MENU

2 de agosto de 2013 - 00:33Automobilismo Internacional

Os 50 melhores pilotos não F-1 – parte 4

RIO DE JANEIRO – O blog segue com a lista dos 50 melhores pilotos que não frequentaram a Fórmula 1, de acordo com a revista britânica Autosport. Hoje, apresento-lhes mais dez nomes. E tem brasileiro aqui. Confiram.

Gerry Birrell

582Talentoso, Gerry Birrell (à direita na foto, ladeado por Jody Scheckter) poderia ter sido um dos bons nomes da Fórmula 1. Escocês feito Jim Clark e Jackie Stewart, guiava bem em monopostos e carros de turismo. Com um Ford Capri, venceu em sua classe nas 24h de Le Mans em 1972. Estava cotado para suceder o “Vesgo” na Tyrrell quando este se aposentasse das pistas, mas a morte chegou antes. Birrell acidentou-se numa prova de Fórmula 2 com seu Chevron, em Rouen Les Essarts e desapareceu prematuramente aos 29 anos.

Scott Dixon

948864-scott-dixonDa mesma terra de Bruce McLaren, Scott Dixon jamais participou de corridas em território europeu. O neozelandês de 33 anos fez história ao ser o vencedor mais jovem de uma corrida da CART e tem uma longa carreira nos EUA, com direito a dois títulos na Fórmula Indy e uma vitória nas 500 Milhas de Indianápolis. Não precisou chegar à F-1 para mostrar seu talento.

Adam Carroll

Adam-Carroll--001Outra das chamadas escolhas discutíveis da lista: o irlandês Adam Carroll, hoje com 30 anos, foi um andarilho do automobilismo. Foi muito bem na GP2 e levou a Irlanda, seu país, ao título da A1GP, a chamada Copa do Mundo de Automobilismo. Fez também aparições na Fórmula Indy e hoje empresta sua experiência para uma equipe no Blancpain Endurance Series. Se lhe sobra competência, faltou-lhe dinheiro para ir longe no esporte.

Emmanuel Collard

1000kmSpa2008-743Experiente piloto francês que bateu às portas da Fórmula 1 e testou para nada menos que seis equipes, entre elas as finadas Ligier e Larrousse, sem ter tido qualquer chance de chegar na categoria máxima. Versátil, corre muito bem de Grã-Turismo e Esporte Protótipos. Venceu duas vezes em subcategorias nas 24h de Le Mans e foi vice na classificação geral em 2005, guiando para Henri Pescarolo.

Al Unser Jr.

351866-al-unser-jrLenda do automobilismo estadunidense, seguiu a linhagem do pai Al Unser e do tio Bobby Unser, grandes nomes da USAC nos anos 60/70. Foi um enfant terrible no começo da carreira, mas amadureceu e foi campeão da Fórmula Indy e também das 500 Milhas de Indianápolis, protagonizando um final histórico com Scott Goodyear. Chegou a testar com a Williams e esteve perto de ir para a Fórmula 1, mas nunca concretizou tal fato. Ao abandonar as pistas, teve problemas com alcoolismo.

Greg Moore

greg-moore-c1Rápido e muito aguerrido, taí um piloto que deixou saudades. Greg Moore teve uma meteórica carreira, com um título incontestável da Indy Lights em 1995 e a consequente passagem para a CART em 1996, aos 20 anos. Ficou marcado pelo destemor e por alguns acidentes. Num deles, teria sido culpado pela batida em Michigan que tirou Emerson Fittipaldi definitivamente das pistas. Já tinha tudo acertado para guiar em 2000 pela Penske, até que sofreu um acidente brutal em Fontana, numa corrida onde largou em último – com uma lesão numa das mãos – e não deveria ter corrido. Faleceu com apenas 24 anos.

Jamie Green

Jamie_GreenOutra escolha bem discutível da Autosport, movida muito mais pelo pachequismo do que pelas qualidades propriamente ditas do piloto. Jamie Green até teve grandes momentos na Fórmula 3. Rival de Lewis Hamilton e Robert Kubica, andou melhor que os dois. Mas, depois disto, nunca mais andou de monopostos. Migrou para o DTM, onde se estabeleceu e corre até hoje – agora como piloto da Audi.

Don Parker

Don Parker3Uma outra escolha pacheca dos ingleses: Don Parker, o piloto da foto acima, foi destaque na Fórmula 3 nos anos 50, quando a categoria tinha carrinhos minúsculos e motor de 500cc. Foi tricampeão da categoria na Inglaterra e chegou a ser convidado para a Fórmula 1. Preferiu ficar onde estava e era mais feliz.

Dan Wheldon

dan-wheldon-posa-com-trofeu-das-500-milhas-de-indianapolis-de-2011-1318805552444_956x500O britânico Dan Wheldon recusou ofertas de BAR e Sauber, em épocas distintas, e por isso jamais andou de Fórmula 1. Trocou a Europa pelos EUA e fez seu nome na Fórmula Indy, onde foi campeão. Venceu as 500 Milhas de Indianápolis de forma surpreendente em 2011 e no fim do ano, em Las Vegas, envolveu-se numa tragédia que lhe custou a vida. A morte de Wheldon foi uma das mais sentidas dos últimos tempos. O piloto tinha apenas 33 anos.

Gil de Ferran

dfm2Ele não podia mesmo ficar de fora dessa lista. Gil de Ferran foi um dos mais competentes e completos pilotos brasileiros que conhecemos. Técnico, veloz, excelente acertador de carros, impressionou Jackie Stewart, para quem correu nas Fórmulas Opel, 3 e 3000. Testou carros da Williams e Footwork e há quem diga que só não conseguiu uma vaga nesta última porque se distraiu no paddock do circuito do Estoril e entrou de cabeça na escada de um caminhão. Jamais se abalou por não ter corrido na categoria máxima: com a competência que Deus lhe deu, desfilou suas qualidades nas equipes de Jim Hall, Derrick Walker e Roger Penske. Bicampeão da Fórmula Indy, venceu também as 500 Milhas de Indianápolis em 2003. Anunciou a aposentadoria, mas montou uma equipe de protótipos e correu por mais dois anos. Deixou as pistas de vez aos 41 anos, sem ter se arrependido da decisão.

Compartilhar

6 comentários

  1. Bruno Aleixo disse:

    Ufa, pensei que o Al Unser Jr. não ia aparecer na lista. O melhor de todos, disparado.

  2. Matheus R. disse:

    quase chorei com a perda do wheldon, excelente piloto e merece estar nessa lista, assim como o mito de ferran que foi craque no endurance… #saudadeswheldon #deferranomelhordetodos

  3. FontesL93 disse:

    Já que a lista está meio “pacheca”, também vou ser: Para mim, até agora, o Gil é o grande nome que a F1 perdeu. Sim, perdeu, porque não ter espaço para um piloto como o Gil é porque faltou visão de seus dirigentes. Pode até ser que não fosse um grande campeão, mas nunca saberemos. Outro grande nome é o do Moore, mas a este faltou tempo. Não tenho dúvidas de que chegaria lá em mais um ou dois anos. Em relação ao Wheldon, sempre tive a impressão de que ele era mais rápido em pistas ovais que nos mistos (tragicamente irônico). Mas seria um grande nome na F1, sem dúvidas.

  4. Gustavo Oliveira disse:

    Não, tá errado, o Gil de Ferran é o número 1 dessa lista, os ingleses erraram na apuração, só pode!

  5. Ricardo Homero disse:

    Do que vi ate agora, fico muitoo de ver o nome de Gil de Ferran! O cara tinha tudo para ser um dos caras da F1. Ansioso em ver a ultima parte da lista. Se a lista está em ordem crescente, então o Helio Castroneves tem que estar no TOP TEN. Na minha opinião O Castroneves é o melhor piloto brasileiro dos últimos 15 anos (20 talvez…). Também gostei de ver o nome de Al Unser Jr, o cara fez disputas históricas com o Emerson Fittipaldi. E se vimos Tony Stewart em alguma das listas passadas, bem.. tem espaço para o Jeff Gordon, Jimmie Jonhson e Dale Earnhardt certo? (Nao lembro de ter visto o nome deles em outras listas..)

  6. Ricardo Homero disse:

    O Cacá Bueno vai estar na ultima lista certo? ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *