MENU

18 de dezembro de 2014 - 16:5224 Horas de Le Mans

A volta da Ford!

69LM36

Campeã das 24h de Le Mans em quatro edições, a última delas com Jacky Ickx/Jackie Oliver a bordo da lenda GT40 da Gulf John Wyer, a Ford está a caminho do regresso a Sarthe

RIO DE JANEIRO – Quatro vezes campeã das 24 Horas de Le Mans entre 1966 e 1969 com o lendário GT40 e derivados, a Ford marca para 2016 o seu regresso oficial a Sarthe, meio século após a primeira conquista com Bruce McLaren e Chris Amon a bordo de um carro alinhado pela equipe de Carroll Shelby. Será inclusive em parceria com a Chip Ganassi Racing, parceria esta que já vemos no Tudor United SportsCar Championship.

O anúncio oficial da volta da marca do logotipo oval azul acontecerá em 12 de janeiro próximo, numa coletiva de imprensa marcada para o North American International Auto Show, o famoso salão do automóvel de Detroit, justamente na terra mater da marca estadunidense. A versão de competição desse modelo será construída pelos canadenses da Multimatic Motorsports, com quem a Ford tem uma estreita ligação há mais de 20 anos. Segundo a revista Autoweek em seu site, o motor do novo bólido poderá ser também o EcoBoost V6 Turbo, quebrando uma tradição de décadas da marca, que tem como característica investir na arquitetura V8.

A parceria com a Ganassi não se limitará apenas ao retorno da Ford às 24h de Le Mans. Dois carros vão disputar a temporada completa do Tudor United SportsCar em 2016 na classe GTLM, o que trará de volta o confronto direto entre dois construtores dos EUA: na última temporada, a Dodge bateu a Corvette, que segue na categoria esperando pelo regresso da Ford.

Já pensaram a LMGTE-PRO em Le Mans 2016? Com Porsche, Corvette, Ferrari, Aston Martin e, futuramente, Ford?

Chega logo, 2016!

 

6 comentários

  1. Luciano Barcelos disse:

    Justíssimo! Não podia passar em branco!

  2. Carlos Martins disse:

    Será uma versão melhorada do lendário GT, com menor peso e maior potência!
    Aguardando ansiosamente tb RM!
    Abraço!

  3. Alvaro Ferreira disse:

    Parece que o tempo dá voltas… Cinquenta anos depois, a importância das corridas de protótipos e GTs vai voltando a ser tão grande ou maior do que a F1. Será que estou viajando, Rodrigo?

    • luiz alberto disse:

      O que parece estar dando volta também é o declínio em importância da F1 para os publico mais conhecedor do verdadeiro automobilismo e o crescimento do WEC como já foi no passado onde o envolvimento de grandes marcas sempre foram presentes .
      Enquanto a F 1 optou por um regulamento pouco feliz (para não dizer burro) onde quem acertou, acertou e quem errou ,só inventando uma outra marca para poder corrigir o erro ,pois tudo esta estupidamente congelado (será ????) e engessando as normas a um motor V 6 não dando opções para que alguém ouse ao criar um motor com outros cilindros más que de alguma forma se torne mais eficiente ,como fez a Porsche com sua pequena mas potente unidade motriz, matando qualquer genialidade que pudesse vir a existir por parte de algum projetista iluminado por outras luzes , a AOC criou um campeonato onde parece-me que limitou o consumo e alguns outros pequenos itens mas deu liberdade a que alguém achasse um caminho diferente , isto não quer dizer que a AOC seja também o exemplo da perfeição pois prejudicaram deliberadamente os que poderiam optar por uma unidade de motriz em que o motor a combustão tivesse o diesel como seu combustível. , más é um regulamento mais avançado e inteligente que o da moribunda F 1.

  4. Marcos José disse:

    O principal objetivo destas empresas é simplesmente vencer as 24 Horas de Le Mans (pelo prestigio que a prova tem na mídia), só disputam o WEC porque a prestigiada corrida francesa faz parte do campeonato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *