MENU

10 de março de 2019 - 19:43Mundial de Endurance

1000 Milhas de Sebring, testes coletivos: só deu Toyota

Toyotatest

RIO DE JANEIRO - Para surpresa de absolutamente ninguém, a Toyota fez os melhores tempos dos dois dias de treinos coletivos preparatórios para as 1000 Milhas de Sebring, que marcam o retorno da clássica pista da Flórida ao Mundial de Endurance após sete anos. E guardem na agenda: a corrida será sexta-feira, já que sábado acontece a etapa da IMSA – as 12h de Sebring.

Neste fim de semana, com exceção feita às equipes DragonSpeed (envolvida com a abertura da Fórmula Indy, mas que já testara por lá em fevereiro), Jackie Chan DC Racing (também treinou por lá no mês passado) e Corvette Racing, por motivos bem óbvios, as demais equipes inscritas na 6ª etapa da Super Season do WEC trataram de usar o máximo possível de tempo para coletar dados úteis de acerto e também desgaste de pneus e autonomia de combustível.

Durante as oito horas de treinos tanto sábado quanto no domingo, os líderes do campeonato – que inclusive fizeram por lá um teste de 30 horas, também em fevereiro, reinaram absolutos. Mesmo sem Sébastien Buemi e Pechito López, que vêm de Hong Kong, onde competiram na ABB FIA Fórmula E, os dois carros dominaram as ações tranquilamente. Mike Conway fez o novo recorde não-oficial do traçado da Flórida por duas vezes. No sábado, o britânico marcou 1’41″211. Hoje, melhorou um pouco mais – 1’41″152, média superior a 214 km/h. Nas quatro sessões, Conway fez o melhor tempo em três delas e Kamui Kobayashi, um de seus parceiros, na outra.

Fernando Alonso fez o 2º tempo no agregado dos testes – 1’41″204, portanto a apenas cinquenta e dois milésimos do colega de equipe e rival. Ele e Kazuki Nakajima percorreram nada menos que 119 voltas na última sessão deste domingo. Anteriormente, rodaram 68 voltas (TL1), 49 (TL2) e 104 (TL3). No total, os dois fecharam os treinos com mais de 2 mil quilômetros e 340 voltas a bordo do Toyota TS050 Hybrid – bem mais do que precisarão para fechar uma prova com 1000 Milhas.

Entre os protótipos não-oficiais (cabe lembrar que a tabela do EoT para Sebring penalizará mais aos carros da SMP Racing, que têm motores turbo), a melhor volta ao fim dos quatro treinos coletivos foi do recém-chegado Sergey Sirotkin, que ontem marcou 1’42″357 a bordo do BR01 Engineering #17. Brendon Hartley mostrou rápida adaptação e foi o quarto, com 1’42″608 – o mais rápido piloto dos Rebellion R13 com motor Gibson V8 aspirado foi Gustavo Menezes, em 1’42″926. Bruno Senna, que trabalhou nos acertos do carro #1 com Mathias Beche e Neel Jani, completou 103 voltas ao longo dos dois dias. A melhor volta dele foi 1’43″390, hoje pela manhã.

Mas a SMP Racing não terminou os testes sem arranhões: Vitaly Petrov bateu durante a sessão desta tarde de domingo na curva 10, oferecendo danos consideráveis ao protótipo #11 que dividirá com Hartley e Mikhail Aleshin neste fim de semana.

Na LMP2, a boa surpresa foi o desempenho do único Dallara P217 inscrito. O holandês Nyck De Vries pôs o #29 do Racing Team Nederland no topo da folha de tempos após as quatro sessões – 1’47″086, registrados de manhã, quando a névoa inclusive causou um ligeiro atraso no início das atividades de pista.

O tempo do piloto do Racing Team Nederland foi apenas 0″092 melhor que o Alpine A470 Gibson da Signatech-Alpine Matmut, que guiado por Nico Lapierre, ficou com a segunda posição da classe. A partir desta corrida, a equipe francesa é a mais nova cliente da Michelin. Loïc Duval foi o terceiro melhor com o #28 da TDS Racing, marcando 1’47″642. André Negrão deu 79 voltas no total – na mais rápida, virou em 1’47″992, ontem à tarde.

Entre os LMGTE-PRO, a Chip Ganassi Racing foi melhor que as rivais em três das quatro sessões de testes. Mas quem riu por último foi a Porsche: Richard Lietz fez o melhor tempo da categoria em 1’57″302. Andy Priaulx e Harry Tincknell completaram os três mais rápidos ao longo dos treinos.

Já Daniel Serra, que volta a pilotar pela AF Corse no Mundial de Endurance, fez um belo trabalho. Marcou 1’58″097 em sua melhor volta nos testes, somando 69 voltas percorridas. Augusto Farfus fez mais quilometragem: completou 127 giros e o tempo mais rápido do piloto oficial da BMW foi 1’59″124 neste domingo. A casa bávara contou com a ajuda de John Edwards, piloto da IMSA, para ensinar o ‘caminho das pedras’ para o time alemão MTEK em sua primeira visita a Sebring.

fire2

Em contrapartida, a Project 1 Racing, líder da Super Season 2018/19 do WEC na classe LMGTE-AM, apanhou um puta susto no carro #56, então guiado na parte da manhã por Jörg Bergmeister. Um incêndio de grandes proporções destruiu completamente o carro, que não será recuperado a tempo – felizmente, Bergmeister não se feriu. A Porsche já providenciou da Alemanha o envio de um carro completo para os EUA, que deve chegar ainda a tempo de ser ajustado para os primeiros treinos.

O melhor tempo da categoria durante os testes foi da Dempsey Racing-Proton, com o italiano Matteo Cairoli marcando 1’58″707 neste domingo de manhã. Ontem, o português Pedro Lamy fez 1’59″435 com o Aston Martin Vantage #98 e Matt Griffin marcou 1’59″448 a bordo da Ferrari da Clearwater Racing, que até o fim do campeonato terá novos pilotos – o argentino Luis Pérez-Companc e o italiano Matteo Cressoni.

As atividades oficiais de pista para as 1000 Milhas de Sebring começam quarta-feira às 15h locais (16h de Brasília). Mais uma vez, lembro que a corrida é sexta-feira, com largada às 16h locais (17h de Brasília) para uma prova de no máximo oito horas de duração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>