Piquet mais Piquet do que nunca

P

RIO DE JANEIRO – As melhores coisas do GP do Brasil de Fórmula 1 aconteceram fora da pista. Uma delas foi a presença do tricampeão mundial Nelson Piquet, que foi acompanhar no fim de semana a participação vitoriosa do filho Pedro na Porsche GT3 Cup Challenge Brasil, que fez uma das preliminares neste domingo.

E quando Piquet está nos seus melhores dias, a metralhadora giratória é acionada sem dó, nem piedade.

Na quinta-feira, em entrevista que repercutiu bastante, Nelsão disse textualmente que o artificialismo das ultrapassagens é “uma merda” e que “qualquer imbecil pilota na F-1 moderna”.

“O que não é legal é esse negócio de ‘vamos fazer uma corrida para o público’. O cara está meio segundo atrás, abre a asa e passa. Acabou. Ultrapassar e nada é a mesma coisa. Anda a 30km/h a mais na reta, passa o cara e já era. Antes era tão bacana, você programava, entrava na reta atrás do cara para ter a velocidade de entrar no vácuo, sair e passar o cara. A técnica toda, isso e aquilo, acabou. Pior ainda é esse negócio dos pneus. Às vezes está bom, às vezes não. Você vê um cara passando o outro, de passagem. Pô, que é isso? Ah, porque o cara parou no boxe. Meio confuso para mim. Eu acho uma m… do jeito que está. Não queria correr em uma F-1 dessas. Gostava mais no meu tempo que tinha essa coisa de ultrapassar.”

“O pior é fazer alguma coisa de tecnologia que facilite a ultrapassagem, a competitividade entre um e outro na pista. Isso está errado. A evolução da tecnologia é boa porque no fim usamos no carro de rua. Isso é bacana. Tudo que é testado na Fórmula 1 vai para a rua, câmbio, dupla embreagem. Não concordo com esse negócio de abrir asa, tirou um pouco… E outra coisa também é a briga de pneu. Isso deveria ter. Não podia ser uma marca só. É bacana e o desenvolvimento ajuda as fábricas a ter compostos melhores. Se você deixar uma empresa só pagando o que tem que pagar e fazendo o pneu que quiser…”

dompiquetlauda

Circulando pelos boxes de Interlagos também durante a corrida, Piquet desfilou seu humor sacana em dois momentos. O primeiro, numa imagem histórica que arrancou um sorriso franco do amigo Niki Lauda, com quem o brasileiro aprendeu muito no período em que os dois trabalharam juntos na Brabham em 78/79, nascendo daí uma relação cordial que perdura até hoje.

Depois, microfone em punho, o tricampeão foi ao pódio para a entrevista com os três primeiros colocados – Nico Rosberg, Lewis Hamilton e Felipe Massa. A verve mulherenga de Piquet aflorou como nos velhos tempos. “Lewis, morro de inveja de você, mas não é por sua pilotagem. É de sua namorada. Onde ela está?”, referindo-se à cantora Nicole Scherzinger, namorada do líder do campeonato. Hamilton, ciumento, não curtiu – dizem. Mas o tricampeão mostrou mais uma vez, como já fizera quando deu uma volta a bordo do Brabham BT49 empunhando uma bandeira do Vasco para sacanear dezenas de torcedores dos times de São Paul0, que um pouco de bom humor não faz mal a absolutamente ninguém.

 

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

13 Comentários

  • É este o Nelsao que todos nós aqui em Brasília conhecemos e o admiramos e temos o prazer de conviver com ele quase toda semana. As histórias que ele nos conta dava para escrever vários livros, principalmente, das aprontações dele aqui na cidade na sua juventude. A bandeirinha do vasco com o autógrafo do Roberto Dinamite está lá no sofá da garagem dele. Jovino

  • Velho Piquet…..as vezes é legal e tal, mas tem horas que passa do limite. Cadê o respeito? Ninguém gosta desse tipo de brincadeira, por que o Hamilton ia gostar né? E sobre a F-1 no geral, essa de ficar metralhando tudo que vê pela frente…”no meu tempo era assim..” era melhor que hoje e tal….menos né!!

  • Rodrigo , essa cena valeu pela corrida, Nesse mundo engessado da F1 de hoje em dia , ver uma cena dessas , é pra se guardar. A cara do Lauda é cômica demais. Não consigo imaginar algo desse tipo com os pilotos atuais daqui à 20 , 30 anos. E o nível de talento que se tem juntando esses dois Senhores , hein???

  • Bom demais ter o Piquet prá quebrar esses esquemas chaaaaaatos da F1 coxinha de hoje em dia, com seus pilotos mauricinhos e gente que parece robô. Humor faz falta, gente de verdade também.
    E ainda tem leitor dizendo que é falta de respeito, que ninguém gosta desse tipo de brincadeira…. Como diriam os cassetas: “fala sééééério”…….

  • Precisava mesmo de um cara como Piquet para dar um “chute a bunda” dessa F1 chata, sem graça e caríssima para todos…pilotos, equipes e para o torcedor prestigiar. Me causa azia saber que o WEC daqui há 20 dias não terá um quarto do público de ontem em Interlagos, mesmo cobrando ingressos até 10 vezes (é isso mesmo…) mais baratos e oferecendo ao espectador muito mais em termos de evento automobilístico.

    • Pois é, Fernando. Se o WEC reunir 30 mil torcedores no evento, podemos aplaudir de pé, porque vai ser complicado. A cultura de automobilismo do brasileiro é muito diferente do que imaginamos.

      • Mattar, você pode comparar até mesmo aqui no blog, a quantidade de comentários de um post sobre a F1 e outros sobre WEC, DTM, Blancpain GT, entre tantas outras…O seu post sobre o ingresso do Nasr na Sauber deu mais de 20 c0mentários, enquanto que posts sobre outras categorias nem sempre atingem esta marca. Não me parece que em outros lugares o fã do esporte a motor seja tão “preso” à uma categoria como ocorre aqui no Brasil com a F1. Não é possível que um fã não aprecie máquinas tão maravilhosas como os protótipos LMP1 e LMP2, além dos lindíssimos GT’s, cada um bem diferente do outro, dando à cada marca uma identidade única. Mas paciência…só sei que eu estarei lá, como ano passado e retrasado, vou chegar antes das 8 , tomar muito sol pra ficar (ainda) mais bronzeado do que já sou, tomar várias cervejas e apreciar a sinfonia dos canecos (inclusive o sopro dos Audi…) roncando. Sairei acabado, porém muito feliz.
        Perdão por ter me estendido demais no comentário…

  • Imagina se ao invés do Piquet fosse o saudoso James Hunt quem perguntasse pro Hamilton sobre sua namorada…

    Ai sim Lewis teria ótimas razões pra se preocupar…

  • Não tem nada de bom humor. Esse “bom humor” do “Nelsão” é caricata. Pergunta absolutamente ridícula. Fosse feita em outra situação, até vai (apesar de ser uma idiotice sem tamanho provocar o outro por sua mulher ser bonita), mas ali? Ridículo. Quis simplesmente aparecer.

    Muito mais legal foi o momento dele com o Lauda no box da Mercedes. Esse sim pareceu espontâneo.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames