WSBK: Sykes vence as duas em casa e é líder do campeonato

W
344_r05_sykes_action_full
Número 1: num fim de semana perfeito, Tom Sykes alcançou o total de quatro vitórias, ampliando a liderança no WSBK

RIO DE JANEIRO – Nada como competir em casa, diante da torcida e numa pista que se conhece na palma da mão. Assim sentiu-se o britânico Tom Sykes, da Kawasaki. O atual campeão mundial de Superbike teve um fim de semana perfeito: venceu as duas provas da 5ª rodada dupla da temporada 2014, chegando ao total de 185 pontos, contra 159 do vice-líder e compatriota Jonathan Rea (Honda) e de Loris Baz, que ainda não venceu na competição.

Sykes não estava bem posicionado no grid de largada em nenhuma das duas provas, pois teve que sair da 7ª colocação. A pole position foi do italiano Davide Giugliano, com Ducati Panigale – mas nem este liderou na primeira bateria. Alex Lowes, outro britânico, a bordo de uma Suzuki, veio da quarta posição para a ponta, por duas voltas. Logo seria superado pelo francês Sylvain Guintoli, da Aprília. Este também não duraria muito: na 5ª passagem, o piloto da moto #50 perdeu a ponta para o compatriota Loris Baz, companheiro de Tom Sykes no time oficial da Kawasaki.

Com Guintoli perdendo terreno, Lowes e o pole Giugliano começaram uma intensa luta pela segunda colocação. Sykes, que caíra para 11º ao fim da primeira volta, fez uma excepcional corrida de recuperação e na metade das 23 voltas previstas já estava em sexto. Passou para quinto ao superar Guintoli e logo ganhou a quarta posição de Marco Melandri. O abandono de Giugliano deixou o campeão em posição de pódio e, livrando-se de Lowes, abriu fogo contra Loris Baz, ultrapassando o #76 na vigésima volta para vencer com apenas 1″538 de vantagem.

Foi um domingo de bons resultados para os britânicos, pelo menos na primeira bateria, pois dois deles – Sykes e Lowes – foram ao pódio, sem contar o 5º posto de Chaz Davies e a sexta colocação de Jonathan Rea. Leon Haslam foi outro piloto da casa que pontuou, em oitavo.

Na prova #2, Sykes teve menos dificuldades para vencer. Não largou tão mal quanto na primeira prova, passando em quinto ao fim da primeira volta, atrás de Guintoli, Melandri, Baz e Lowes. Tanto Lowes quanto Melandri tiveram problemas  e se atrasaram. Com relativa facilidade, Sykes deixou Baz para trás e atacou Guintoli para ganhar a dianteira antes da primeira metade da disputa. Jogo feito, foi só partir pro abraço e receber a quadriculada da vitória com 3″678 de vantagem para o companheiro de equipe.

As Bimota BB3 EVO do Team Alstare continuam sem marcar pontos para o campeonato, ainda com a ressalva de que estão “sob homologação”. Na primeira prova, Ayrton Badovini foi o décimo a receber a quadriculada. Na segunda, o italiano foi nono, logo à frente de Sam Lowes, que por enquanto é o dono da posição. Christian Iddon recebeu a bandeirada em 11º lugar.

Até agora, com 10 corridas disputadas, Sykes é o piloto com o maior número de vitórias – quatro, contra três de Jonathan Rea, duas de Sylvain Guintoli e somente uma do irlandês Eugene Laverty, que faz um campeonato abaixo do esperado com a Suzuki.

A próxima etapa do WSBK é em Sepang, na Malásia, dia 8 de junho.

Classificação do campeonato após 10 corridas (cinco rodadas):

1. Tom Sykes – 185 pontos
2. Jonathan Rea e Loris Baz – 159
4. Sylvain Guintoli – 148
5. Chaz Davies – 109
6. Marco Melandri – 97
7. Davide Giugliano – 82
8. Leon Haslam – 75
9. Alex Lowes – 73
10. Eugene Laverty e Toni Elias – 65
12. David Salom – 46
13. Niccolò Canepa – 38
14. Leon Camier – 20
15. Luca Scassa – 16
16. Fabién Foret – 14
17. Jéremy Guarnoni – 12
18. Claudio Corti e Sheridan Morais – 10
20. Glen Allerton – 6
21. Kervin Bos – 5
22. Alessandro Andreozzi – 4
23. Michel Fabrizio – 2

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames