Estabilidade: ELMS mantém cinco datas e as mesmas pistas em 2015

E

img_0158-728x485

RIO DE JANEIRO – Estabilidade é a palavra-chave do sucesso do European Le Mans Series, que vive um bom momento após uma temporada adversa em 2012 e bons ventos soprando no ano passado. Nesta temporada, o campeonato apresentou uma média superior a 30 carros por prova sem nenhuma dificuldade e fecha suas cinco datas com 35 bólidos na pista do Estoril, em Portugal.

Para o próximo ano, com a adoção da nova divisão LMP3, o ELMS volta a ter quatro categorias e provavelmente a lista de inscritos poderá contemplar um total superior a 45 carros, o que seria fantástico. A próxima temporada começa em 11 de abril com uma etapa em Silverstone e o encerramento será novamente no Estoril, em outubro.

As equipes terão duas pausas no calendário: em junho para mais uma edição das 24 Horas de Le Mans, da qual diversos times do ELMS normalmente tomam parte. E em agosto, para as férias de verão.

A única dúvida no calendário divulgado neste sábado é com relação à 3ª etapa no Red Bull Ring, na Áustria. A princípio, a corrida está marcada para 12 de julho – podendo ser realocada noutra data.

O calendário do ELMS em 2015 é este:

23/24 de março – Ensaios oficiais – Paul Ricard (França)
11 de abril – 4 Horas de Silverstone (Grã-Bretanha)
17 de maio – 4 Horas de Imola (Itália)
12 de julho – 4 Horas do Red Bull Ring (Áustria)
6 de setembro – 4 Horas de Paul Ricard (França)
18 de outubro – 4 Horas do Estoril (Portugal)

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

3 Comentários

  • E eu que achava que a categoria ia ser extinta, mas graças a estabilidade e competitividade, renasceu das cinzas.

    E o grid vai ficar ainda maior com a nova classe LMP3, isso pode aumentar para 45 carros.

    45 carros no ELMS… Enquanto isso FIA WEC mal chega a 30 carros, lamentável. Profundamente lamentável.

    • O FIA WEC mal chega a 30 carros porque nem todas as equipes reúnem as condições necessárias, tanto tecnicamente quanto de orçamento. Mas a expectativa é de grids cheios em todas as provas no próximo ano.

  • Muito bom ver a categoria seguir firme para a próxima temporada. Apesar de poucas etapas, elas são bem distribuídas entre a primeira e a última data, creio que isso ajude também a logística e o custo para os times. Talvez este seja o maior atrativo em relação ao WEC para as equipes, pois algumas que tiveram no mundial no ano passado já migraram para o ELMS nesta temporada.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames