MENU

19 de agosto de 2018 - 22:54Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (411)

0b0ae3b99a2fb8dbf37d94ef5ee4be3b

RIO DE JANEIRO - A foto acima é um registro especial: Grande Prêmio da Áustria, 12ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1 em 1973. No dia 19 de agosto daquele ano, José Carlos Pace subia pela primeira vez num pódio na categoria máxima do automobilismo.

Moco disputava naquela ocasião seu 23º GP na carreira e estava a bordo do modelo Surtees TS14 Cosworth. Na época, sua equipe era uma das poucas que ainda apostava nos pneus Firestone, já inferiorizados em relação aos Goodyear. Além do mais, o carro – embora rápido – tinha crônicos problemas de suspensão que minaram o trabalho do brasileiro e do britânico Mike “The Bike” Hailwood.

Carlos Pace já se destacara na prova anterior, o GP da Alemanha, conquistando o quarto lugar ao guiar como um mestre no difícil circuito de Nürburgring, batendo inclusive o recorde da pista, que pertencia a Jacky Ickx, por três décimos de segundo. Em Zeltweg, veloz pista de quase 6 km de extensão, Pace largou em oitavo e foi muito competitivo o tempo todo, completando a disputa em terceiro e com mais uma melhor volta – 1’37″29, perdendo a chance de quebrar outro recorde por sete centésimos.

Sorriso aberto, Moco quase não subiu ao pódio: o motor de seu carro quebrou logo após a quadriculada. Ronnie Peterson triunfou com a Lotus 72 e Jackie Stewart, que na etapa anterior estabelecera o recorde de 27 vitórias – que só seria quebrado em 1987 por Alain Prost – caminhava a passos largos para o título daquele campeonato, que conquistaria em Monza.

Pace não sabia – e quem poderia adivinhar? – mas seus feitos históricos em 1973 também foram os últimos grandes momentos do Team Surtees na categoria, pois o brasileiro foi o segundo e último piloto do time a fazer um pódio (o primeiro foi Hailwood, no GP da Itália em 1972, com um 2º posto) e a melhor volta na Áustria foi a terceira e última da equipe de “Big” John.

Há 45 anos, direto do túnel do tempo.

3 comentários

  1. TARCISIO FRASCINO FONSECA disse:

    Torcia muito pelo Emerson à época.
    E acabava esquecendo outro brasileiro bom de braço.
    Como o Emerson estava pretendendo ter um aumento na renovação Chapman não estava muito entusiasmado em vê-lo campeão.
    Então o Peterson soube aproveitar (sem tirar os méritos do sueco).
    Stewart desta vez não teve úlcera como no ano anterior.
    Temos que concordar que foi campeão com méritos em 1973.
    Pena que dois deste pódio se foram MUITO prematuramente.

  2. Bruno Serafim disse:

    Que coincidência, eu tinha olhado essa foto justamente ontem nos meus arquivos. Moco mandou muito bem naquele ano, a aparição dele no GP de Nurburgring foi digna de muitos elogios do comentarista da TV alemã na época, se não me engano.

  3. Antonio Vidal disse:

    Grande MOCO…espetacular MOCO….a foto traz dois dos meus preferidos da F1…MOCO e o meu ídolo dos anos 70, Ronnie Peterson….
    CLARK, SENNA e PETERSON…pilotagem no seu estado puro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>