MENU

28 de outubro de 2018 - 23:46European Le Mans Series

ELMS: United Autosports vence outra e títulos da LMP3 e LMGTE são definidos

United-2018-ELMS-Portimao-22-Ligier-Race

Mudar faz bem: a United Autosports trocou os pneus Dunlop pelos Michelin e emplacaram duas vitórias nas últimas corridas do ELMS

RIO DE JANEIRO - Numa 4h de Portimão cheia de alternativas do início ao fim, a United Autosports triunfou pela segunda vez seguida no ELMS, fechando o an em alta – um alento para o time de Zak Brown e Richard Dean e para a Onroak Automotive, que voltou a ser superior à Oreca pelo menos no campeonato continental.

O carro guiado pelo ídolo local Filipe Albuquerque e pelo britânico Phil Hanson foi o responsável pelo triunfo, após percorrer 140 voltas pelo Autódromo Internacional do Algarve e cruzar com apenas meio segundo de vantagem para o #23 da Panis-Barthez Competition do trio Julien Canal/Will Stevens/Timothé Buret. Pelo visto, a mudança dos pneus Dunlop para os Michelin compensou plenamente nos chassis construídos pela empresa de Jacques Nicolet.

Tanto que o 3º posto foi do outro carro da United Autosports, com Hugo De Sadeleer/Wayne Boyd/Will Owen fechando o ano com um pódio bastante meritório – embora herdado da G-Drive Racing. A equipe já campeã da categoria – e que fez de Jean-Éric Vergne o vice – perdeu 10 segundos no resultado final porque o carro #26 abusou dos limites da pista.

Já entre os times, o vice foi da Racing Engineering, em seu ano de estreia no Endurance. Sem dúvida um belo trabalho do time de Alfonso de Orleans e Borbon, com um 5º posto na corrida final. A equipe espanhola foi beneficiada por uma quebra de suspensão no #29 da Duqueine Engineering, que se destacou nos treinos com a pole position e liderou por um bom tempo a disputa, de forma bastante convincente.

Quem também chegou à dianteira – no início da disputa – foi Felipe Nasr, com o carro da Cetilar Villorba Corse. Mas penalizações e demais problemas minaram a corrida dele e de seus parceiros. Eles acabaram por ficar em 24º na geral, perdendo onze voltas em relação aos vencedores.

Na classe LMP3, a trinca John Farano/Job Van Uitert/Rob Garofall fez o suficiente para conquistar o título da temporada para eles e a equipe britânica RLR MSport, que fez um belo trabalho ao longo do ano. O 15º posto geral rendeu a quinta posição e mais 10 pontos para a conta, já que os únicos que ainda podiam reverter o quadro – Ross Kaiser e Terrence Woodward, da equipe 360 Racing, se debateram com problemas de câmbio e só completaram 105 voltas.

A vitória na etapa derradeira e o vice-campeonato geral ficaram com Martin Hippe/Kuba Smiechowski, em bela apresentação da dupla da Inter Europol Competition. Eles derrotaram a Ecurie Ecosse/Nielsen, que ficou em 2º na divisão e também a United Autosports, que buscava bisar o título do ano passado e desta vez teve que se contentar com o 3º posto entre pilotos e equipes na classe.

E entre os modelos de Grã-Turismo, a Proton Competition venceu e consagrou campeã a dupla Giorgio Roda Jr. e Gianluca Roda, que terminaram em 3º lugar neste domingo. Dennis Olsen/Marvin Dienst/Christian Ried foram os vitoriosos no Porsche #77, selando a festa completa do time de Ummendorf. O pódio teve ainda a guerreira equipe JMW Motorsport, que sobreviveu a uma penalização por contato com um protótipo LMP3 para ser também vice-campeã da temporada.

Sendo assim, os convites automáticos das 24h de Le Mans já estarão nas mãos da G-Drive Racing e da RLR MSport (LMP2) e também da Proton Competition e JMW Motorsport – possivelmente na LMGTE-AM. A Kessel Racing tinha sido a detentora da primeira vaga oficialmente confirmada para a campeã da Michelin Le Mans Cup nos carros GT3. Se vai competir em La Sarthe, aí já é outra história.

Agora é esperar o próximo ano. Esse acabou pro ELMS, não tem mais.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Assisti uma pequena parte da prova pela internet, mas a péssima conexão e o compromisso obrigatório de ir às urnas ontem logo abreviaram minha diversão…legal ver os protótipos Ligier prevalecerem, porque há uns dois anos ao menos são tidos como o pior equipamento para quem vai competir de LMP2 em qualquer das categoria e viraram praticamente um patinho feio tanto que no WEC praticamente nenhum time corre com eles.
    Pena que o Nasr e sua trinca tiveram problemas, porque pareciam rápidos na parte inicial da prova.
    O ELMS tá legal e numeroso (até demais…) nas classes de protótipos, mas deixa a desejar na GTE, com 6 carros de somente 2 modelos…será que teremos previsão de mais times e carros ano que vem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>