MENU

30 de novembro de 2017 - 15:30Rali

De olho no hexa

e008aeefa8c79e8fb2a2360da9a3d572

Com todas as exigências atendidas: Sébastien Ogier renova contrato e fica na M-Sport de olho no hexacampeonato de pilotos no WRC (Foto: Reprodução Autosport)

RIO DE JANEIRO - Final feliz para a “novela Ogier”: o pentacampeão do Mundial de Rali (WRC) confirmou nesta semana sua permanência na equipe M-Sport, com a qual conquistou o título da temporada 2017, considerado pelo próprio piloto um dos mais difíceis de sua carreira. A Citroën também o queria, mas Yves Matton e seus blue caps terão que se contentar com o que têm no momento.

A condição para a renovação do compromisso partiu do próprio francês. Ele cobrou mais apoio efetivo da Ford ao time gerenciado por Malcolm Wilson, que segue com os carros da montadora do oval de Detroit, apesar dos ianques terem dado as costas ao WRC há cinco anos.

Haverá mais desenvolvimento e principalmente apoio financeiro. Mas nada aponta para que a Ford esteja envolvida 100% oficialmente com a categoria já no próximo ano.

“Fiquei muito feliz com o pacote que tivemos este ano, nós fomos consistentes e fomos fortes em todos os lugares. Queremos dar um passo no desempenho e estamos confiantes de que podemos desenvolver um pouco, mas é por isso que eu disse que queria obter o desempenho extra”, afirmou o pentacampeão à prestigiosa publicação britânica Autosport, em sua versão digital.

O chefão da M-Sport está confiante de que o desenvolvimento do equipamento possa manter os carros da Ford em alto nível.

“Nós temos o trabalho planejado em todo o carro. Estamos a brincar se pensarmos que podemos ganhar grandes ganhos em qualquer área, como os regulamentos estão escritos, isso não é possível para nenhuma das equipes. Mas iremos usar nossos jokers de homologação e estaremos evoluindo todos os aspectos, incluindo o motor, pacote aerodinâmico, suspensão e distribuição de peso”.

Além da permanência de Ogier a bordo, a M-Sport Rally Team confirmou que o galês Elfyn Evans, vencedor da etapa da Grã-Bretanha, continua a bordo em 2018. A única mudança é que o filho de Gwyndaf Evans terá pneus Michelin em seu Fiesta. O terceiro piloto ainda não foi confirmado.

A próxima temporada terá pelo menos 14 carros oficiais de fábrica, com inscrição regular de – no mínimo – 13 destes a cada prova. A Citroën deverá ser a única montadora a promover revezamento entre seus pilotos.

1 comentário

  1. hodari disse:

    A Citroën ficou a ver navios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>