MENU

21 de novembro de 2018 - 12:1224 Horas de Le Mans, Cinema

8 Meters

RIO DE JANEIRO – O Flavio Gomes postou a novidade em seu blog e hoje cedo, na hora do almoço, nos encontramos casualmente e ele me contou por alto o que escrevo aqui.

Sim, amigos. Le Mans outra vez nos cinemas. E sobre a corrida de 1966, “Ford versus Ferrari”.

A história é deliciosa e deve, ainda que romanceada, contar como Henry Ford II tentou comprar a Ferrari – sem sucesso algum. Em resposta, com o auxílio de Eric Broadley, já construtor com a Lola, mais Carroll Shelby e John Wyer, mandou fazer um carro para passar o trator nos italianos. A companhia do oval azul de Detroit também não vinha bem no mercado interno – perdia terreno para a Chevrolet nas vendas e nas pistas – e ganhar as 24h de Le Mans, uma prova mundialmente conhecida, sem dúvida aumentaria o prestígio da marca.

A Ford teve oito carros naquela edição da corrida e efetivamente venceu a disputa com Bruce McLaren e Chris Amon. Mas não sem uma boa dose de polêmica: Ken Miles, que desenvolveu o carro e tinha um excepcional feeling de acerto, além de ser um bom piloto, vencera as 24h de Daytona e as 12h de Sebring. Triunfando em La Sarthe ao lado do neozelandês Denny Hulme, o britânico – então com 47 anos – entraria para a história como o primeiro Tríplice Coroado da história do Endurance. Nunca ninguém vencera as três corridas num mesmo ano.

E aí, veio a ordem de Henry Ford II de mandar os carros terminarem a prova em “formação esquadrão”. Só que o ACO avisou que não havia empate e foi por oito metros – não por 20, como se disse em outras ocasiões – que McLaren/Amon derrotaram Miles/Hulme. Os vencedores corriam de Firestone, mas os pneus não eram suficientemente bons no piso molhado (choveu na ocasião) e perderam tempo. Acabaram a prova calçando Goodyear, melhores em performance.

É a história contada por este mini-documentário (produzido antes da morte de Chris Amon, que ocorreu em 2016) que ilustra este post – um aperitivo do que virá na telona. O ótimo ator Christian Bale, que fez um dos “Batman”, será exatamente Ken Miles, que morreria em agosto de 1966 num teste de pista em Riverside.

Que seja um filmaço à altura de “Grand Prix”, “Le Mans” (o do Steve McQueen) e “Rush”.

1 comentário

  1. rodrigo botana disse:

    dez isso, mas acho que em vez de cristian bale e mat damon deviam interpretar os personagens principais dois atores que adoram automobilismo e já correram, michael fasbender e patrick dempsey, ficaria mais legal se esses dois fizessem o papel, mas que seja dez esse filme, poucos filmes sobre automobilismo são feitos ultimamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>