MENU

19 de abril de 2018 - 01:15Automobilismo Internacional

Australian GT: vitória de Twigg e d’Alberto em inauguração de nova pista

GTStart-800x533

RIO DE JANEIRO - No último fim de semana, a Austrália teve inaugurado um novo complexo automobilístico: o The Bend Motorsport Park, localizado na região sul do país, assistiu à sua primeira corrida oficial. Com quatro variantes de traçado, a pista tem o segundo maior percurso permanente hoje em qualquer autódromo – 7,77 km de extensão – perdendo somente para o Nordscheleife de Nürburgring.

Mas por conta das condições um tanto quanto ruins tanto do tempo, que atrasou a disputa de sábado para domingo e da pista, emporcalhada na maior parte do traçado longo, foi usada a variante que terá também uma prova do Supercars em agosto, com 4,959 km, na primeira etapa da série de Endurance do CAMS Australian GT.

O grid esteve longe da pujança da rodada de corridas de tiro curto em Melbourne. Foram 21 carros no evento, mas devido a problemas, dois não foram à pista no domingo e só 19 carros largaram. E pelo menos uma das duplas que disputou a corrida saiu com motivos para sorrir do novo circuito: Max Twigg e Tony d’Alberto venceram a etapa #1 do campeonato de provas longas.

Pole position, o carro #8 da Scott Taylor Motorsport foi dominante ao longo das 78 voltas de prova, mesmo após um Safety Car no final, que reduziu a diferença entre os vencedores e a dupla que chegou em 2º lugar com John Martin/Liam Talbot, a apenas nove segundos.

O Porsche da Walkinshaw Racing liderou por breves momentos no início, mas um incidente com o Lamborghini de Yasser Shahin chamou logo o carro de segurança. Uma nova intervenção aconteceu quando Jaie Robson, o grande vencedor do evento Sprint em Melbourne com a Mercedes-AMG GT3 aqui dividida com David Reynolds, saiu da pista e ficou na caixa de brita da curva #8 do circuito.

Max Twigg caiu para quinto, mas a ordem se restabeleceria na 38ª volta, quando ele fez sua parada de box e entregou o carro da STM para Tony d’Alberto. Naquela altura, as equipes decidiram trocar seus pilotos de graduação menor pelos profissionais, muito antes dos pole position. E isso acabaria sendo decisivo para os rumos da disputa.

Os esforços de Martin e Talbot foram em vão e eles se contentaram em ficar com o 2º posto, à frente de Steve Richards/Michael Almond, com a BMW M6 GT3 da equipe SRM. Tony Bates/Daniel Gaunt acabaram como a melhor dupla com o modelo Audi R8 LMS, mas por performance, seguramente Garth Tander/Geoff Emery deveriam estar ali ou mais à frente. Só que a tripulação da equipe JAMEC-PEM Racing acabou penalizada por uma irregularidade de segurança nos boxes. Tiveram que pagar um pênalti e terminaram em 12º lugar.

Entre os poucos GT4 que disputaram a prova (apenas quatro), a vitória foi do KTM X-Bow GT4 de Justin McMillan/Glen Wood, da Interlloy M Motorsport. Jeremy Gray/Andrew Miedecke terminaram onze segundos após e David Crampton/Trent Harrison fecharam em terceiro na categoria.

Com a vitória em The Bend Motorsport Park, Twigg/d’Alberto lideram a série de Endurance com 315 pontos, contra 282 de Talbot/Martin e 235 de Richards/Almond.

A próxima etapa do CAMS Australian GT será em Sandown Park, evento que será válido para o campeonato Sprint.

5 comentários

  1. ags disse:

    Esse campeonato na Australia é igual ao futebol de times de Floripa..
    Não vale nada menos nada..rsssssssssss

  2. ags disse:

    Tudo aqui no pais é mais dificil.
    Realmente vce tem uma resposta na ponta…
    Temos ao menos 3 circuitos com possivel chancela internacional..
    Cade a Mãe CBA..de onde o turco Bufaiçal tirou tudo de receitas para comprar fazendas em Goias…e cheia de boi branco..
    Cade o MPF.que não abre uma pesquisa dentro dessa CBA..que é conhecida como a mãe joana..só tem FDP..mamando no pouco dinheiro que entra… Acho que deveria ser vendidos os circuitos aos mais endinheirados e deixar que façam provas e bom uso das Praças de automotor do que, ficar nas mãos dessa bandidagem de dirigentes FDP………………………..

    • Rodrigo Mattar disse:

      Tem outro detalhe: o GT Brasil não foi mais para a frente – e não foi por culpa da CBA – e sim por causa dos sanguessugas e parasitas que infestam os autódromos do país desde sempre.

  3. ags disse:

    Verdade.heim.. tem sim..um monte..kilos desses dois tipos de pessoas…
    Imagina se não existise..pensa nas cadeiras pessoas com diplomas ou qq tipo de graduação se achando ..pensa…é…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>