MENU

5 de outubro de 2014 - 00:53United Sports Car Championship

Título histórico para Fittipaldi e Barbosa no Tudor United SportsCar

10580887_711171758954424_120816378614520761_o-728x485

Com três vitórias, a dupla Barbosa/Fittipaldi fez história com o título do Tudor United SportsCar Championship

RIO DE JANEIRO - Terminou neste sábado a primeira temporada do Tudor United SportsCar Championship, certame que surgiu da fusão da American Le Mans Series com a Grand-Am (Rolex Sports Car Series). E no primeiro ano do novo campeonato, o grito de “É campeão!” pode ser ouvido nos EUA em bom português, graças ao luso João Barbosa e ao brasileiro Christian Fittipaldi, donos do histórico título de campeões na classe Prototype, a principal do certame.

A dupla luso-brasileira, com o auxílio luxuoso de Sébastien Bourdais, chegou em 2º lugar na Petit Le Mans, disputada no circuito de Road Atlanta pela 17ª vez. Na verdade, Christian e João não precisavam de tanto para levar o troféu de campeões para casa. Cada um dos dois tinha um mínimo de 45 minutos para guiar e cumpriram a tarefa logo no início – primeiro o português e depois Christian, coroando um ano iluminado para a família Fittipaldi. Pietro foi campeão na Fórmula Renault, Enzo (irmão de Pietro) já brilha no kart e agora foi a vez do filho do “Tigrão” Wilsinho a conquistar um troféu histórico.

A vitória na corrida de encerramento do TUSC foi dos irmãos Jordan e Ricky Taylor, que acrescidos do veterano Max Angelelli confirmaram o vice-campeonato pro Corvette DP #10 da Wayne Taylor Racing. Essa foi uma Petit Le Mans atípica, posto que foi encerrada no tempo de 10 horas e não nas 1000 Milhas previstas: pela primeira vez uma tripulação venceu completando 400 voltas ao invés das 394 anteriores.

O pódio foi completado por Scott Pruett/Memo Rojas/Scott Dixon, com o Ford Ecobost Riley DP, mesmo após um incidente com um retardatário. A grande surpresa foi o 4º posto do Delta Wing DWC13 com Gabby Chaves/Katherine Legge/Andy Meyrick. Oswaldo Negri poderia ter chegado bem mais à frente, mas o carro #60 da Michael Shank Racing enfrentou problemas ao longo da disputa e o brasileiro acabou em 22º na geral (sexto na classe) ao lado do parceiro John Pew.

Na Prototype Challenge, um acidente do #25 guiado por Sean Rayhall a pouquíssimas voltas do fim ofertou a vitória ao #8 da Starworks Motorsport, guiado por Mirco Schultis/Renger Van der Zande/Alex Popow, que terminaram em 5º na geral, cinco voltas atrás dos vencedores. Os campeões Colin Braun e Jonathan Bennett fecharam o ano com um pódio – segundo na classe – ao lado de James Gue. Frankie Montecalvo/Gunnar Jeannette cumpriram ótima corrida e terminaram em terceiro. Infelizmente, para Bruno Junqueira, o ano terminou de forma atribulada: o #09 do mineiro e dos parceiros Duncan Ende e David Heinemeier-Hänsson acabou em 38º na geral, com 117 voltas de atraso em relação aos vencedores.

0Dagys_-2014_322651

Na GTLM, o título ficou com Kuno Wittmer, que trocou de carro na última etapa

O título da classe GTLM também foi decidido somente na última prova e o terceiro posto na divisão foi o suficiente para o canadense Kuno Wittmer derrotar seu companheiro de quase todo o campeonato, Jonathan Bomarito, além do rival espanhol Antonio Garcia, da Corvette. Numa corrida muito acidentada nesta categoria, a vitória ficou – merecidamente – com o Porsche do Team Falken Tire, guiado por Wolf Henzler/Bryan Sellers/Marco Holzer, que completaram 391 voltas para terminar em 9º na geral. O #912 de Michael Christensen/Patrick Long/Earl Bamber formou a dobradinha do construtor alemão.

Para Jonathan Bomarito restou o vice, após o 6º lugar na corrida deste sábado. Garcia, assim como o parceiro Jan Magnussen e o australiano Ryan Briscoe, acabou prejudicado pelos danos que o Corvette C7-R #3 sofreu após uma colisão nos boxes com um dos Porsches oficiais de fábrica e a Ferrari #62 da Risi Competizione. Os danos fizeram o Vette despencar na classificação e Garcia foi apenas o oitavo.

Na GTD, deu Audi: o R8 LMS da Paul Miller Racing venceu, com Bryce Miller/Christopher Haase/Matt Bell. Mas a taça coube a Dane Cameron. O californiano chegou em quarto na classe a bordo do #94 da Turner Motorsport partilhado com Paul Dalla Lana e Markus Palttala. Jan Heylen/Madison Snow chegaram em segundo, trazendo a reboque o trio formado por John Potter/Andy Lally/Marco Seefried.

Dos 51 carros que largaram, 14 não viram a quadriculada. O resultado final está aqui.

3 comentários

  1. Fernando Lima disse:

    Bem…acabou a temporada do TUSCC e podemos dizer que o resultado no geral foi positivo…apesar do erro fatal com os LMP2…tivemos grid cheios e boas corridas…ingredientes indispensáveis para a longevidade e sobrevivência de uma categoria automobilística…espero que os organizadores ponham a mão na consciência e modifiquem o regulamento em favor do equilíbrio entre os LMP2 e DP’s. Do Contrário, os LMP2 deixarão de vez esta categoria, o que praticamente já ocorreu neste ano.

  2. fabiogp5 disse:

    Parabéns, Parabéns, quando se faz um bom trabalho o resultado será sempre compensador. Merecido, mesmo !

  3. Fabricio disse:

    Concordo com o Fernando sobre tentar equilibrar o jogo com os LMP2. Mas orgulhosos como são, eu não acredito que isso vá acontecer no próximo ano.
    Interessante foi ver o Delta pouco atrás dos DP.

    Reparei pela foto postada, que os faróis do Viper e do Corvette muito parecidos em seus desenhos. Se não soubesse diria que lá na Rua Escobar encontraria um modelo universal. rsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>