MENU

25 de outubro de 2017 - 16:42Fórmula E

Nissan elétrica

Nissan-text-logo-1920x1080

RIO DE JANEIRO - Sobe a placa na Fórmula E: a temporada 2017/18 da categoria dos carros elétricos, quarta da história da competição, será a última da Renault. Os franceses, que hoje controlam um percentual superior a 40% da japonesa Nissan, vão trocar com o construtor japonês no quinto campeonato, a partir do certame 2018/19.

Não deixa de ser uma surpresa que a parceira da Dams, campeã três vezes entre as equipes da Fórmula E, esteja deixando a categoria. Mas faz parte do show e a própria Régie já se cansou de fazer isso na Fórmula 1. Tanto que estão na categoria máxima pela quarta vez – onde inclusive devem fincar mais pé ao deixar a Fórmula E. Não se surpreendam se a Renault inclusive fizer o máximo possível de esforços no sentido de trabalhar mais com a McLaren, já que a equipe britânica seguirá com Fernando Alonso, campeão com os franceses em 2005/06, do que até mesmo com a Red Bull.

Para a Nissan, é uma boa chance da marca reerguer seu moral no automobilismo após o fragoroso fracasso do protótipo LMP1 GT-R LM Nismo, que só foi visto nas 24 Horas de Le Mans de 2015 e tinha motor dianteiro. E o interesse só cresce: Audi, BMW (via Andretti), Mercedes-Benz, Porsche, Jaguar, Mahindra, Citroën… olhem só a quantidade de marcas envolvidas com a categoria.

E essa troca de fabricante suscita algumas questões, sendo a principal delas acerca de Sébastien Buemi.

Como a Toyota tem tudo para permanecer no WEC (pelo menos foi o que o fabricante deu a entender) dentro do regulamento que entra em vigor no próximo ano, fica a dúvida: o suíço de nariz avantajado vai seguir no Endurance ou se dedicará aos carros da Fórmula E pela Nissan? Não deixa de ser uma boa pergunta, embora o foco das montadoras seja diferente, elas são da mesma origem.

Isso pode dar pano pra manga…

4 comentários

  1. Edison Mauro disse:

    Acabei de ver que Pipo Derani vai correr na temporada 2017–18 Asian Le Mans Series

  2. Fernando Silva disse:

    A categoria atrai tantas marcas, e em tão pouco tempo que até assusta…questão de ajuste da performance dos carros para que em médio a longo prazo a FE roube da F1 o posto de “categoria maior” do esporte à motor…isso se não houver uma fusão entre as duas, como alguns já preveem.

  3. Gabriel Medina, El otro disse:

    É o começo do fim, guardem essas palavras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>