MENU

24 de março de 2018 - 04:58Fórmula 1

Se não sabe brincar…

20183222327985_000_130907_II

O campeão Lewis Hamilton não deixou margem para dúvidas e cravou sua sétima pole position para o GP da Austrália. Corrida é na madrugada de sábado para domingo, 2h10 pelo horário de Brasília (Foto: AFP/Reprodução Grande Prêmio)

RIO DE JANEIRO (… não brinca!) - Deu a lógica no treino de classificação para a primeira etapa da Fórmula 1 em 2018. Com novo recorde do circuito de Albert Park, em Melbourne, Lewis Hamilton enfiou uma luneta no resto e conquistou a 73ª pole position da carreira, ampliando a marca histórica para a categoria.

Surpresos? Claro que não. Lewis hoje é o melhor piloto em volta rápida de toda a categoria. Também pudera: com sobra de equipamento, o britânico voou e fez o que quis. O tempo de 1’21″164 para os 5,303 km do traçado representa uma média horária de 235,212 km/h – mais do que respeitável para um circuito urbano como o da Oceania. Agora vamos ver se o predomínio de Hamilton resiste em ritmo de corrida.

Algumas cabeças certamente hão de pirar – ou já piraram. A de Valtteri Bottas começa a prêmio, com o finlandês atrapalhando o bom andamento do processo e demolindo sua Mercedes no muro da saída da curva 2, logo no início do Q3. Um acidente que dará trabalho aos mecânicos, que pode acarretar em punição ao nórdico e pode ser também uma garantia de que teremos algumas ultrapassagens numa prova que em 2017 só viu duas – isso mesmo – trocas de posição.

Os adversários de Lewis devem se entreolhar e pensar… “Caramba, como podemos parar esse sujeito?” Porque, pelo visto, nem a tiro alguém consegue deter o atual campeão.

Kimi Räikkönen, com a autoridade de quem normalmente anda bem em Albert Park (venceu lá duas vezes), ainda conseguiu desalojar Vettel da linha de frente e levou o 2º posto por apenas 10 milésimos de segundo. Sem Bottas e com a polêmica punição a Daniel Ricciardo, a Haas se sobressaiu com o 5º lugar de Kevin Magnussen, principalmente porque o piloto ficou a apenas três décimos de Räikkönen.

O resto da turma que passou ao Q3 nem fez cosquinha, com Grosjean dividindo a terceira fila com seu parceiro de esquadra, suplantando no confronto direto aquelas outras equipes que vão brigar pelo honroso título de ‘quarta força’, ou seja: Renault, McLaren e Force India.

Mas não dá pra confiar jamais nesses dois pilotos contratados por Gene Haas e Gunther Steiner. Às vezes falta miolos aos dois – Grosjean e Magnussen. São rápidos, mas estabanados, irregulares e propensos ao desastre. Uma fórmula que tem tudo para dar errado.

A McLaren não avançou ao Q3 – normal, para uma escuderia que teve problemas na pré-temporada e foi inclusive a que menos andou. Normalmente reclamão e de mau humor com a situação recente da equipe, Fernando Alonso até que adotou um discurso pacifista e admitiu que o 11º lugar era o limite neste momento. Ótimo. Resta a dúvida se o carro terá ritmo de corrida para que a tradicional escuderia britânica consiga começar o campeonato de forma muito mais digna do que das últimas oportunidades.

2018323410722_000_1309P7_II

Última fila: por enquanto, o novato Sergey Sirotkin terá de largar no fundo do grid ao lado de Pierre Gasly. A Williams realmente andou muito para trás em relação ao ano passado. Que coisa… (Foto: AFP/Reprodução Grande Prêmio)

Quanto às demais, a Force India realmente começa muito abaixo do que veio apresentando nas últimas temporadas, mostrando que vão precisar trabalhar para avançar no pelotão. Da Williams não se esperava nada por causa dos seus pilotos, mas até que o 14º posto do Stroll merece registro. O que não pode é o Sirotkin se classificar na última fila em sua estreia na Fórmula 1, tomando meio segundo da Sauber.

E, convenhamos, nem a Toro Rosso fazer o papel que fez no treino oficial. Tudo bem: na pré-temporada não quebraram e tal, mas… Gasly em último é um negócio meio esquisito. Hartley também fora logo no Q1 não é o que a equipe aguardava. Mas faz parte. De repente, não encontraram o melhor caminho e a gente tira a prova dos nove na corrida.

Para fechar, uma pergunta. Uma, não. Várias:

Vocês gostaram do novo pacote gráfico da Fórmula 1? Qual a impressão dos leitores acerca do Halo? E as onboard? Perderam completamente o sentido?

Cartas para a redação.

16 comentários

  1. Levi disse:

    Esse segundo lugar do Kimi não deixa de ser muito interessante. O “ex-piloto em atividade” andou no mesmo ritmo do “candidato ao título” Vettel.

    Confesso que, depois daquela palhaçada em Mônaco ano passado, quando Kimi andou melhor e foi sacaneado pela Ferrari, larguei de mão a F1 e dei de ombros pro tetra de Hamilton, que não possui competição real hoje. Ultimamente, Vettel não vem merecendo esse favorecimento que a equipe lhe dispensa.

    Nem Vettel, nem Hamilton me parecem estar no nível de um Schumacher, que refez a Ferrari do zero (não sozinho, claro, mas enfim) e colheu os frutos apenas quatro anos depois. Vettel pegou uma Red Bull já prontinha em 2009, além de sua vitória com a Toro Rosso em 2008 ter sido largamente superestimada por muitas pessoas.Por sua vez, Hamilton, embora já consagrado pelo desempenho na McLaren, achou que não seria uma má ideia engolir sapo na Mercedes por um ano tendo a perspectiva de contar com um pacote muito promissor no ano seguinte.

    Além de se verem em bons carros devido a circunstâncias favoráveis (construídas em parte pelos próprios), ambos não demonstraram muita estabilidade quando confrontados com pilotos minimamente capazes de lhes causar problemas. Hoje, Bottas é inofensivo e Raikkonen já está próximo dos quarenta anos. “Amadurecer” como piloto, nessas condições, ainda se levando em consideração que a Mercedes tem um pacote muito superior ao das demais equipes, é muito fácil. Sem ser injusto com a dupla Hamilton/Vettel, Alonso é um piloto igualmente talentoso (talvez mais do que qualquer deles, até) e de características psicológicas muito semelhantes, tanto que a Ferrari só fez andar pra trás com ele liderando a equipe.

    Ainda assim, não cheguei a ver o treino, mas tentarei ver a corrida apenas pra ver como está o novo grafismo e o quão horríveis são as onboards com o halo. E a Austrália sempre nos proporciona diversão.

  2. Wilton costa disse:

    Não gostei de novo grafismo da F1 ,vai ver é questão de hábito pra acostumar!!
    Odiei o Halo, ė uma das maiores aberrações que vi nos últimos tempos, sem contar que tenho sérias dúvidas do seu poder de proteção !!
    O on board fico muito ruim já que o Halo fica na frente e atrapalha a visão do tracado!!!

    • Davi B C Silva disse:

      Meu caro,

      Eu também não gostei do grafismo. As letras estão exageradamente pequenas. No entanto, há um aspecto positivo: quando os pilotos fazem a volta de treino ou classificação, a diferença de tempo aparece em caracteres grandes! Isso é ótimo. De aspecto negativo, se destaca o excesso de baboseira exibida: esboços de carros ao lado das diferenças de tempos, o significado de bandeira vermelha etc.

      O halo é horrível, concordo com você. Deveriam ou eliminar as câmeras on board, ou eliminar o halo, pois os dois não são compatíveis nas condições atuais.

      No mais, excelente texto. Neste ano acompanharei o blog com frequência, por indicação do Grande Prêmio (menções a você, Rodrigo Mattar, no Paddock GP, no GP in loco, e, é claro, nas transmissões da Fox Sports – seria ótimo que o fox premium fosse liberado para todos os assinantes de TV por assinatura!)!

  3. Alan disse:

    Halo devia ir pro ralo!
    Horrorível!

    A FIA está caindo muito de patamar, principalmente por determinadas regras e punições sem cabimento. Espero que a longo prazo, os americanos da Liberty consigam colocar na cabeça dos homens do mundo da FIA que competitividade não vem com punições por ficar lado a lado. F1 sem essência!

  4. Thiago disse:

    As câmeras onboard não servem mais pra nada com essa desgraça de HALO

  5. Wesley Andrade disse:

    Não assisti ao treino de agora a pouco, mas tenho uma preocupação sobre a saída do piloto no caso de uma capotagem, com a limitação do espaço provocado pela existência do halo.

    Outro detalhe sobre o halo é o fato de que sua presença interfere diretamente na captação das imagens de dentro do cockpit, que levará a uma mudança no posicionamento das câmeras na região até a provável adesão do escudo testado tanto na F1, como na Indy.

  6. RICARDO disse:

    Grafismo ótimo.
    Halo, é uma idiotice. Até o pessoal da SporTV falou na quinta q a solução da F Indy é melhor.
    Mataram as onboards.
    Continua os mimimi de penalização

  7. Danir disse:

    Halo; uma excrecência sem sentido. Novo grafismo; não traz nenhuma contribuição para o que interessa – a corrida. On board: que on board? Só uma propaganda das havaianas. A F-1 está decaindo dia a dia e cada vez mais o “espetáculo” é privilegiado em detrimento da corrida. Eu assisto F-1 para ver a corrida; não estou nem aí para as outras frescuras do espetáculo. Eu me lembro no passado, nas primeiras corridas em Interlagos, que chegávamos a dormir no autódromo e a única coisa que podia competir com a corrida em si, eram os isopores de cerveja, que alegravam as nossas noites de espera. Hoje nem cerveja você pode escolher, tem que se contentar com a tranqueira que comprou os direitos de venda local, quente em copos descartáveis. Com o perdão da palavra, uma merda. A propósito, depois de assistir a primeira prova de Moto GP, dá para concordar com a retirada das Grid Girls? Nós respeitamos e queremos o melhor para as grid girls e para qualquer mulher. Não vi Bulling (e era um pais muçulmano); vi umas meninas lindas que estão ganhando o seu honestamente. Vocês prefeririam um bando da galalaus anabolizados, ou sei lá poneis enfeitados ou porquinhos com lacinhos no pescoço? Definitivamente este nosso mundo está ficando uma porcaria com a tentativa de idiotas quererem nos dizer o que fazer, como fazer e porque fazer (porque eles querem que façamos do modo deles). Devo ser um velho romântico e entusiasta que não se adapta a este mundo de gente estúpida, arrogante e presunçosa. A propósito, penso que a solução da F Indy é melhor, Pelo menos não transformam os carros em aberrações estéticas. Como será que os pilotos vão sair dos carros pegando fogo capotados ( cuja incidência me parece maior do que colisões com tratores ou pneus atingindo a cabeça dos pilotos? Continuo assistindo F-1 porque gosto do show tecnológico, da competição e da habilidade dos pilotos enfrentando condições limite; porém, hoje não mudo meu roteiro por causa de uma corrida de F-1 e minha atenção está mudando para Moto Gp e para outras modalidades mais competitivas e com menos frescuras..

  8. Lucas Orly disse:

    Rodrigo, você na qualidade de cátedra polivalente do esporte a motor, acha que seria uma boa a FIA realizar BoP nos carros da F1 para nivelar a competição. Ou isso seria uma tática tão absurda que poderia causar uma debandada do certame?

    • Wesley Andrade disse:

      É uma boa ideia, só que eu sinto que as grandes equipes (Ferrari, Mercedes e RedBull) que gastam uma enormidade para a construção de seus bólidos, haverão de chiar sobre a igualdade de performance.

      • Silvestre Zanon disse:

        Me lembro de quando eu corria o Marcas e Pilotos em São Paulo. Quer andar na frente? Entra pra equipe do Arias ou pra Alpie. Eles te entregam um carro ótimo ou espetacular. Porém tem um preço. É mais ou menos por ai. Se Ferrari, etc tem grana pra gastar e desenvolver um carro eles não vão querer nivelamento com o restante. Até porque são eles que fornecem motores para o resto do grid.
        Abc

  9. Silvestre Zanon disse:

    Pacote gráfico a gente se acostuma, Halo veio pra cagar tudo. On Board perdeu o sentido, vai atrapalhar ate no videogame. E Hamilton vai nadar de braçada esse ano com um companheiro de equipe como Bottas.

  10. Rafael Lima disse:

    Até o gesto de Senna de desfilar com a bandeira seria quase impossível hoje em dia com essa tira de chinelo do Sr. Jean Todd.

  11. Antonio Seabra disse:

    Eu gostei do treino, e achei a Red Bull muito forte: vai ser um concorrente dificil na corrida. Especialmente o Max, que é melhor em ritmo de prova do que o Ricardo. SE chover, embaralha as cartas.
    Quanto a grafismo, não gostei: letras pequenas demais (eles esquecem dos velhos).
    A demonstração na parte de baixo da tela, quando tem vários pilotos fazendo voltas rapidas, tem letras maiores, mas ficou confusa. Seria tão mais fácil seguir o exemplo da Moto GP, cujo grafismo é ótimo, e e instintivamente compreensível !!!!

    Halo: não gosto. Vi vários pilotos colocando a cabeça de lado pra enxergar sem aquele “toco” na frente, bem no meio do carro !!!! Não acredito que numa porrada como a do Jules Bianchi, aquela merda resista, então, acho duvidosa a sua aplicação. É certo que o Aeroscreen (solução da Indy) foi questionada pelos pilotos, porquanto deformasse a imagem nas suas partes curvas. Quem sabe uma solução melhor fosse algo similar ao Halo, mas não no formato Havaianas, e sim com 2 pilares laterais, em vez de um só, no meio. Ia ficar mais feio, mas a visibilidade do piloto seria melhor. Entretanto acho que a melhor solução seria um “canopy” fechado, tipo jato de caça. O jeito é esperar pra ver o desenvolvimento das soluções, com o passar do tempo.

    • Antonio Seabra disse:

      Esqueci de dizer: a retirada da barbatana dorsal melhorou muito a estética dos carros. Mas não vi ninguém comentar muito isso….
      Torço pra que o WEC tire a dos carros fechados, pois melhoraria muito a estética dos SP atuais, que são muito feios !

  12. joao calango disse:

    A Câmera Onboard precisa mudar de posição, fazendo isso tá tudo sussa.

    Quanto a qualidade deste ano, ouvi agora que o Hamilton falou que é o único piloto motivado, empolgado e etc.

    Ele fala isso porque não corre na Sauber, que tal correr na Sauber e fazer pole-position meninão…vai lá, faz seu nome…rsrs

    Esta Formula 1 só vai ter emoção quando o Vettel for para Mercedes, sem isso, vai continuar tudo na mesma….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>