MENU

30 de novembro de 2017 - 13:54Fórmula E

Sem ePrix

20177162054739_18-_o3i4211_II

Oficial: a prova da Fórmula E em São Paulo está cancelada e a categoria já busca alternativas para substituir o evento que não vai acontecer (Foto: Fórmula E/Reprodução Grande Prêmio)

RIO DE JANEIRO - Menos de 24h após a bomba que o Grande Prêmio lançou com exclusividade, apurando que o Anhembi não seria mais o palco do ePrix do Brasil que estava marcado para 17 de março, a Formula E Holdings Limited, por e-mail, confirmou nesta quinta-feira que São Paulo está fora do calendário da temporada 2017/18 que começa neste fim de semana com rodada dupla em Hong Kong.

A razão, como vocês sabem, é o alegado processo de privatização do Anhembi, já aprovado em primeira instância pela Câmara Municipal, há dois meses.

“As autoridades de São Paulo nos pediram para adiar a corrida para a quinta temporada em razão de um processo em curso de privatização do Parque do Anhembi. Correr em centros urbanos sempre impõe desafios, esse processo tende a ser mais longo que o esperado”, declarou o porta-voz da Fórmula E.

“E, em comum acordo com a cidade de São Paulo, decidimos colocar as negociações em stand-by até que o processo de privatização esteja concluído, com a demonstração do desejo da cidade em considerar a prova no calendário para o ano que vem”, complementou.

“Entretanto, nós estamos preparando uma solução alternativa para esta temporada, que vai ser formalmente apresentada no Conselho Mundial da FIA em Paris, na semana que vem”, finalizou.

A notícia já havia repercutido – mal, é claro – na quarta-feira. Lá do outro lado do mundo, o primeiro campeão da Fórmula E, o brasileiro Nelsinho Piquet, lamentou o acontecido.

“Acho que é uma pena para a imagem do Brasil na cena do esporte a motor mundial se a prova for cancelada realmente. A primeira corrida da história da Fórmula E estava marcada para o Rio e não aconteceu. Antes a Fórmula Indy ia abrir sua temporada em Brasília e não aconteceu. Na Fórmula 1, infelizmente, todo ano temos notícias de assaltos. Como brasileiro fico aborrecido de ver essas notícias ruins associadas ao país”, declarou o piloto.

Hoje, quem se manifestou foi Lucas Di Grassi. “#ePrix de Sao Paulo foi adiado para a temporada 5 por causa do plano de privatização do Anhembi, onde seria a corrida. Mas a história do Brasil com a Fórmula E está só começando. Novidades positivas virão.”, escreveu em seu Twitter.

Mais tarde, o piloto da Audi ainda se sairia com esta – descontados os erros de português, devidamente corrigidos.

“Porém, tenho que admitir, apesar de contrário ao desfecho, um excelente trabalho e profissionalismo da Prefeitura na condução da negociação. Um evento em 2019 faz mais sentido para todos, principalmente para a cidade de São Paulo.”

É… é claro que Di Grassi nunca falaria mal da prefeitura. Afinal, declarou publicamente apoio ao candidato vencedor do pleito no último ano e todo mundo do meio automobilístico sabia do seu envolvimento com a corrida, inclusive na parte de organização e também de desenho do suposto circuito – que, repito, nunca seria no Anhembi na data prevista, até porque não havia data. Tampouco o circuito.

Mas será que Lucas sabia com quem estava lidando?

O prefeito João Doria pode entrar para a história de São Paulo e, infelizmente, do automobilismo brasileiro. Da pior forma possível. Pois com seu plano de desestatização, já matou a Fórmula E no Anhembi e pode ser que a Fórmula 1 caia fora do país antes mesmo do prazo imaginado – o contrato vai até 2020, mas pode dar no alcaide uma louca como deu no Cesar Maia, que aqui no Rio rasgou os compromissos com a Dorna (MotoGP) e a CART (Fórmula Indy).

Incrível como o Brasil vai na contramão da história. Em absolutamente tudo. Pessoas, empreendimentos, políticos, gestão, esporte, tudo o que vocês puderem imaginar. Estamos retrocedendo absurdamente.

Mas é isso aí. Não foi por falta de aviso, né?

Em tempo: a próxima reunião do Conselho Mundial da FIA, marcada para o dia 6, pode trazer novidades e Punta del Este surge como alternativa à ausência do ePrix de São Paulo.

8 comentários

  1. JotaMG disse:

    Rodrigo, o meu negócio é carros e não gosto de falar de politica, ainda mais no espaço dos outros…
    mas…
    a história demonstra que, quando o povo é preguiçoso e não sai pras ruas a exigir melhor saúde, educação, cultura, esporte, enfim tudo aquilo a que tem direito pelos absurdos impostos que paga, o terreno rapidamente é ocupado pelos corruptos.
    Não é apenas problema do Brasil, é problema da democracia.
    O Brasil virou uma massa de 200 milhões de inertes, e assim não é surpresa a sociedade ser tão facilmente explorada e abusada por indivíduos sem escrúpulos.
    Democracia não é votar, esquecer e esperar a próxima eleição, democracia é construída a cada dia, e encher as ruas faz parte dessa dinâmica.
    Mil desculpas por me ter alongado tanto.

    quem se admira que

    nessa várzea vazia
    ,bons serviços por parte do Estado,

  2. JotaMG disse:

    * as frases soltas no final do comentário anterior obviamente são pra apagar… rsrs

  3. Fern Kesnault disse:

    Pontos:….Por que nao me causa espanto o cancelamento?? Algo que ja sentia desde o seu anuncio…..O Di Grassi continua o mesmo papagaio de sempre….Por que nao realizar a prova no Eixo de Brasilia?? Chega de SP-Rio, nosso país esta tao atrasado em todos os setores (principalmente da ética), em função desse conservadorismo exagerado nessas duas regiões que ja estao ultrapassadas em termos de logistica para novos eventos….é muito salutar a mudança de ares…..vejam o automobilismo norte-americano, sempre com autodromos em locais ermos e longe de grandes centros, salvo com algumas exceções como Long Beach, como exemplo….salve Rodrigo amigo. (*estou em castigo face por isso nao estou a postar nada….rsrsr)

  4. Fernando Silva disse:

    A parte no qual o atual campeão da FE diz ser melhor que a prova aconteça na temporada 5 (f”faz mais sentido para todos”) era para rir né?? Não poderia haver coisa mais ridícula do que um atleta da modalidade ainda defender a prefeitura e seu “gestor”…não bastasse o episódio (imperdoável) de Le Mans. Definitivamente, sinto tanta vergonha deste “cidadão” quanto da atual administração…como dizia a música…”pobre São Paulo”…

  5. Gabriel Medina, El otro disse:

    Primeiro a saída da Renault, agora o cancelamento de sp… A FE caminha para o fim, só não vê quem não quer.

  6. Wesley Andrade disse:

    Acompanhando a notícia agora, sinto dizer que por essas e outras que o Brasil será um país Morto daqui a poucos anos. Não me surpreenderia se a organização da Formula E não colocar mais os pés nesta terra, tal como aconteceu com a Dorna e a CART. Prefiro mil vezes que o Uruguai ocupe seu lugar nesta e nas próximas temporadas. Parabéns aos envolvidos, só que não, não mesmo.

  7. Igor Fonseca disse:

    O Lucas di Grassi é palhaço demais pqp como um piloto abdica do bom senso pra ficar com politicagem? Eu nunca vi isso na minha vida, perdeu a meu respeito e a minha torcida completamente, já achava ele um babaca por desdenhar do trabalho do Rodrigo na cobertura das 24 horas de Le Mans, e agora ele se mostrou completamente desprezível de vez. Políticos já não surpreendem, agora um piloto politiqueiro? Na boa di Grassi, vá a merda você e o Dória. Pilotos como você fazem um desserviço para o automobilismo no Brasil, foda-se o seu título.

  8. martim disse:

    Lucas di Grassi, dizer que torci pra que fosse campeão. piloto piada fica do lado de politico contra o povo, mas vai ser lacaio assim…Alguma empresa do prefeito patrocina ele? O país fica sem corrida e ele acha bom cara ridículo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>