MENU

15 de abril de 2018 - 00:55IMSA Weather Tech SportsCar Championship

Às armas!

IMSA WeatherTech Sports Car Championship

Vitoriosos: João Barbosa/Filipe Albuquerque triunfaram em Long Beach entre os Protótipos; Oliver Gavin/Tommy Milner levaram a Corvette à conquista na GTLM (Foto: IMSA/Reprodução)

RIO DE JANEIRO - Na vida de qualquer piloto de competição, existe o dia em que você sonha com uma loira daquelas esculturais e chove gorila na sua cabeça. E há dias em que chove a loira, a vitória, a liderança do campeonato e tudo com o que você jamais imaginou.

Foi o que aconteceu com Filipe Albuquerque e João Barbosa neste sábado no GP de Long Beach, a 3ª etapa do IMSA Weather Tech SportsCar Championship.

Porque a dupla portuguesa não tinha – nem de longe – o carro mais rápido da pista. Não tinha um equipamento 100%. Mas dentro das circunstâncias da corrida, tudo funcionou a contento. E por ter dado tão certo, Barbosa e Filipe foram premiados com a vitória – a segunda em três corridas – e, melhor ainda, com a ponta da classificação, somando agora 91 pontos.

Tem mais: Christian Fittipaldi, que dividiu a pilotagem com os parceiros lusos em Daytona e Sebring, apareceu em Long Beach do outro lado do “balcão”. Foi a primeira corrida da temporada em que o brasileiro desempenhou uma função importante de bastidores. Como novo diretor esportivo da equipe Action Express, Christian foi muito útil, aconselhando seus pilotos e definindo a questão da estratégia com os engenheiros e o Team Manager. E para uma primeira experiência pra valer, deu muito certo. O time comemorou seu 20º triunfo na série.

Foi uma corrida legal, animada, divertida. O início foi um show com o duelo à parte entre Juan Pablo Montoya, o pole position, com o brasileiro Felipe Nasr, que chegou a Long Beach com a moral elevada pela liderança do campeonato. Uma primeira bandeira amarela – cedo demais – aumentou a expectativa pela disputa e quando a coisa pegou fogo, Nasr simplesmente passou e despachou o colombiano, com uma autoridade poucas vezes vista.

Só que o carro #85 de Robert Alon provocou uma segunda bandeira amarela e essa intervenção do Safety Car trouxe novo colorido à disputa. Principalmente porque todos os demais protótipos pararam – menos os dos dois líderes. Trocas de pilotos, pneus e reabastecimentos foram efetuados. As mudanças na classificação apontavam os portugueses no páreo depois de um início de corrida apenas mediano.

E a dupla do #5 finalmente emergiu para a linha de frente quando, cansados de esperar por novas bandeiras amarelas que não vieram no momento em que precisavam, Nasr e Montoya pararam e trocaram com seus companheiros. Aí, meus amigos, a corrida de ambos foi para o vinagre. Eric Curran, o parceiro de Nasr, ainda passou por um esfrega-esfrega com um Porsche da GTLM na tentativa de ultrapassagem, o carro bateu no muro e provavelmente o alinhamento, o ajuste fino se perdeu aí.

Dane Cameron substituiu Montoya e também não descontou a diferença – pior, se enrolou com os GTLM, carros cerca de quatro segundos mais lentos que os Protótipos. Ao mesmo tempo, os rivais pararam a pouco menos de 45 minutos para o final, só para repor gasolina. Além de se salvarem na questão do combustível, seguiram competitivos e foi assim que Albuquerque/Barbosa rumaram para a vitória, pouco mais de quatro segundos à frente de Scott Sharp/Ryan Dalziel.

“A estratégia foi perfeita”, comentou Albuquerque. “Após o pit stop, acreditei na possibilidade da vitória. Tínhamos tudo sob controle e a corrida foi muito boa para nós. A equipe esteve maravilhosa hoje, além de ter nos dado um ótimo carro”, disse o português.

Renger Van der Zande e o “Metralha II” Jordan Taylor ficaram com o último lugar do pódio, enquanto a Mazda salvou um bom quarto posto com Oliver Jarvis/Tristan Nunez. Depois de tudo isso, Hélio Castroneves ainda acabaria como o melhor brasileiro, finalizando na sexta posição. Para Nasr, 7º colocado e não mais líder do campeonato com o resultado do GP de Long Beach, restou marcar a melhor volta da corrida em 1’13″492 e se tornar o novo recordista do traçado da Califórnia para a IMSA.

O Nissan Onroak DPi de Pipo Derani acabou quebrando: o piloto já estava a bordo quando a transmissão foi para o vinagre e ele teve que abandonar após quase 50 minutos de disputa e 32 voltas completadas.

Na GTLM, também venceu quem tinha o carro menos rápido, mas a estratégia mais eficiente e uma boa dose de sorte, também: o britânico Oliver Gavin chegou ao seu 50º triunfo como integrante da Corvette Racing, dividindo o carro #4 com Tommy Milner. Os problemas alheios também ajudaram, especialmente com os freios do Porsche de Earl Bamber/Laurens Vanthoor – que caminhava para a vitória – e o acidente da BMW de Alexander Sims/Connor De Philippi, que se arriscaram noutra estratégia, parando mais cedo que todo mundo no primeiro pit stop, foi igualmente decisivo.

Sem contar que Bamber e Sims foram também protagonistas de uma briga campal pela liderança da categoria de Grã-Turismo, que quase deixou o escriba aqui – que fez as vezes de narrador hoje – sem fôlego.

Ryan Briscoe/Richard Westbrook conseguiram um importante 2º posto, resultado que manteve a dupla da Ford Chip Ganassi Racing como líder do campeonato com 95 pontos, contra 88 de Gavin/Milner. Briscoe, inclusive, fez uma linda manobra de ultrapassagem sobre o companheiro de equipe Dirk Müller.

Antonio Garcia/Jan Magnussen superaram uma falha no carro numa das relargadas para terminar em 4º lugar na classe, à frente dos únicos sobreviventes de BMW e Porsche, respectivamente Jesse Krohn/John Edwards e Nick Tandy/Patrick Pilet.

E no fim das contas, ficamos com o gosto de ‘quero mais’. A próxima etapa é no dia 5 de maio em Mid-Ohio, no circuito localizado em Lexington. E será no mesmo dia da estreia do FIA WEC, o Mundial de Endurance, em Spa-Francorchamps.

1 comentário

  1. Antonio Vidal disse:

    Não fosse os freios, quase, quase a segunda seguida no campeonato. Tudo bem. Os dois carros, tanto o 911 quanto o 912, percebo que seguem em sua evolução, começam já a andar no miolo dos GTLMs e liderava com folga até a bandeira amarela. Seguem confiantes para o maior desafio do ano, e serão 4, 4 911 RSRs em LE MANS. Força PORSCHEEEEE!
    Parabéns à dupla lusitana pela vitória. Excelente prova da Corvette também. Mais uma vex a FOX nos agraciou com uma transmissão a altura da prova. Parabéns aos envolvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>