MENU

24 de março de 2013 - 08:38Fórmula 1, Temporada 2013

“Desculpe, Webber, mas a vitória é minha”

RIO DE JANEIRO – Mal começa mais uma temporada da Fórmula 1 e as polêmicas que vêm permeando a categoria máxima com alguma frequência nos últimos tempos aparecem mais cedo do que se imaginava ou esperava. A culpa, como aconteceu das outras vezes, é das equipes, que infelizmente querem desempenhar um papel muito maior do que os pilotos querem, devem ou podem fazer dentro da pista.

Tudo bem que as escuderias têm a sua importância na categoria, principalmente na parte política e na elaboração dos regulamentos técnicos. Mas os leitores e leitoras do blog hão de concordar que essa história de não poder haver disputa interna entre os pilotos de um mesmo time já deu o que tinha que dar.

Neste domingo de GP da Malásia, o clima ficou pesado em duas escuderias. A Mercedes, leia-se Ross Brawn, colocou Nico Rosberg na seguinte situação: “Fique atrás de Hamilton, na sua, quietinho, que os dois carros recebem a bandeirada.” O alemão, provando o quanto a atual geração de pilotos da Fórmula 1 é repleta de ‘coxinhas’, obedeceu e não partiu para dentro de Hamilton. O que Brawn fez neste domingo não foi muito diferente de nada do que fizera quando comandava a estratégia da Ferrari para favorecer Michael Schumacher em detrimento de Rubens Barrichello.

Hamilton mereceu a 3ª posição porque fez uma ótima corrida e teve méritos para conquistar o resultado. Mas será que Rosberg, em condições normais de temperatura e pressão, não teria chances de superá-lo? Pergunta que, pelo visto, não será respondida. E para provar que a atitude de Ross Brawn não foi das mais corretas, Niki Lauda queixou-se publicamente, querendo que houvesse competição entre os dois pilotos dos carros prateados – o que, no meu ver, seria o mais justo e o ideal.

Só que não existe justiça e o mundo ideal no automobilismo.

E na Red Bull hein? O que dizer do que aconteceu no time do touro vermelho, que sempre bateu no peito para dizer que ‘os pilotos lutam pela vitória em pé de igualdade’. Conversa das mais fiadas, porque Sebastian Vettel desobedeceu uma ordem via rádio, que determinara que desta vez a vitória deveria ser de Mark Webber. Houve briga, por duas voltas, entre os carros #1 e #2 pela liderança, desesperando toda a cúpula do time – leia-se Christian Horner, Helmut Marko e Adrian Newey. A situação pesou quando Vettel passou por cima da tal ordem e superou o australiano para vencer a corrida, num revival do famoso entrevero entre Gilles Villeneuve e Didier Pironi na Ferrari, no distantíssimo ano de 1982.

749068875

Como consequência do clima belicoso, a foto acima mostra Webber, num gesto nada sutil, mostrando o dedo médio para Vettel e externando o seu descontentamento, mantido  com sua cara de desaprovação no pódio e suas declarações após a corrida, descendo a lenha no companheiro de equipe – e na Red Bull, também.

“Depois da última parada, o time me disse que a corrida tinha acabado, nós tiramos o pé e fomos para o final”, explicou. “Eu também queria disputar, mas, no fim, a equipe tomou uma decisão, que é o que nós sempre dizemos antes do início da corrida, de como provavelmente vai ser: nós cuidamos dos pneus e levamos o carro até o fim”, continuou.

“No fim, Seb tomou suas próprias decisões hoje e terá proteção, como de costume. E é assim que é”, disparou. “Eu tirei o pé e comecei a cuidar dos pneus, e aí a disputa começou”, lembrou. “Fiquei decepcionado com o resultado da corrida de hoje”, finalizou o australiano.

Sem ter muito o que dizer a respeito de sua atitude, que lhe valeu a 27ª vitória na Fórmula 1, igualando outro tricampeão, o escocês Jackie Stewart, Vettel não teve outra saída a não ser pedir “desculpas” a Webber pela ultrapassagem e pela vitória. “Devia ter me comportado melhor”, admitiu o alemão. Concordo: em vez de ficar de ‘mimimi’ no rádio, como fez num determinado momento da corrida, que tentasse superá-lo no braço, como de fato o fez. Mas que não se arrependa de suas atitudes.

