MENU

26 de janeiro de 2018 - 10:06Mundial de Endurance

Segredo de estado?

59466a416922e

Quieta até demais: será que a Rebellion esconde o envolvimento do VAG com seu projeto LMP1?

RIO DE JANEIRO - Ausente das 24h de Daytona – prova de que participou com certo destaque no ano passado – a Rebellion Racing está muito quieta quanto à preparação para a Super Season 2018/19 do Mundial de Endurance (FIA WEC), após anunciar e depois confirmar seus seis pilotos, entre eles o brasileiro Bruno Senna.

Muito bem… o site Le Maine Libre dá a entender que o silêncio é porque o time anglo-suíço guarda um relativo segredo – posto que não é tão guardado assim – quanto ao seu fornecedor de motores para a próxima temporada que se inicia em maio.

Com o lançamento de seu projeto previsto apenas para março no salão de Genebra, a equipe vai ser confirmada no WEC e nas 24 Horas de Le Mans e a única pista quanto ao propulsor é que existe uma chance boa de ser uma unidade fornecida por uma marca do Volkswagen Auto Group (VAG), pelo que os franceses apuraram. Pois é: pode ser de até uma das duas marcas do VAG que caíram fora da LMP1 nos últimos anos – Audi e Porsche.

O que, de certa forma, pode explicar a presença de Neel Jani e Andre Lotterer no plantel de pilotos. Seria um sinal de alerta do envolvimento do VAG e até da Porsche com o fornecimento de um motor para equipes privadas na divisão.

Vale lembrar que nenhuma equipe não-oficial pode usar motores no WEC com sistemas híbridos. E que nada impede que os alemães possam estar vinculados a esse projeto que, até agora, está envolto num mistério tremendo.

Dia 9 de fevereiro, daqui a duas sextas-feiras, quando serão anunciados os times do Mundial de Endurance e de Le Mans, teremos algumas respostas…

5 comentários

  1. Boa tarde Mattar, alguma noticia sobre os horarios da transmissão da Fox, no que se refere as 24 horas de Daytona??

  2. Fernando Silva disse:

    E eu que cheguei a pensar que a Toyota, antiga fornecedora do motor da Rebellion é quem iria se reaproximar da equipe. Mas, falando no grupo VAG, tem ainda a Lamborghini, cujo motor, que já empurra o Huracan e o Audi R8 (ambos GT3), é robusto e resistente, imaginem empurrando um protótipo…

  3. Luca disse:

    Isso é porque a Rebellion é uma equipe que realmente leva o WEC a sério.
    Eles fazem, do próprio bolso, carros pra competir contra equipes de fabrica mesmo sem ter chance de na P1.
    Pode-se falar mal do Kolles, mas ele faz o mesmo.

    Se tivessem favorecido as equipes privadas ao invés das de fábrica, o WEC não teria quase entrado em crise com a saida das Equipes VAG.

    As equipes de fabrica vencem, mas são as privadas que mantém as competições.
    Aprende FIA. Aprende F1.

  4. Gabriel Medina, O outro disse:

    Bastante difícil serem os motores ultimamente utilizados por Audi e Porsche, os dois requerem mudanças imensas para serem competitivos sem sistemas hibridos. Vale lembrar que os dois sistemas foram projetados exlusivamente para operar eletrificados.

    Algum representante da linha de motores em W da VAG seria muito interessante, lembrando que eles equipam do Bentley Continental aos Bugattis, mas acho que bem mais provável o motor do R8/Huracá, como mencionaram acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>