MENU

5 de maio de 2018 - 15:06Mundial de Endurance

6h de Spa: estreia vitoriosa de Alonso no WEC

pm_spa_wec_pq_gallery-33-730x487

RIO DE JANEIRO - Deu a lógica: a Toyota venceu em dobradinha as 6h de Spa-Francorchamps, prova de abertura da Super Season 2018/19 do Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC). E após cinco anos, o espanhol Fernando Alonso – a grande estrela da companhia – volta ao topo do pódio, do qual estava ausente desde o GP da Espanha de 2013. Naquela oportunidade, num mês de maio – precisamente no dia 12 – o piloto hoje com 36 anos vencia pela última vez na categoria máxima.

O fim do jejum veio numa prova que foi relativamente tranquila para a trinca formada por Alonso, mais Buemi e Kazuki Nakajima, à exceção da hora final, por conta de um fortíssimo acidente com o protótipo BR01 Engineering de motor AER Biturbo da SMP Racing, guiado por Matevos Isaakyan na oportunidade. A porrada chamou o Safety Car pela última vez e a confortável vantagem de Alonso para o 2º colocado virou pó.

A bordo do Toyota #7, vinha o britânico Mike Conway – que largou uma volta depois de todo mundo e dos boxes, por conta de uma penalização pós-treino por irregularidades no fluxo de combustível, após a coleta dos dados das equipes. O piloto chegou muito próximo de Alonso e pareceu ensaiar uma ultrapassagem – e esteve muito próximo disso.

Porém… depois de uma mensagem via rádio, foi sugestionado a Conway que tirasse o pé e permitisse a Alonso vencer a prova. Mesmo com a temperatura da caixa de câmbio atingindo níveis elevados, Fernando levou o carro até a quadriculada, completando 163 voltas com 1″444 de vantagem sobre a trinca Conway/Kobayashi/Pechito López.

A terceira posição, máximo que poderiam alcançar em condições normais, ficou com a Rebellion e o carro #1 de Bruno Senna/Andre Lotterer/Neel Jani, que inclusive perdeu razoável tempo no box na troca de um transponder. Talvez não tivessem terminado a disputa duas voltas atrás dos vencedores – o que está longe de ser uma humilhação para um time não-oficial.

A pancada monumental do #17 da SMP Racing, que incomodou muito à equipe Rebellion, permitiu que a ByKolles conquistasse um ótimo quinto lugar – melhor resultado da equipe no WEC, mostrando que os trabalhos de desenvolvimento do carro e do motor Nismo com gerenciamento Cosworth não foram em vão.

Na classe LMP2, acabou prevalecendo a G-Drive Racing, a única equipe do ELMS que usou as 6h de Spa-Francorchamps como treino para Le Mans. E foi um bom treino, pois o time russo de running feito pela TDS Racing acabou vencendo a disputa com direito ao 7º posto na geral e 156 voltas do carro tripulado por Jean-Éric Vergne/Roman Rusinov/Andrea Pizzitola.

Assim, a melhor equipe full season do WEC foi a Jackie Chan DC Racing, que superou a Signatech-Alpine Matmut no final numa estratégia de troca de pneus do lado esquerdo do protótipo Oreca 07. A trinca Ho-Pin Tung/Gabriel Aubry/Stéphane Richelmi fechou a disputa a 21 segundos dos vencedores e à frente de André Negrão/Nico Lapierre/Pierre Thiriet.

66win11

A LMGTE-PRO foi disputada no início entre Porsche e Ford, mas o construtor do oval azul sofreu um baque forte na 27ª volta, quando Harry Tincknell perdeu o carro na tomada da curva Eau Rouge e – exatamente no mesmo lugar em que se acidentou ontem o brasileiro Pietro Fittipaldi – bateu violentamente na barreira de pneus. A sorte do britânico é que ele saiu inteiro do carro destruído e Tony Kanaan – uma lástima – nem chegou a andar. Faz parte.

No fim, a equipe Chip Ganassi Racing ainda sorriu com o triunfo do carro #66, conseguido numa ultrapassagem sensacional de Olivier Pla sobre Richard Lietz na reta final da disputa. O austríaco da Porsche acabaria caindo para o 4º lugar, já que foi ultrapassado também por Michael Christensen/Kévin Estre e por Davide Rigon/Sam Bird num belíssimo pega nas voltas finais. E tivemos três marcas – Ford, Porsche e Ferrari – no pódio.

Os novos carros BMW M8 GTE e Aston Martin AMR Vantage pouco apareceram na briga, a não ser para levar volta dos mais rápidos. A falta de performance do modelo do construtor de Gatwick foi assustadora perante as rivais. A BMW ainda salvou um bom 5º lugar com Antônio Felix da Costa/Tom Blomqvist.

E a Aston Martin, superada pela Porsche nos treinos oficiais, prevaleceu em ritmo de corrida na classe LMGTE-AM. Os campeões Pedro Lamy/Paul Dalla Lana/Mathias Lauda passaram sufoco, mas prevaleceram contra a estreante tripulação da TF Sport, que fez ótima corrida com Salih Yoluç/Euan Alers-Hankey/Charlie Eastwood. A Ferrari da Clearwater Racing também cresceu na disputa e, com os problemas enfrentados pelos demais carros, abocanhou mais um pódio na categoria.

A próxima prova é nada menos que a 86ª edição das 24 Horas de Le Mans. E fica a questão: a Toyota vai pôr fim à incômoda série de fracassos na pista de Sarthe? Porque está de colher para eles ganharem a prova, devido o desnível face aos LMP1 independentes. Qual será a desculpa se novamente falharem?

Cartas para a redação.

47 comentários

  1. Claudio disse:

    Alguns hábitos nunca mudam independente da categoria…ordens de equipe.
    Acaba por tirar um pouco do brilho da corrida.

    • Marcos Ferreira disse:

      Ordens de equipe existe em qualquer categoria, do kart à F1. Por que no WEC seria diferente?

      • Claudio disse:

        Existe em qualquer categoria mesmo, porém o WEC nessa temporada só possui dois carros, se a disputa entre esses dois é impedida, pra que assistir as provas? Sinceramente desliguei a TV, não faz sentido algum acompanhar. Passar pano para atitudes assim é desanimador.

      • McLaren-12 disse:

        Nenhuma disputa foi impedida.

        O #7 descontou a volta com a colaboração do #8.

        As disputas estavam permitidas até o último pit stop.

        Como bom pacheco, pode assistir à Globo que não faz falta alguma ao WEC

      • Joao Sergio da Silva Costa disse:

        “Pacheco”
        não sabia que o Conway tinha se naturalizado brasileiro

      • McLaren-12 disse:

        É porque você tem limitação intelectual e só sabe ler “as figura”.

        Quem reclama de trabalho em equipe é o brasileiro pacheco que não suporta lembrat que Massa teve de dar passagem ao Alonso e o odeia até hoje.

        Mande um e-mail para mclaren12@gmail.com quebeu desenho pra você.

      • Rodrigo Mattar disse:

        Pessoal, ninguém é obrigado a concordar uns com os outros, mas vamos discordar com algum respeito pelos outros leitores, ok?

        Resolvam seus problemas fora do blog. Obrigado.

    • Kleber disse:

      Quando o Berger abria pro Senna ninguém falava nada.

      • McLaren-12 disse:

        Não sei desde quando você acompanha F1, mas está bem longe de saber o que acontecia naquela época.

        Berger nunca deu passagem ou posição ao Ayrton. A única ordem de equipe em três anos foi no GP Japão de 1991 e exatamente ao contrário do que você acha. Berger ganhou e ficou puto com Senna pela atitude que ficou puto com Ron Dennis pela ordem.

        A história está aí. Basta você set menos preguiçoso e ler.

      • Fern Kesnault disse:

        Berger nunca deu passagem pro Senna??? Que anjinho tu és, ou….pachecão danado…

      • McLaren-12 disse:

        Estou ansioso pelos seu comentários de todas as situações em que isso ocorreu. Não se esqueça dos depoimentos dos envolvidos, pois achismo não conta como prova.

      • Kleber disse:

        O McLaren-12 quer depoimento dos envolvidos? Vamos lá então: se você perguntar para o Ron, ele vai dizer que isso nunca existiu e, se perguntar para o Berger, ele vai dizer que o Senna era o melhor do mundo.

        Não nasci ontem McLaren-12, eu sou capaz de mentir sozinho.

      • McLaren-12 disse:

        Então essa teoria está na sua cabecinha e na cabecinha do seu abiguinho.

        Já que você não é jornalista, não trabalhou na McLaren naquela ou em qualquer outra época, não conhece nenhum dos envolvidos e nunca encontrou um depoimento que comprovasse sua teoria, por que não pede ao Mattar para apagar seu comentário?

  2. Emmanuel disse:

    Com ordens de equipe! E sonrnte contra um concorrente! Venceu de quem mesmo?

  3. Júlio Labandeira disse:

    Olá Mattar. A FoxSports transmitirá a Whather Tech de Mid-Ohio de amanha? Não estou achando na grade de programação.

  4. Celso disse:

    Esta corrida foi uma vergonha para o esporte, só ganhou por causa do apito amigo, aposto que estava com a camisa do curintias por baixo macacão e o pior é o pessoal da FOX querendo justificar a ordem de equipe como estratégia de mkt, aposto que se fosse outro piloto , estavam descendo a lenha………
    Uma vergonha, este piloto ta acabado, mas por falte de gente com braço decente ainda ta vivo……..

  5. Lucas disse:

    Rodrigo, esse jogo de equipe da Toyota pega pior pra quem nesse caso? Pra ela mesma, pro Alonso ou pro WEC em si.

  6. Alexandre disse:

    “No entanto, o time ordenou que as posições fossem mantidas. Afinal, o carro 7 largou com uma volta de atraso devido a uma punição aplicada após o treino classificatório, e ‘só descontou a desvantagem devido à ajuda dos companheiros de equipe, que permitiram a ultrapassagem’.”
    https://globoesporte.globo.com/motor/noticia/em-dia-de-novo-acidente-na-eau-rouge-alonso-vence-em-sua-estreia-no-endurance.ghtml

    Se isso for verdade, e eles deixaram outro carro recuperar uma volta, ñ achei ruim. Foi uma “troca de gentilezas”.

  7. Felipe disse:

    Nada sobre a IMSA…

  8. Glauco Tavares disse:

    Que vergonha Toyota, que vexame… Conseguiu empanar ainda mais o brilho de uma vitória fácil, uma grande barbada. E para que? Para inflar ainda mais o ego de um piloto vulgar, decadente, sempre envolvido em trapaças, esquemas e patifarias. Lamentável….

    • Rodrigo disse:

      Não existem vitórias fáceis no Endurance. Acredite, vencer (e até apenas acabar) provas de longa duração é sempre louvável. O que não há é concorrência à altura da Toyota, por força de regulamento, inclusive.

  9. Marcos Ferreira disse:

    Rodrigo, se tivermos um domínio quase que absoluto na temporada 2018/2019 por parte da Toyota o que voce acha que acontece em 2020? Um novo domínio ou a Toyota sai fora?

  10. Antonio Vidal disse:

    Deu….deu a lógica. Infelizmente não tive condições de acompanhar a transmissão da FOX SPORTS. Mas já conferi a classificação final e fiquei um tanto quanto decepcionado com o resultado…2 voltas de diferença do time da Toyota para o “resto do mundo”….outra triste constatação: deram numa bandeja a vitória para a trinca comandada por Fernando Alonso, afinal de contas, é preciso reaver a “grana” investida. Na PRO, batalha campal…esperava mais dos BMWs…..pra nós, um excelente 2° e 4º, ótimo ritmo de corrida. ATENÇÃO SENHORES: Apesar do franco favoritismo da Toyota em Sarthe, os “deuses” de lá estarão de plantão, portanto, não arrisco minhas apostas no time nipônico…FALTAM 38 DIAS para “O MAIS LONGO DOS DIAS”….é verdade o que me disseram, que esse ano tem Copa do Mundo de Futebol?…

    • Fernando Silva disse:

      Parece que o jogo de estreia da seleção da CBF ( que não me representa e nem terá minha torcida…) será exatamente no dia das 24h de Le Mans…se sim, infelizmente. O Fox Sports fez coberturas excepcionais da prova, com janelas que chegaram a 4 horas contínuas de transmissão e mais de 10 horas no total (o Mattar pode me corrigir se eu estiver enganado) mas desta vez será difícil competir…vamos aguardar.

