MENU

13 de outubro de 2018 - 00:56Mundial de Endurance

WEC, 6h de Fuji: Toyota segue dominante

TGR_0018-1

RIO DE JANEIRO - O baile segue como antes: a Toyota, mesmo com um inédito ajuste no EoT que lhe deu 26 kg extras para as 6h de Fuji, continua como a equipe a ser batida no FIA WEC, o Mundial de Endurance, tamanha a superioridade dos carros japoneses sobre os demais adversários.

Novamente sem precisar de esforço extra, os dois protótipos TS050 Hybrid dominaram a folha de tempos para o terceiro e derradeiro treino livre, abrindo o sábado lá no Japão. Longe de ser a melhor volta do fim de semana, o que deve acontecer em algumas horas, o tempo de 1’24″589 do ídolo local Kamui Kobayashi foi suficientemente bom para deixar Fernando Alonso a 0″591.

O jovem russo Egor Orudzhev pôs o #17 da SMP Racing com a terceira marca, já a 1″086 do melhor tempo da sessão – e o tempo do piloto ainda foi quatro décimos melhor que o Rebellion R13 Gibson do suíço Neel Jani, com Gustavo Menezes em quinto e Jenson Button em sexto.

Bruno Senna cumpriu um total de 24 voltas na sessão livre e a melhor delas foi em 1’27″010, pouco menos de um segundo pior que a de Jani.

A novidade é que no meio do fim de semana, a FIA publicou um adendo no EoT, beneficiando as equipes não-oficiais com uma nova carga de combustível por hora. DragonSpeed e Rebellion terão um fluxo de 55,5 kg de gasolina/stint. Para os times com motores turbo, no caso a ByKolles e a SMP Racing, o número é de 50,3 kg de gasolina/stint.

Entre os LMP2, o malaio Jazeman Jaafar deixou todos para trás e registrou a melhor volta da categoria no fim de semana – 1’29″352, deixando para trás o francês Matthieu Vaxivière da TDS Racing e o monegasco Stéphane Richelmi, a bordo do segundo carro da Jackie Chan DC Racing.

O folclórico Pastor Maldonado fez o quarto tempo do FP3, enquanto Nyck de Vries e Nico Lapierre vieram nas posições seguintes. O francês registrou 1’30″808, provavelmente focando no acerto de corrida. André Negrão fez 1’31″635 na terceira sessão, mas tanto o brasileiro quanto a equipe Signatech-Alpine Matmut têm como melhorar ou igualar as performances da sexta-feira.

O último treino livre da LMGTE-PRO teve um fato digno de registro. As cinco marcas presentes na competição estiveram nas cinco primeiras posições. Mais: foram 0″325 apenas separando os mais rápidos do treino e todos os 10 carros dentro do mesmo segundo.

A liderança nesta manhã de sábado em Fuji foi do Porsche #92, que foi o único a baixar de 1’37″: Kévin Estre marcou 1’36″851, 0″180 melhor que o Ford GT EcoBoost de Harry Tincknell. A partir daí as diferenças foram irrisórias, com Marco Sørensen classificando o Aston Martin #95 em terceiro, a Ferrari #71 de Davide Rigon em quarto e a BMW #82 de Tom Blomqvist na quinta colocação.

Last but not least, a Gulf Racing UK liderou a folha de tempos entre os LMGTE-AM, com Benjamin Barker baixando a melhor volta da classe na pista, com 1’37″709 (registre-se: tempo melhor que os dois últimos de hoje na LMGTE-PRO). O britânico foi 0″124 mais veloz que o australiano Matt Campbell, enquanto Matteo Cairoli veio na sequência.

Nas posições seguintes, ficaram a Ferrari da Spirit of Race com Giancarlo Fisichella, o Porsche da Project 1 tripulado por Jörg Bergmeister e a Clearwater Racing em sexto, graças a Keita Sawa. Os velhos Aston Martin Vantage GTE fecharam a raia na última sessão livre.

O qualifying começa às 2h da manhã de Brasília com os carros de Grã-Turismo e na sequência vêm os Protótipos. Para acompanhar ao vivo, só assinando o streaming no site oficial da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>