MENU

20 de setembro de 2013 - 17:35American Le Mans Series

Rotina: pole position da Muscle Milk em Austin

RIO DE JANEIRO – Com sol ou com chuva e pista molhada, como aconteceu nesta sexta-feira em Austin, a rotina é a mesma desde que a Rebellion Racing retirou-se da temporada regular da American Le Mans Series. A Muscle Milk Pickett Racing varreu a concorrência na qualificação para a 8ª etapa da temporada no COTA, marcando a pole position mais uma vez.

Lucas Luhr, sem nenhum trabalho, registrou o melhor tempo da sessão em 2’07″851, para os 5,515 km do circuito da capital do Texas. Ele não teve concorrência entre os carros da própria divisão LMP1, pois o Lola #16 da Dyson Racing, guiado por Chris McMurry, foi praticamente cinco segundos mais lento. Um escárnio. O DeltaWing, agora em versão Coupé, com capota, estava em uma volta razoavelmente boa quando o câmbio do carro, com Andy Meyrick a bordo, quebrou. Ainda assim, o carro #0 ficou com o sexto tempo na geral, mas a quase oito segundos do tempo de Luhr.

Na LMP2, o susto ficou por conta do carro #551 de Ryan Briscoe. O australiano abria a primeira volta rápida quando algo quebrou-se na parte traseira esquerda do HPD ARX-03b, próximo à roda. Briscoe evitou o acidente e arrastou-se aos boxes, sem nada mais poder fazer. Como na ALMS os pneus para a classificação são previamente marcados e os pilotos têm – obrigatoriamente (a menos que seque, claro) – que largar com os mesmos compostos do treino, o australiano bateu em retirada e saiu da disputa pela pole.

O melhor tempo da “Fórmula HPD” ficou com Marino Franchitti, no carro #552 da equipe de Scott Tucker. O escocês ficou com o 2º tempo geral do grid em 2’10″573, superando o #02 guiado por Johannes Van Overbeek e o #01 de Anthony Lazzaro, ambos inscritos pela escuderia Extreme Speed Motorsports.

O holandês Renger Van der Zande surpreendeu e fez o melhor tempo entre os oito protótipos da classe LMPC, que correm com chassis, motores e pneus idênticos. O piloto do #81 da DragonSpeed, contudo, ficou atrás dos três carros mais rápidos da LMGT. O tempo de Van der Zande foi 2’17″865, quase um segundo melhor que a marca do escocês Ryan Dalziel, que conduz o #5 na estreia da Starworks na divisão.

Bruno Junqueira chegou a figurar com o segundo melhor tempo, mas os comissários reviram depois o tape do treino e concluíram que ele cortou caminho para obter sua melhor volta rápida na sessão. O brasileiro da RSR Racing caiu para quarto no grupo e 18º na geral, atrás do canadense Kyle Marcelli, da BAR1.

Joey Hand voltou à ALMS em grande estilo. Ausente de várias provas da temporada por conta do seu envolvimento com o DTM, o piloto estadunidense substituiu Maxime Martin no #55 dividido com Bill Auberlen e fez a pole da LMGT com sua BMW Z4, marcando 2’17″178, quase três décimos abaixo do Corvette de Antonio Garcia, que superou Oliver Gavin, seu companheiro de equipe, nos instantes finais.

John Edwards fez o quarto tempo com a BMW #56, enquanto o melhor Porsche foi o de Patrick Long, com o quinto posto na divisão. Jonathan Bomarito levou o melhor Viper ao 6º tempo da divisão e Matteo Malucelli foi apenas oitavo com a melhor Ferrari F458 inscrita na classe.

Na LMGTC, Damien Faulkner surpreendeu e fez a primeira pole do Porsche #66 da TRG na classe. O piloto irlandês marcou 2’27″816, apenas 0″064 mais rápido que o britânico Sean Edwards, no #30 da NGT Motorsports. Outro que virou abaixo de 2’28” foi Jeroen Bleekemolen, terceiro mais rápido com o #22 da Alex Job Racing.

A corrida da ALMS no COTA será disputada por 33 carros. A largada será às 15h45 locais, 17h45 de Brasília, para 2h45min de disputa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *