato, que forçou a equipe a não disputar os 500 km de Fuji.

O Toyota 86 Mother Chassis da equipe VivaC ficou em 3º com Takamitsu Matsui/Kenta Yamashita recebendo a quadriculada a uma volta dos vencedores. Terminaram quatro marcas entre os cinco primeiros colocados e sete no top 10. Nada mal.

Com mais um pódio, o segundo consecutivo, a dupla Matsui/Yamashita se estabelece na liderança da GT300 após quatro provas, somando 41 pontos contra 35 de Hiranaka/Wirdheim e da dupla Nobuteru Taniguchi/Tatsuya Kataoka, uma das poucas a marcar pontos em todas as etapas disputadas até aqui.

O próximo mês é decisivo para os rumos do campeonato: no dia 6 será disputada mais uma prova em Fuji, com 300 km de percurso desta vez. E no fim de agosto, teremos – pelo que dizem – a última edição dos 1000 km de Suzuka, com a presença confirmada de Jenson Button a bordo de um Honda NSX-GT do Team Mugen.

1 comentário

  1. Fabio disse:

    Rodrigo, você notou a presença constante de veículos de apoio no meio da pista com apenas bandeiras amarelas localizadas sendo agitadas? Aconteceu mais de uma vez durante a prova, sendo o caso mais chocante quando até ambulância tinha na pista enquanto mais de 5 carros da GT500 disputavam posição.

    Para quem quiser ver: https://www.youtube.com/watch?v=WHZaoVmn0F4&t=1h51m34s

    Já não é a primeira vez, esse ano, que eu vejo isso acontecer nas corridas da SuperGT. Aparentemente os japoneses estão pouquíssimo preocupados com esse aspecto da segurança. Irônico, logo na terra onde ocorreu o fatídico acidente com o Bianchi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>