  11. Fernando Silva disse:

    Sobre o “jogo de equipe”, era esperado…Alonso hoje faz parte da estratégia de mkt não só da Toyota, mas do WEC em si, se é apreciável ou não (não é…) é outra história. E nada disso garante aos japoneses a cereja do bolo: as 24h de Le Mans, os deuses de Sarthe jamais escolheram a Toyota, que ano passado viu os tres carros sairem da disputa num curtíssimo espaço de tempo quando nadava de braçada.No mais, destacar o quão são lindíssimos os carros da SMP, quem sabe um LMP1 privado leva a clássica prova francesa.
    A coisa foi boa mesmo nas duas classes da GTE, que disputas sensacionais entre os dois Aston Martin na Am, e também entre Porsche e Ford na Pro, que, apesar da vitória na classe, viu seus dois carros se espatifarem na Eau Rouge num espaço de dois anos (aquele do Mucke em 2016 foi assustador…), melhor o Mr Chip mandar dar um banho de sal grosso nos carros sempre que forem para Spa…

  12. Igor Rabelo disse:

    Ansioso por ver essas feras em Interlagos, futuro próximo!

  13. Celso Gomes disse:

    Transmissão ao vivo agora via App IMSA.

  14. Igor Fonseca disse:

    Eu só sei de uma coisa depois de tudo isso: Qualquer carro vencendo as 24 horas de Le Mans que não seja Toyota eu vou achar bom demaaaais.

  15. BRUNO TAIAR DE CARVALHO disse:

    Olá, Rodrigo.

    Parabéns pela transmissão e pelo trabalho dedicado ao WEC, IMSA e demais categorias.

    Sobre a vitória do Toyota #8 ontem, há uma zica a ser tirada…

    Há cerca 11 anos Spa antecede e serve como teste para as 24 horas de Le Mans nesse formato de “superprotótipos”.

    Peugeots, Audis, Porsches e Toyotas se revezaram nas vitórias e nesse período o vencedor das 6h de Spa, ou dos 1.000 Km de Spa, NUNCA venceu as 24 horas de Le Mans.

    É apenas um retrospecto e pode ser uma baita coincidência, mas o fato é que Le Mans está cagando para o que pilotos e equipes fizeram como preparação. As condições são únicas e favoritismo nenhum sobrevive em Sarthe.

    Tudo favorece a Toyota, Alonso e companhia, mas, com o perdão do clichê barato, Le Mans é Le Mans.

  16. Paulo disse:

    Curto muito endurance, não lembro de ter perdido uma corrida nos ultimos anos desde que a Foxsports transmite ou pela net, mas acho que não vou ter saco para ver esse desfile do Alonso e Toyota. Vai ser muito chato, se ao menos dessem maior destaque para os LMP2 e GTs ainda valeria a pena, mas não vi isso ontem.

  17. Eu até gosto do Alonso, coloco ele no top 3 da F1, mas ganhou de ninguém, esse WEC categoria P1 é uma piada, 2 carros da mesma equipe competindo entre si, como se fossem dois carros de F1 contra outros de F2… isso não tem nenhum sentido em termos de competição. Eu particularmente curto muito mais os GT, bons tempos quando eles eram a categoria principal do mundial (GT1).

    • Rodrigo Mattar disse:

      Quando a Audi corria contra ela mesma ninguém falava nada.

      • Na verdade eu não falava porque não assistia mesmo. Agora mudando de categoria, você já conseguiu assistir à segunda corrida da DTM de Hockenring? Os últimos 20 minutos foram espetaculares, disputas comparadas à Moto GP, fazia tempo que eu não via uma corrida tão boa. Gary Paffett e Timo Glock protagonizaram uma disputa ANIMAL pelo primeiro lugar dando uma aula de pilotagem.

      • Rodrigo Mattar disse:

        Vou pôr os vídeos no blog quando puder.

    • McLaren-12 disse:

      Quem não conhece a história está condenado a repeti-la.

      Você deve ser mais um desses pachecos que acha que automolismo é esporte individual e ficou magoadinho pelos brasileiros terem companheiros de equipe melhores e serem obrigados a ceder a posição.

      Ainda tomou uma do Rodrigo Mattar.

      Gostei!

      • Alexandre Bauer disse:

        Parabéns, seu comentário merece uma estrela.
        Obs.: Obrigado é pau de arrasto morro acima.

  18. Igor Fonseca disse:

    Rodrigo a Audi competia em condições equivalentes as outras equipes, pelo menos em termos de regulamentoe e se impunha pela sua confiabilidade mesmo perante as outras. E mesmo nesse período a gente ainda via alguma competitividade: Seja a Pescarolo rivalizando contra os R8, A Bentley até 2003, mesmo tendo suporte técnico da própria Audi… Quando a Peugeot chegou em 2007 pra rivalizar contra o inovador R10 TDi (Primeiro carro movido a diesel a vencer em Le Mans)… não vou nem mencionar as tentativas que a ACO fez durante esse tempo a fim de barrar o domínio da Audi, como por exemplo, de tanto estrangular o restritor do R8 ele chegou a correr com 520 cv de potência(!!) em 2005. E mesmo assim se mostrou mais confiável que os concorrentes e venceu (ALMS e Le Mans).

  19. fernando disse:

    Rodrigo, alguma informação doq houve com o SMP #17? Pq tão dizendo que o carro na saida da Eau Rouge/Raidillon teria simplesmente decolado igual CLK do Mark Webber e dado duas voltas no ar e aterrizado nas rodas, nenhuma camera pegou, mas ele vinha colado num Porsche GTPro. Depois do acidente com O Pietro onde esta comprovado falha mecanica, e um acidente que não era pra ter causado tanto dano no carro e nem no piloto, pq hj um LMP1 deveria ser o carro mais seguro do planeta, e nas foto da pra ver que quebrou a fibra do cockpit, oq é um absurdo.

    Fica a duvida, se esse carro seja realmente seguro, e não estão escondendo alguma coisa.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Foi exatamente essa a informação que tenho. De que o Matevos Isaakyan deu duas piruetas no ar e caiu com as quatro rodas pra baixo.

      E realmente é caso pra se investigar a parte estrutural desse BR01 Engineering.

      • fernando disse:

        Elton Julian disse que não alinha o carro dele até ter certeza de tudo que houve no carro.

        Sei não Le Mans pode sofrer uma porrada grande sem ginetas e dallaras.

      • Rodrigo Mattar disse:

        Com certeza. O ACO a esta altura do campeonato já começa a arrancar os pentelhos do saco.

  20. Geraldo Netto disse:

    Não terá muita graça se a Toyota ganhar todas as corridas do campeonato. O WEC deveria seguir as regras do IMSA, onde há competição de verdade, basta ver os resultados desse ano

  21. fernando disse:

    Olha eu nao tenho a Fox Sports então assisti por um link de alguma TV espanhola e na boa, não existe nada mais ufanista doq a tv espanhola, era só Alonso e algumas informações bem idiotas pra explicar o publico leigo o que estava acontecendo, por que Alonso estava lá como funcionava a categoria, serio transmissão de dar pena.

  22. Luciano disse:

    Se a Toyota não ganhar Le Mans esse ano, haja harakiri aos pés do Monte Fuji, pois já está tudo arranjado e arrumado para os nipônicos ganharem folgados e de quimono tanto nas 24 Horas como a Super Season do WEC… Como se os nobres japoneses precisassem de ajuda, mas diante da dinheirama que eles já gastaram e decerto para não acompanharem a Audi e a Porsche na debandada que a LMP-1 sofreu pesadamente, vantagens foram oferecidas. O regulamento que estrangula os LMP-1 independentes que o diga e tenho a impressão que a turma que fez seu carro pra duelar com a Toyota vai repensar se vale a pena continuar nisso depois de Le Mans…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>