Chega a ser, no mínimo, uma ironia que um piloto que tem três campeonatos nas costas e outro nenhum, que ele chegue ao ponto de se desculpar por uma vitória que, no fim das contas, ele desejou e conquistou. No fundo, Vettel não quis se sentir 100% culpado de tudo – e nem é. Repito: a culpa é toda da Red Bull, como no passado já foi de outras equipes que tomaram atitudes semelhantes, tornando o clima pesado entre os pilotos. Desnecessário enumerar tais ocorrências, porque a própria história da Fórmula 1 nos mostrou quais foram os casos e os pilotos que pagaram caro com estas atitudes.

E assim, a categoria máxima vai se distanciando dos seus fãs. Que sujeito, em sã consciência, vai trocar algumas horas de sono reconfortante por uma corrida onde um vencedor, para posar de santo, se “desculpa” porque venceu? Desde quando é errado ganhar? Não faz parte deste esporte? Um vencedor, vinte e tantos perdedores? Ah… tenha santa paciência!

Vettel não precisava disso e a Fórmula 1 também não. Perde o tricampeão, perde a categoria, perde o esporte.

Daqui a pouco, serão os torcedores que vão dar uma de Mark Webber e mostrar o dedo aos pilotos e equipes, porque se existe o desrespeito ao público, ele poderá um dia correr o sério risco de ser recíproco e a audiência virar as costas para as corridas da categoria.

Se é que já não virou…

Compartilhar

32 comentários

  1. Renato de M. Machado disse:

    concordo,com o fato de quê o seb,não devia ter pedido desculpas ,por ter ultrapassado,mas o problema é que na F1 sempre foi assim ,em toda profissão existem os covardes,mentalmente fracos,e com os pilotos acontecem a mesma coisa,Barrichello,Massa,Berger na Mclaren eram assim,na hora ” H ” do Webber ser campeão,o quê ele fez ? correu os 4 últimos GPs de 2010 com o ombro quebrado,causa: queda de mountain bike,uma sujeito desse tem que se lascar mesmo,competindo num esporte brutal como a F1 que se você não come seu compaheiro de equipe, logo vai ser jantado por ele,e na minha visão quem quiser mudar essa atitude das equipes seja campeão logo pois só assim se tem respeito.

  2. Alessandro Neri disse:

    Já tem um certo tempo que a F1 nao merece a minima atenção de quem realmente gosta de automobilismo. Relugamentos tecnicos e desportivos lamentaveis ( abrir a asa? Tá de sacanagem né?), carros esteticamente horrorosos e ” pilotos” geração coxinha. Categoria se tornou um lixo já há algum tempo.

  3. Alessandro Neri disse:

    Regulamentos

  4. Nino Rainier disse:

    Nossa a corrida foi tão boa que eu preferi nem tentar acordar (kkkkkkkkkkkkkkkkkk). Mas vem aí a nova F1: apenas 1 carro por equipe, as pistas terão uma extensão na pista para largarem todos lado a lado que nem motocross. Só que não. Como os campeonatos tem sido definidos por poucos pontos as equipes fazem de tudo para que os “primeiros” pilotos sempre terminem na frente. É o lado ruim da humanidade se revelando nas corridas. Sempre vai existir isso querendo ou não. Como eu não gosto eu não assisto e dou dedada pra F1.

  5. fabio de souza disse:

    Pois é Rodrigo, foi o que fiz , virei as costas ou melhor, troquei de canal e fui ver o History Channel.Quando o Vettel passou Weber depois da equipe tentar melar a corrida de Webber fazendo-o parar antes da hora pro Vettel passar e ouvir dos caras da Globo dizer que era uma disputa porque a RBR não favorece piloto, não aguentei.É repugnante ver jornalistas especializados dizer que Vettel não é beneficiado pele Red Bull , e isso é como chamar o espectador de idiota.Confesso que vi as últimas corridas sem muito interesse desde o quase fim da temporada passada, e essa patacoada acontece na Red Bull desde o GP da Turquia quando houve aquela batida entre os dois.No fim do campeonato ficou muito claro.A maioria das pessoas acha que só acontecia na Ferrari, ou que isso na equipe italiana era teoria da conspiração, como disse o idiota do Fabio Seixas.Não sei se há influencia ,mas, desde então a Globo vem insistindo que não há preferencia.E a Mercedes hein!? que papelzinho.Tá explicado porque Hamilton trocou de equipe , só esqueceram de combinar com o Nico.E o Massinha !? A Ferrari não tinha nenhuma estratégia pro cara e o que tinha estratégia saiu da prova, resultado: uma corridinha pífia típica de equipe pequena que não tem pique pra andar na frente.Existem coisas que me faz ser completamente cético com a atual f1.Já não basta as muletas tecnológicas, as ultrapassagens fake na base da apelação, os pilotos não conseguem pilotar se tiver uma chuvinha rala, e não conta a habilidade, mas os gadgets e os mimimis pra um se impor ao outro.Não sei se alguem percebeu , mas há sites de apostas bancando provas.Como pode isso ser no mínimo sério?Desde a era schumacher onde a pilotagem era coisa de autista , e não de artista , onde o cara andava pra fazer voltas rápidas e não ultrapassagens, assim e evita o máximo de conflito na pista e quando acontece vira anomalia que os chefe de equipes tem medo de lidar.Talvez isso explique os autodromos vazios e paises com pouca tradição terem preferencia por GPs.A F1 já se distanciou do publico, ele não é mais importante , é só um detalhe.

  6. Leonardo Alcântara disse:

    É o que eu sempre digo: Vettel é um píloto fake, não passa disso. Combina perfeitamente com a equipe-fake e marketeira na qual está, repleta de truques duvidosos.
    Em condições de igualdade entre os pilotos, o alemão some. Não tem braço para sequer chegar perto de Hamilton e Alonso, por exemplo.
    Mais um vigarista ganhando ares de “genialidade” devido ao carro que pilota. Lamentável.
    Vettel não passa de um embuste.

  7. Angelo Medeiro disse:

    A partir do GP da Austria em 2002 acabou a F1 verdadeira, no caso o campeonato de pilotos. Vettel é favorecido desde 2009, mas até então era porque era melhor. Tipo o Senna-Berger, Piquet-Patrese, Prost-Hill. Hoje foi diferente o Webber tinha a certeza que iria vencer, assim como o Rubens de 2002.

  8. Flávio disse:

    É uma pena o que se transformou a F1.

    O Fabio de Souza, apontou um detalhe interessante, com toda tecnologia de hoje, começa a chover, ninguem consegue manter o carro na pista, o Rodrigo postou um video essa semana de uma corrida de 1993, em que o Sena fica quase toda a corrida com pista molhada e pneu de pista seca.

    E por uma infeliz conhecidencia, ou não, esse problemas todos que os amigos relataram, se agravaram a partir de 1994, tinha uns rumores na epoca de que o carro do Schumacher tinha itens ilegais, para melhorar o desempenho, a FIA na epoca preferiu não investigar, tempos depois o Jos Verstappen que era copanheiro do Alemão, deu entrevistas afirmando que o (sempre ele) Flávio Briatore mandou instalar varios dispositivos eletronicos proibidos na epoca, só no carro do Schumacher, que ele tambem queria mas o chefão falou que ele não poderia ter, e que esse dispositivos foram essenciais para que o alemão fosse campeão em 1994 e 1995, imagino que a Ferrari na epoca dele tambem usou deste expediente, assim como o proprio Briatore deve ter usado de tais artificios nos 02 campeonatos do Alonso.

    Eu acompanho a F1 desde 1981, e tive um profundo sentimento de que algo se quebrou apos a morte do Sena, a F1 para mim com tudo que foi acontecendo nos anos seguintes, tornou-se artificial, e não falo do fato de não termos um campeão desde então, mas de não assistirmos corridas memoraveis, como as de Monaco 84, Portugal 85, Hungria 86, Alemanha 87, e outras 20 dessa epoca, de 1995 até hoje, tenha duas corridas memoraveis somente, a 1º vitoria do Barrichello, na Alemanha em 2000, e GP Brasil 2008, em que tivemos um campeão por sei la uns 10 segundos.

    Acho que podemos considerar, que as duas maiores corridas da historia da F1 foram, Monaco 1984, por mostrar ali a ascenção de um verdadeiro genio do esporte, e Imola 1994, que alem da tragedia, marcou o fim da F1 que os Fãs amavam.

    Mas ainda temos esperança de que algo aconteça e melhores dias nos alcancem.

    • fabio de souza disse:

      É meu caro, é só chover que logo pedem pra parar corrida, treino…se quem pedir pra parar for o Alonso então vira lei.Antes num treino um F1 turbo, segundo alguns, chegava a 1200 hp com motores de treino sem controle de tração , cambio manual , com menor rotação o que torna o torque pior e menos aerodinãmica.hoje com 800 e sem tirar mão do volante com um preset de computador sendo acompanhado na fabrica em tempo real pra manter o carro num ¨trilho¨ não dá pra pilotar.

  9. Renzo Ruschioni disse:

    Não dá mais p/ comentar essas atitudes imbecis que os “chefes” das equipes de F1 tomam…..
    Competição???? vamos encontrar na WEC,ALMS,GRAND-AM,GT,TURISMO e outras categorias…
    F1 só tem negócios escusos…….

  10. JCS disse:

    Querem acabar com primeiro piloto e segundo piloto?
    Liberem dois patrocinadores (um por cada carro) por equipe. Quero ver o deixa passar ou fica quietinho aí.

  11. Foda se Ross Brawn e RBR corrida se decide e na pista e fim de papo . Por isso eu falo categorias Como a NASCAR e o WEC nunca morrem pois não existe essa politicagem nojenta que esta deteriorando a imagem da F1 .

  12. Eduardo disse:

    E a cada dia a F1 vem mostrando sua decadência e essa situação da caorrida de hoje deve ter sido a gota d’água para muita gente.

    Parei de ver F1 após essa implantação ridícula do DRS e acho que medidas piores ainda virão. Uma pena que uma categoria tão interessante de assistir antigamente tenha perdido todo o seu brilho.

    Espero que outras categorias não sigam pelo mesmo caminho.

  13. Carlos Ganhadeiro disse:

    Vettel fez certo, não aceitando as ordens da equipe, como todo grande piloto faria, e partindo para a briga!

  14. Ricardo Bifulco disse:

    Pois é Rodrigo. Assino embaixo tudo o que você disse meu amigo.

  15. Flávio disse:

    Galera Acabei de assistir uma entrevista antiga do Piquet no youtube, que aconteceu no auge da carreira do Schumacher, o jornalista pergunta para ele se ele e os pilotos da epoca dele, Prost, Mansel, Sena e etc, não eram meidanos e por isso tudo era muito equilibrado, e o Schumacher por se destacar não era o Grande piloto da historia, a resposta do Piquet foi show, ele deixou claro que atualmente o carro faz a metade do serviço do piloto, e na epoca dele, o piloto não podia errar uma marcha pois podia quebrar o cambio, ou quebrar o motor, e varias outras coisas, e perguntou ao jornalista, “sera que se você colocar o Schumacher na nossa epoca ele não faria menos que nos”, e falou outras coisas, os jornalistas ficaram babando.

    o link é http://www.youtube.com/watch?v=XHcDshncw10, o nome do video é Melhor Analise – Nelson Piquet avalia schumacher, assiste lá galera.

    • fabio de souza disse:

      Não abri o link mas acho que nessa entrevista quem faz a pergunta é o seu xará Flavio Gomes.Nelsão fala do Jack brabham seu ídolo que fazia os próprios carros e fala das coisas que ele, Piquet, trouxe a F1.Na verdade o Flávio Gomes que é fã do Schumacher faz a pergunta se fiando na rivalidade Piquet /Senna achando que Nelsão fosse endossar a opinião que o jornalista tem sobre o alemão dizendo ser este melhor.Mas Nelsão não só não diz isso como fala que muitos da sua época e anterior pudessem ser maiores, apesar de não terem os numeros e ser época diferente.A cara do Flávio Gomes sem graça é realmente impagável.

      • Flávio disse:

        Isso mesmo Fabio,

        Eu tava assistindo agora a pouco o video da entrevista para o Reginaldo Leme, em 2011 especial pelos 30 anos do 1º titulo, e teve uma parte em que ele explica que na epoca eles (pilotos) não podiam andar com o carro no desempenho maximo o tempo todo senão o carro não chegava no final da corrida, o Senna mesmo levou muitas vezes vantagem sobre o mansell assim pressionava ele ate ele estourar o carro,

        Eu nunca tinha atentado para esse detalhe nessa otica, mas imagina só se eles pudessem dar 100% do carro o tempo todo, caraca.

    • Ricardo Homero disse:

      Que legal. Não tinha visto essa entrevista. O Piquet pode ter tido atitudes deploráveis na entrevista com o Mansell, mas nesta entrevista esse disse tudo! Voltou a subir no meu conceito.

  16. andré luiz nadaline disse:

    rapaz… assisti a a corrida e que climão no final, nunca vi isso… vou claro deixar meus pitacos!

    Primeiro, Massa nunca me decepciona, “Zaca” consegue ser medíocre em todas as corridas… hoje era o dia para calar pessoas como eu masssssss…

    Discordo de vc quanto ao Nico, sabe que no final de contas ele se saiu bem… “o jogo se joga ssim?? Tudo bem, joguemos assim, mas vai custar caro”!! E custou, a cara de todos no final da corrida mostrou que saiu muito mais caro do que todos imaginavam!

    Quanto ao Vettel, também acho que se deve buscar a vitória sempre e por isso sempre pinta na minha mente o nome Nelson Piquet… melhor quebrar uma equipe no meio do que fingir que é bonzinho e com descupinhas! Aí está o pecado dele porque se fosse outro piloto, Alonso por exemplo, ele faria o que fez ou se contentaria com o segundo lugar pensando no campeonato. Pra mim pegou mal também porque ele fez o que fez porque era o seu companheiro de equipe e ele sabe que a corda “sempre estoura lá e não cá”!

    Abraços

  17. fabio de souza disse:

    Sem contar as quebras.Se não me engano em 94 Piquet fez 9 poles e só venceu duas porque na maioria o carro quebrou quando liderava, a ponto do genial Gordon Moore por um radiador no bico do carro que no Canada deu a vitoria á Piquet que terminou com s pés queimados pelo ar quente.Principalmente na era turbo havia muitas quebras e acidentes.Assim vários excelentes pilotos não tiveram chance de provar seu valor assim como muito cabeça de bagre como Damon Hill ou Mika Hakkinen se tornaram campeões.

    • Flávio disse:

      É foi em 84, naquele ano o carro era rapido, mas não era confiavel, esse ano ficou marcado por um intenso duelo entre Niki Lauda e Prost, terminando com Lauda tricampeão por meio ponto em cima do Prost, por causa ironicamente da palhaçada feita em Monaco para que um certo Ayrton Senna então numa equipe pequena não vencesse.

  18. Rodrigo Martins disse:

    Não adianta ficar chorando depois da corrida… se Webber quisesse tanto essa vitória teria dado uma resposta na corrida… Não adianta vir reclamar depois

  19. Leonardo Alcântara disse:

    Acho engraçadíssimo esse pessoal dizendo que “grandes campeões” fazem isso que Vettel fez.
    Se fosse o Alonso fazendo isso com o Massa, aposto que as posições seriam bem diferentes, rs. Seria chororô pra lá e pra cá.

  20. Cristiano disse:

    Ainda assisto bastante à F1, mas já há alguns anos sem entusiasmo, é como ver à um jogo qq de futebol, vc vê quase cochilando, não por ser de madrugada, em qq horário. Ainda gosto muito da F1, é o magnetismo da tecnologia e pilotos que se vê há 10 anos, mas… quando esses saírem será um prato vazio pra geração anos 90’s que assiste à F1.
    Sem falar desse Herman Tilk, que só constrói pista autorama, ele deve ter feito umas 2 pistas boas… eu não sei quem inventou um cara só desenhar pistas, o desenho deveria ser feito por um projetista de próprio país, quem melhor sabe da cultura de um país do que um que nasceu no país!?

    Mas o que vejo de errado nisso aí, foi que pelo visto o Webber e o Vettel tiraram o pé pra salvar o carro, tudo bem, não vejo nada de errado nisso, se um não tava alcançando e o outro não estava distanciando, tá certo mandar os 2 tirarem o pé, o que vejo de ridículo é o Vettel resolver não tirar o pé, e sei lá, talvez ninguém tenha avisado ao Webber a tempo de ele voltar a andar forte.
    Vejo que o mais certo não era pedir pra ninguém tirar o pé, deixar a poeira rodar, e se o Vettel alcançasse pedisse o maior cuidado possível. Nego não bate sempre que disputa posição, por ser companheiro de equipe isso deveria ser mais conversado. Eu não gosto do Vettel, pra mim ele é só um oportunista com um pouco de talento.

    A corrida do Massa não dá nem pra comentar, tentaram tirar a posição dele fazendo com que ele fizesse mais um pit-stop, por sorte os pneus mais novos fizeram diferença pra ele votlar pra mesma posição, e ainda vem os caras da Globo dizer que a Ferrari avaliou e viu que os pneus mais novos dariam a ele a chance de fazer melhor, saiu de 5º pra voltar pra 5º. Tentara ferrar ele, mas todo mundo finge que não vê e tenta ludibriar os ignorantes.

    Vi pessoas aí em cima dizendo que o Vettel é o melhor piloto da F1… hahahahahahaha… amigo, desculpe, mas quem assiste F1 há mais de 10 anos sabe bem o que o Vettel é.
    Ele é sim melhor que o Webber, mas num top em igualdade, ele seria o 5º ou 7º melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *