MENU

9 de setembro de 2013 - 23:25Nascar

Lição ianque

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=lJJ99fDR3eM]

RIO DE JANEIRO – Um acontecimento bastante polêmico do fim de semana automobilístico foi a ‘estratégia’ da equipe Michael Waltrip Racing durante a corrida de Richmond da Sprint Cup, que classificaria os doze pilotos que vão disputar o Chase, o playoff de 10 provas que apontará o campeão da Nascar em 2013.

Tudo aconteceu no fim da corrida do último sábado, quando Clint Bowyer, usando um código via rádio com seu chefe de equipe, rodou na pista da Virgínia a oito voltas do fim. Uma atitude altamente suspeita, pois a MWR tinha interesse em eliminar um piloto de uma equipe adversária para colocar Martin Truex Jr. na disputa pelo título.

O recurso leviano do time dos carros #15, #55 e #56 repercutiu pessimamente na mídia. Muita gente crucificou – com razão – a atitude da escuderia de prejudicar de forma deliberada um rival – no caso, Ryan Newman fora o piloto excluído de última hora do Chase.

Mas a Nascar agiu rápido. Dentro das possibilidades, a organização da categoria tomou as providências cabíveis para enquadrar os ‘engraçaralhos’ da MWR. A equipe, para começo de conversa, levou uma multa de US$ 300 mil, cerca de R$ 735 mil. Os chefes de equipe dos três carros foram postos sob observação. Os carros perderam 50 pontos na classificação dos Owners e os pilotos também.

O pior aconteceu com Martin Truex Jr.: o principal “beneficiado” pela rodada de Bowyer acabou excluído do Chase. Com os pontos perdidos após a punição, o piloto do #56 caiu para 17º na pontuação da Sprint Cup com 691 pontos. Mesmo com Jeff Gordon somando mais pontos do que Ryan Newman, o Rocket Man foi premiado – merecidamente – com a última vaga para a disputa pelo título.

Aliás, o dia foi intenso para Newman. O piloto do #39, que há algumas semanas foi comunicado que estava fora da equipe de Gene Haas e Tony Stewart, assinou para ser o titular do #31 patrocinado pela Caterpillar, na Richard Childress Racing.

Nada mal, não?

Fica a lição de ética que a Nascar deu para os que tentam ser mais malandros do que devem no automobilismo. Só vacilaram ao não punir Clint Bowyer como ele merecia.

10 comentários

  1. fabio de souza disse:

    Aquela rodada foi estranha mesmo.Legal pro Newman que vinha num ano de bons resultados.Mesmo com essas medidas da NASCAR, são coisas assim que geram as suspeitas sobres resultados esquisitos e coincidentes em várias categorias, principalmente F1.

  2. Alexandre disse:

    Concordo com a penalidade aplicada. Mas, na Nascar isso é meio absurdo! Os caras dão toques uns nos outros o tempo todo e não acontece nada.
    Abraço.

    • Luiz disse:

      Concordo! Se ao invés de provocar a bandeira amarela ele tivesse dado um totozinho e tirado o concorrente da prova, como na prova de Mosport na Truck, ele seria considerado um ídolo dentro da categoria.

  3. Marcio disse:

    É por isso que cada vez mais gosto da NASCAR.

  4. Anderson Mancebo disse:

    Uma atitude e tanto da NASCAR. Passou o rodo em TODOS os envolvidos, sem deixar o cara que “não sabia de nada” de fora, como já vimos em outras categorias por aí!

  5. geraldo101 disse:

    Acho que ficou até barato, mas desconheço o regulamento da NASCAR, portanto, não sei se ele permitiria sanções ainda mais pesadas. De qualquer forma, a decisão é muito importante, pois valoriza o aspecto esportivo da categoria, deixando outros interesses de lado.

  6. Mefistófeles disse:

    Como a própria NASCAR declarou, não existem provas, telemetria, nada. Apenas suspeitas, entrevista após a prova de Dale Earhardt Jr. achando que Bowyer vinha sacudindo e freando o carro antes de rodar., mas ele tocou de leve Bowyer. O próprio Dale Jr já rodou descaradamente para chamar uma amarela em 2004 e foi punido.
    Jeff Gordon o ano passado tirou Bowyer deliberadamente na penúltima corrida, e a chance de título, (Bowyer ficou em terceiro no campeonato), esperando ele para tomar mais uma volta e ficou por isso mesmo, e Gordon já estava em observação e pagou multa. Os dois carros da equipe pararem, é normal ver isso , faltando 3 voltas alguém arriscar tudo e botar 4 pneus novos, e faltavam mais voltas.Como é a emergente Michael Waltrip os pesos e medidas são diferentes. Não existe justiça em condenação baseada em suspeitas, comentários da mídia e pilotos. Outra categoria, vale lembrar que na Indy Lights quando foi campeão Tony Kanaan cavou uma amarela jogando viseira em pista oval, foi favorecido e nada aconteceu. Se fossem equipes grandes a decisão seria outra.

  7. Junior Araujo disse:

    Concordo plenamente com vc Rodrigo Mattar, a Nascar só faltou dar uma bela punição para o Clint Bowier #15 por ter aceitado participar da “brincadeira” que a MWR fez !!!
    Não só retirar 50 pontos dele na tabela, tinha que excluir ele, e não o Truex jr. do Chase !!!!

  8. Para min a pior lição ja foi dada pois o Michael Waltrip , conhecido por ser um excelente marketeiro mancha seu nome , o nome de sua equipe tendo talvez como consequência uma retirados patrocinadores etc. Sem Contar que o Waltrip e comentarista … sera que a TV vai querer um cara que arma uma sujeira dessa ? Bela Liçao e o esporte vencendo a maracutaia …..Aprende FIA…

  9. Fernando Lima disse:

    Se a punição foi justa ou não é uma outra história…mas ao menos ela aconteceu para uma manobra descarada e a organização baseou-se em regulamento…diferente de uma certa categoria nacional gerida por uma tal de Vicar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *