MENU

15 de janeiro de 2019 - 09:56European Le Mans Series

Senna no ELMS

Bruno-Senna

RIO DE JANEIRO - Campeão mundial do WEC na classe LMP2 em 2017, o brasileiro Bruno Senna segue nos protótipos no próximo ano, cumprindo seus compromissos com o Mundial de Endurance pela Rebellion – mas com um novo desafio que começa em Paul Ricard, no dia 14 de abril.

O piloto de 35 anos foi anunciado hoje como integrante da tripulação da equipe britânica RLR MSport na temporada 2019 do European Le Mans Series. Essa escuderia ganhou no ano passado o título da divisão LMP3 e sobe para a classe principal do ELMS com um chassis Oreca 07 e motor Gibson V8.

Bruno não foi o único piloto anunciado: o gentleman driver canadense John Farano, de 59 anos, também estará a bordo no campeonato que tem seis etapas – em Paul Ricard, Monza, Barcelona, Silverstone, Spa-Francorchamps e Portimão – circuitos que o sobrinho de Ayrton Senna conhece muito bem.

Por força do acordo com a Rebellion, o que significa que ele deve seguir no WEC na temporada 2019/20, a única etapa do ELMS à qual Bruno deve ficar de fora é as 4h de Silverstone, que serão no mesmo fim de semana do Mundial – que será naquela oportunidade sua prioridade.

De qualquer forma, o piloto terá um amplo calendário de corridas. Serão cinco do Europeu pelo menos, três do WEC finalizando a temporada 2018/19 e mais quatro para o campeonato 2019/20. No total, 12 eventos de março a dezembro.

“É muito empolgante aceitar esse novo desafio e se juntar ao plantel altamente competitivo da European Le Mans Series na LMP2 com a RLR MSport”, disse ele.

“A equipe teve grande sucesso no passado, vencendo recentemente os títulos de equipes e pilotos de LMP3, e tenho certeza de que o passo para a LMP2 será bem-sucedido. Nossas experiências combinadas devem nos tornar um forte candidato para as corridas e estou realmente ansioso para dar o pontapé inicial”, frisou Senna.

Até o momento, são sete as equipes que anunciaram intenção de disputar o ELMS em 2019. Na LMP2, estariam Cool Racing (outra nova equipe, que já contratou o experiente Nico Lapierre), G-Drive Racing (atual campeã, renovou com Jean-Éric Vergne e Roman Rusinov), Inter Europol Competition, Panis-Barthez Competition (terá dois carros e fechou com Will Stevens, René Binder e Julien Canal), RLR MSport e United Autosports (a princípio com Filipe Albuquerque e Phil Hanson, que depois foram confirmados no programa WEC em 2019/20).

A Inter Europol Competition deve seguir também na LMP3 e a Kessel Racing, que ganhou a Michelin Le Mans Cup, deve voltar ao ELMS com duas Ferrari 488 GT3 e assim participar das 24h de Le Mans deste ano. Claudio Schiavoni foi o primeiro piloto anunciado.

1 comentário

  1. Jonny'O disse:

    Incrível a saúde dessas categorias ,LMP2 e LMP3 e os GT3 elas deixaram pra segundo plano as classes de turismo na preferencia das equipes na ultima década.

    essa semana quem esta tentando ser lembrada é a Ginetta, que postos seus carros nos estande no “The Racing Car Show” , vale lembrar que a Ginetta fracassou ano passado com seu LMP1-Mecachrome , e perdeu todo espaço no LMP3 , seus protótipos desapareceram dos grids.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>