MENU

5 de abril de 2019 - 00:54Super GT

Lista completa: Super GT terá 44 carros em Okayama

Super-GT-Test-Fuji-2019-1

Por cima: nos teste de pré-temporada, a equipe Impul deu as cartas com seu Nissan GT-R

RIO DE JANEIRO - Tudo em cima para a temporada 2019 do Super GT japonês. A categoria começa seu campeonato em Okayama, daqui a menos de 10 dias, com grid completo. A GTA confirmou na última segunda que os 44 carros inscritos estão garantidos no primeiro grid do ano. A prova do dia 14 de abril será disputada com percurso de 300 km pelos 3,703 km do traçado que nos anos 1990 recebeu duas provas de Fórmula 1, como GP do Pacífico.

Há alguns dias, a categoria se reuniu em Fuji para mais dois dias de treinos de pré-temporada – já havia acontecido uma bateria de testes lá mesmo em Okayama. A Nissan se saiu melhor: James Rossiter (Calsonic Impul) foi o autor da melhor volta em 1’28″254 entre os pilotos da GT500. Na subcategoria GT300, o tempo de referência foi de Takamitsu Matsui, com o Toyota 86 MC do Hoppy Team Tsuchiya – 1’36″377.

Será um ano de muitas mudanças e caras novas (outras, nem tanto) – já falamos inclusive de algumas delas aqui no blog.

Na GT500, Jenson Button vem com a responsabilidade de encabeçar a lista de entradas e defender junto a Naoki Yamamoto o título conquistado no ano passado, com o Honda NSX-GT Concept da equipe do lendário Kunimitsu Takahashi.

Houve várias mudanças e a Honda promoveu algumas delas, como a vinda de Narain Kartikheyan da Super Formula e também a de Tadasuke Makino, que estava na Fórmula 2 e dividirá seu tempo com o programa de Grã-Turismo e da própria Super Formula.

A Nissan radicalizou: com a dispensa de João Paulo de Oliveira e a aposentadoria de Satoshi Motoyama, apostou em veteranos para preencher as vagas em aberto. Trouxe Kohei Hirate da Toyota, repatriou Fred Makowiecki (que há alguns anos atrás foi piloto da Honda) e também apostou no experiente James Rossiter, sem chance de ser titular com os Lexus, para ajudar. Tem dado certo: o carro azul #12 guiado por ele e por Daiki Sasaki foi o mais rápido dos dois treinos de pré-temporada.

Nos Lexus, que serão vistos pela última vez neste ano, as mudanças mais profundas foram a saída de Kamui Kobayashi do certame e a ida de Felix Rosenqvist para a Fórmula Indy. A aposta é em jovens valores vinculados à montadora, como Kenta Yamashita e Sho Tsuboi, para aplacar as perdas.

Super-GT-Test-Fuji-2019-4

O Toyota 86 MC do Hoppy Team Tsuchiya foi o mais veloz entre os GT300 nos testes de Fuji

Se a categoria principal já teve toda essa movimentação, imaginem a GT300, cujas últimas vagas foram finalmente preenchidas.

A JLOC era uma das escuderias que tinha cockpits em aberto. Tinha, do verbo não tem mais: dispensado pela Honda após oito anos, Takashi Kogure procurou emprego e conseguiu. Dividirá um dos Huracán GT3 (patrocinado pela ManePa) com Yuya Motojima. Outro veterano, o português André Couto, volta à categoria. O campeão de 2015 estará no outro carro do time com Tsubasa Takahashi.

O Panther Arto Team Thailand também deu seu jeito: confirmou Sean Walkinshaw, filho de Tom Walkinshaw e dispensado do Autobacs ARTA Team Aguri, para compor a dupla do Lexus RC-F GT3 com o tailandês Nattapong Hortongkum.

Entre os incríveis 29 carros confirmados para 2019, estão quatro “Mother Chassis” construídos pela Dome a pedido da GTA; três carros homologados pela JAF e os demais são padrão GT3 FIA. São 10 marcas representadas e nada menos que 12 tipos diferentes de veículos de competição na GT300.

E são muitas as novidades: as estreias do McLaren 720S com o campeão de Le Mans Seiji Ara e o espanhol Álex Palou; do Aston Martin Vantage GT3 da D’Station com João Paulo de Oliveira a bordo, compondo dupla com Tomonobu Fujii; e do Toyota Prius com sistemas híbridos e motor agora montado na dianteira, já que o regulamento prevê que os bólidos têm que apresentar seus carros na conformidade com os modelos de rua e/ou derivados.

Sem contar as versões EVO de modelos como o Honda NSX-GT3, por exemplo.

E no que diz respeito aos pilotos, também é bom ficar de olho no que farão Nirei Fukuzumi, outro que se dividirá entre Super Formula e Super GT, além do franco-argentino Sacha Fenestraz, a bordo do Nissan da Kondo Racing.

Será um ano muito movimentado. E o blog, como de hábito, deve ter os vídeos ao vivo e na íntegra ao longo das oito etapas previstas. Não percam!

3 comentários

  1. Linke disse:

    Mattar, o que seriam esses “mother chassis”? A GT Japonesa permite tantos chassis diferentes assim para o mesmo tipo de carro?

    • Rodrigo Mattar disse:

      São chassis construídos pela Dome, a pedido da GTA, organizadora da categoria. “Vestidos” com a carenagem do modelo que a equipe quiser, com as mesmas dimensões e tamanho de asa. E com motores Nissan 4,5 litros V8 que foram usados no WEC.

  2. André Fonseca disse:

    Ah esse GT-R Calsonic Impul…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>