Fórmula 3 em Londrina

F

RIO DE JANEIRO –  A Fórmula 3 continua sua via-crucis com um grid inferior a dez carros na quinta rodada dupla disputada neste fim de semana em Londrina, no Paraná. Desta vez, foram nove bólidos somente, sendo cinco na classe principal e quatro apenas na Light.

As vitórias foram divididas entre a Cesário e a Hitech Racing, como era de se supor. Fernando “Kid” Rezende retornou após duas rodadas duplas afastado e venceu a 9ª corrida da temporada, beneficiado pelo problema que tirou Felipe Guimarães, pole position com a incrível diferença de 2″026 em relação ao segundo colocado. Na etapa de hoje, Felipe deu o troco e chegou na frente com a incrível margem de 48″637 – bem mais do que meia pista – de vantagem para Higor Hoffmann, que venceu as duas provas na classe Light.

Aliás, a Cesário Fórmula usou de um velho expediente para atrapalhar os planos de Raphael Raucci, que vinha na liderança da categoria até Londrina. Pôs o gaúcho Rodrigo Gonzalez para se interpor entre os dois competidores da Light, o que tirou de Raucci a possibilidade de chegar próximo ao rival. Com os dois triunfos, Higor voltou à liderança do campeonato na categoria dos Dallara F301. Entre os pilotos que andam nos bólidos mais “novos”, digamos assim, Fernando “Kid” Rezende, que chegou em 7º na geral hoje, mantém a liderança da classificação com 100 pontos somados.

A última rodada dupla será em Curitiba, nos dias 1º e 2 de dezembro. E daí para diante, após uma temporada difícil, com grids baixos mais uma vez, só resta rezar e torcer pelo futuro da Fórmula 3, hoje a única categoria de monopostos que compete nas pistas nacionais.

Classificação da F-3 Sul-Americana após 10 corridas:

1. Fernando “Kid” Rezende – 100 pontos
2. André Pedralli – 75
3. Leonardo de Souza e Rodrigo Gonzalez – 72
5. Felipe Guimarães – 60
6. Christian Castro – 37
7. Nicolas Costa – 35
8. Pedro Nunes – 32
9. Gustavo Frigotto – 22
10. Gabriel Casagrande – 20
11. Ramon Matias – 15
12. Matheus Stumpf – 10

Classe Light:

1. Higor Hoffmann – 142 pontos
2. Raphael Raucci – 133
3. Lucas de la Vega – 91
4. Eduardo Banzoli Fº – 42
5. Luir Miranda e Pedro Castro – 27
7. Luiz Carlos Abbade – 10

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

4 Comentários

  • Lamentável que uma categoria escola esteja abandonada. Ao contrário, a Stock Car recebe todo apoio de mídia e da CBA. Curioso que uma categoria para “aposentados” seja mais importante do que uma categoria que forma pilotos que poderiam chegar à F1. É a “nova” gestão da CBA..

  • É legal termos uma categoria como a Stock, só que a f3 é essencial pra formar pilotos pra F1.O monopolio das atenções e importancia que dão só pra Stock, é a Globo cuspindo pra cima e perder audiencia quando em 2014 não tiver brasileiros na F1.Sem pistas importantes e de referencia(agora a unica com condições de ser preparada pra eventos internacionais é Interlagos) já que que Jacarépaguá foi pro saco diminui ainda mais de termos bons pilotos de monoposto.O kartismo depois do que virou contribui tambem.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames