MENU

17 de março de 2013 - 05:12Fórmula 1, Temporada 2013

Em nome de St. Patrick’s, Räikkönen vence na Austrália

3912620130317084225RIO DE JANEIRO – Surpresa no GP da Austrália, abertura da temporada 2013 da Fórmula 1. Com uma estratégia diferenciada em relação aos adversários, o “Iceman” Kimi Räikkönen começa o ano com uma vitória que poucos podiam prever – menos ele e a Lotus, que apostaram em dois pit stops e no bom entendimento do E21 com os pneus médios da Pirelli, que foram resistentes o bastante para lhe permitir chegar a um triunfo que surpreendeu muita gente.

Até porque depois do que se viu no treino oficial, a Red Bull deu a impressão de que massacraria a concorrência, pela superioridade de Vettel sobre o resto. Ledo engano: o desempenho do RB9 em ritmo de corrida não foi tão acachapante assim e, para completar, Mark Webber foi um zero à esquerda. O atual tricampeão com certeza ficou muito feliz por começar o ano com um pódio e o 3º lugar. “A corrida não saiu do jeito que esperávamos. Teremos muito trabalho pela frente, mas é um campeonato longo”, afiançou.

Além de Kimi, Vettel ainda viu Alonso chegar à sua frente em 2º com uma estratégia que deu muito certo: o espanhol ficou atrás de Felipe Massa até sua segunda parada na 21ª volta. Aí, o asturiano não só trocou de posição com o brasileiro como voltou à pista na frente de Vettel. E entraram em cena nas redes sociais as chatíssimas teorias da conspiração.

Até quando o torcedor brasileiro vai acreditar que a Ferrari vai dar tratamento igual entre Alonso e Massa dentro da pista? Existem ordens, hierarquia e o espanhol tem dois títulos mundiais. Massa, nenhum. Só isso já é o bastante para os diferenciar. E Fernando conquistou o status de primeiro piloto porque mereceu – não foi por acaso que conseguiu. Lógico que aquela vergonha da Alemanha em 2010 depõe contra o histórico da Ferrari e ainda ecoa no imaginário do torcedor. Mas, sejamos racionais: Alonso é o primeiro piloto. Ponto final.

É claro que o Massa ficou frustrado com a estratégia, pelo menos foi o que deu a entender sua entrevista após a corrida. Sabe que não pode pôr a culpa em ninguém porque estaria dando um tiro no próprio pé e foi, no mínimo, contido em suas declarações. Mas por outro lado, não pode abaixar a cabeça. Fez uma ótima largada e no geral, uma corrida boa.

Além dos quatro primeiros, destaco outros nomes do GP da Austrália por seus desempenhos positivos. A começar por Adrian Sutil, que liderou com autoridade em seu regresso à Force India e deu a entender que a estratégia de apenas duas paradas, para usar os supermacios no fim, lhe daria a chance de terminar muito bem colocado. Só que os pneus não corresponderam: a tática dele e da equipe miou e o alemão fez das tripas coração para chegar em sétimo, pouco à frente de um apagado Paul Di Resta, seu companheiro de equipe.

E, last but not least, outra gratíssima surpresa da corrida foi o desempenho do francês Jules Bianchi, disparado o melhor entre os cinco estreantes na corrida. Com o carro que tem, sem ter tido quilometragem na pré-temporada para se entender com o bólido da Marussia, o piloto da Terra da Bastilha fez uma apresentação consistente e surpreendente. Tanto que sua melhor volta na prova foi a 11ª de todo o domingo, apenas 1″180 mais lento que o tempo de Kimi Räikkönen.

Me perguntaram no twitter: “Mas o melhor estreante não foi o Gutiérrez?” Pelo resultado sim, porque o mexicano chegou em 13º. Mas pelo desempenho na pista, nem de longe. Bianchi na cabeça, furos à frente do piloto da Sauber, do finlandês Valtteri Bottas e principalmente do companheiro de equipe Max Chilton e da enganação chamada Giedo Van der Garde.

De resto, reafirmo: corrida xexelenta de Mark Webber e também da McLaren, que viu Button chegar num sofrível nono lugar e Sergio Pérez fora da zona de pontuação. Há algo muito errado no reino de Woking…

Então é isso: desde 1978 um carro da Lotus não começava um Mundial vencendo (Mario Andretti no GP da Argentina), Kimi deu sua golada e brindou com champagne sua 20ª vitória e o 70º pódio dele na Fórmula 1 e a noite vai ser longa em Melbourne. Porque no St. Patrick’s Day, é pecado não curtir um pouquinho da água que passarinho não bebe…

Compartilhar

27 comentários

  1. Renato de M. Machado disse:

    Massa é masoquista poderia estar pilotando a Mclaren,mas prefere ser coadjuvante,então se conforma como ele fez na entrevista,mas pelo menos já tá rico,mas prefiro títulos,como disse o Cacá,dinheiro é papel o que importa é titulos,mas juntando os dois fica bom gostei muito do Hamilton,nessa corrida Massa deveria de ter trocado de equipe coragem na vida todo dia temos que ter.

  2. Adriano Torres disse:

    Tenho que concordar, Alonso é primeiro piloto e PONTO. A crônica especializada até pode concordar com isso, porem a torcida tem o direito de “chiar”afinal Massa foi mais rápido no qualifying e sustentava a posição mesmo em situações de DRS desfavorável alem de se tratar de primeira prova, primeiras voltas da temporada.
    A realidade é essa, nosso único piloto será um secretario de luxo do espanhol.

    • Jr. disse:

      1º. El choronso de las astúrias, não fosse adiantar a segunda parada, NA PISTA NÃO IA PASSAR O MASSA. Fato.

      2º. A ferrada prejudicou sim o Massa, ao não chamá-lo na volta seguinte para a troca de pneus. Fato nº 2. E tenho dito.

  3. Alisson disse:

    Tudo que o Rodrigo falou é fato mas é frustrante ver um piloto brasileiro na Ferrari não podendo vencer. A Ferrari jogou o Felipe na fogueira mais uma vez para beneficiar o Alonso, se o espanhol é tão bom assim para que fazer jogo de equipe? Ele não se garante? Procuro ser um fã de F1 muito racional mas certas coisas não dá pra aceitar.

  4. Flávio disse:

    Não são teorias da conspiração chatas não amigo, vc acabou de sair do pior esgoto da midia brasileira e sabe como as coisas funcionam nos bastidores, o Alonso é o primeiro piloto por força do dinheiro do Santander, os dois titulos dele cheiram muito mau desde a situação que tirou o campeonato de 2008 do Massa, se o Briatore armou aquela palhaçada para ele ganhar e tentar trazer dinheiro do Santander, é muito provavel que os dois titulos do Alonso sejam uma completa FRAUDE, hoje como em muitas outras ocasiões o massa estava melhor e a ferrari deu uma rasteira nele, para cumprir uma clausula contratual com o santander.

    • Pela sua lógica, o tri do Senna foi comprado pelo Banco Nacional…

      Pára com isso! O Massa perdeu o respeito no “Fernando is faster”, no qual ele deveria ter mandado um foda-se gigantesco!

      O Alonso é o melhor do grid atual (o que não significa o melhor da história; ele está MUITO LONGE de Senna, Piquet, Emerson, Schumacher, Prost, Mansell, Gilles, Peterson, Clark, Brahbam…).

      • Flávio disse:

        Eu não disse que o Santander comprou algo da FIA, voce entendeu errado, o Briatore que para trazer o patrocinio do Santander, armou aquela palhaçada em 2008, e pode ter feito varia coisas nos dois titulos do alonso, mexer no carro, criar outros fatos parecidos com 2008, o jogo de equipe é tranquilo, exemplo Massa/Kimi 2007, a minha citica não é sobre isso, não vejo problema do Massa ou qualquer piloto em qualquer equipe fazer o jogo de equipe como foi feito em 2007, mas não é isso que acontece, existe sim uma imposição de que o Massa não poder superar o Alonso mesmo quando o rendimento dele é melhor, e ai é que o bicho pega, pois a equipe sabota ele propositalmente igual fazia com o Rubinho, para que o rendimento dele seja menor, e o Alonso só aceita estar em uma equipe que faça isso, vide o que aconteceu na McLaren, ele não é o melhor não amigo, em condições iguais o Hemilton foi melhor que ele, Hoje nos temos na F1 varios pilotos no mesmo nivel, Alonso, Massa, Weber, Vettel, Hamilton, Button, Raikkonen e Sutil, o que esta fazendo a diferença são os carros e em muitos casos a estrategia, e como comentei em post ano passado, eu acho que nenhum piloto desse grid atual merece ser tricampeão, nenhum mesmo.

      • Eduardo Schmidt disse:

        Não acho Alonso o melhor do grid atual…

  5. Renato de M. Machado disse:

    Rodrigo , eu já frequentava o f1 mania há tempos,e desde que você saiu de lá e veio para cá,ficou jóia o que era bom ficou ótimo,você posta coisas muito interessantes,e realmente dá valor ao automobilismo,como um todo não só o “filé” f1 que é mais fácil de falar,eu sou mais velho que você dois anos,mas somos da mesma geração,e pelo menos no automoibilismo e nas musicas e cantores temos o mesmo gosto. abraços

  6. Van der Garde é uma piada de mau gosto!

    E concordo que houve muito chororô por parte dos torcedores sobre o Massa. Ele afinou mais uma vez. Se tinha carro bom, não deveria ter deixado o Alonso disparar. De qualquer forma, o futuro é promissor.

    E a McLaren vai penar nesse ano. Muita gente está saindo para a Mercedes, a crise administrativa atrapalhou na Austrália e existe o risco da equipe jogar a toalha e pensar em 2014. Uma pena para os pilotos, mas ainda acredito que a flecha prateada luta por vitórias e título!

    Abraço, xará!

  7. Renzo Ruschioni disse:

    O Massa tem um belo salário ” punto e basta ” é o segundo piloto……

  8. Robson disse:

    Por acaso você é fãboy do Alonso, Rodrigo? O Massa só não tem um título por única e exclusivamente culpa da Ferrari, e o Alonso sem trapaça não vence campeonato nenhum! O Alonso é um bom piloto, definitivamente, mas sem trapaça não vencia o Schumacher, nem o Hamilton, nem o Vettel! Aliás, Alonso jamais chegará aos pés do Vettel, que ganha campeonatos lutando limpo com seu companheiro de equipe, não só nos anos que o Webber não estava bem, mas inclusive em 2010 quando a disputa estava pau a pau! Certa estava a McLaren em 2009 deixando o Hamilton e o Alonso disputarem na pista, e o que aconteceu? Alonso ficou putinho, porque o Hamilton era capaz de bater ele e a equipe não fazia nada pra favorecê-lo! Tenho certeza que se o Massa for pra McLaren e ela der um carro competitivo, ele vence o Alonso no ano que vem!

    • rmb37 disse:

      Robson, não sou “fãboy” de nenhum piloto hoje na Fórmula 1. O Alonso é um grande piloto sim, mas seu caráter é duvidoso. Reconheço nele o novo Prost. Mas não é porque corre com um brasileiro na mesma equipe que eu vou achar que o Alonso tem que ser piloto ao mesmo nível do Massa – porque, desculpe-me, não é.

      • Robson disse:

        Concordo com você até certo ponto, porque, com um carro competitivo, Massa pode ser mais rápido que o Alonso como foi esse fim de semana, porém, o Alonso tem o dom de conseguir tornar um carro lixo competitivo, esse mérito eu não tiro dele! A verdade é que o Massa tá dormindo com o inimigo, mesmo devendo um título à ele, a Ferrari o usa como uma ferramenta pra favorecer o Alonso por interesses extra-pista! Agora me lembro porque parei de ver F1 nos tempos de Schumacher e Rubinho! É sofrível essa cara da F1, principalmente com Ferrari e Alonso, como era com Ferrari e Schumacher ou Renault e Alonso, como o Flávio falou, não sou contra jogo de equipe, mas daquela forma que foi Raikkonen e Massa, não dessa forma que está Alonso e Massa! E não estou falando tudo isso pra defender o Massa porque é brasileiro e mimimi, mas sim, porque tenho nojo de jogo sujo, seja qual for o piloto e a equipe!

      • rmb37 disse:

        Também tenho nojo de jogo sujo, nisso concordamos. Em 2010 eu não era a favor do que se fez com o Massa em Hockenheim. Achei aquilo nojento.

      • Robson disse:

        Exatamente! Bom, vamos ver como será a Malasia neste fim de semana! (:

      • Flávio disse:

        Caro Rodrigo com todo respeito a sua experiencia e anos de estrada cobrindo a F1, “novo Prost” so se for no carater né ?

        pois na pilotagem não chega nem no escapamento.

      • rmb37 disse:

        É, claro que me refiro ao caráter.

    • Flávio disse:

      A McLaren sempre foi justa em relação a isso, quem lembra do tempo de Sena e Prost, e Lauda e Prost um pouco antes ?

      Quando os pilotos tem o mesmo nivel a Mclarem deixa o pau quebrar na pista, e com esse criterio ganhou 05 dos 10 campeonatos entre 1980 e 1989, so não foi melhor, por causa de um certo Nelson Piquet que ganhou 03 campeonatos nesse periodo, 02 de Brabham e 01 de Willhams.

      • Robson disse:

        Exatamente Flávio, esse é um dos motivos principais pelos quais eu torço pela McLaren mais do que pra qualquer outra equipe, um dos poucos pontos negativos na minha opinião, é que a McLaren fica com os troféus que deveriam ficar com os pilotos. E o pior é que além de mexer os pauzinhos dentro da equipe, a Ferrari também pede arrego pra outras equipes, ridículo! Uma equipe grande, e tradicional não deveria se rebaixar a tanto! Parece que pra eles fazer o queridinho vencer é mais importante do que ganhar o campeonato de construtores! Bizarro! Quanto ao Alonso parecer o Prost, claro que é no caráter, na habilidade nenhum piloto atual se equipara aos daquela geração! A bem da verdade, o Schumacher jamais teria sido hepta se tivesse participado integralmente daquela geração! Cada títulos dos anos de 88, 89 por exemplo valem uns 3 do Schumacher nos anos 2000! Por fim, gostaria de deixar claro que eu curti bastante seu blog Rodrigo, você respeita as opiniões dos comentários mesmo que não concorde com todos, assim, podemos ter uma boa troca de idéias aqui! Parabéns!

  9. Robson disse:

    Flávio falou tudo!

  10. Flávio disse:

    Caro Robson, muito feliz o seu comentario a respeito do Rodrigo.

    Muito obrigado Rodrigo, por dar espaço a nossas opiniões, mesmo que controversas.

    E amigos eu não sei vocês, mais eu tenho uma saudade enorme da F1 dos anos 80, ali o cara para se campeão tinha que se fora do comum, o bicho pegava, hoje vc tem ai uns 06 ou 08 pilotos que disputam, naquela epoca era todo mundo bom, as vezes o cara largava em 14º ou 15º não porque ele fosse ruim, é porque disputa é isso, não da pra todos largarem na pole, mas era muito mais apertado, e olha que ainda assim o Piquet e Prost ganharam 03 campeonatos cada um na decada, lembro de uma corrida de 82 ou 83, em que o Piquet teve que largar em ultimo por um problema na hora de formar o grid, e começou a chover, ele conseguiu chegar em 7º, o que para epoca foi um fato inedito na categoria, se pilotar hoje na chuva ja é complicado, imagina naquela epoca, em que o carro tinha muito menos tecnologia, o cambio era manual e etc.

    ohh saudade.

    • Robson disse:

      Obrigado Flávio! :D
      Quanto à década de 80, infelizmente não assisti pois nasci apenas no ano de 1990, mas o que vi quando era pequeno (lembro bem do tema da vitória tocando em muitos domingos), o que vi em vídeos, li sobre a história, o que meu pai e meu cunhado me contaram, e o que li também no livro do Ayrton, o Herói Revelado, já deu pra eu ter bastante noção de como foi aquela época, e sim, acho que o Senna foi o melhor do mundo, na minha opinião, se ele não tivesse morrido em 94, talvez até tivéssemos 1 ou 2 títulos a mais, os quais, possivelmente, tirados do Schumacher.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *