MENU

16 de dezembro de 2014 - 12:22Fórmula 1, United Sports Car Championship

Tudo se encaixa

sponsor-scuderia-ferrari-v2-630x300

RIO DE JANEIRO – Agora deu pra entender porque o mexicano Estebán Gutiérrez é o terceiro piloto da Ferrari em 2015 no Mundial de Fórmula 1. Não foi pelos seus dotes de piloto e sim pelo patrocínio que ele levou da Sauber para Maranello, através do poderoso grupo América Móvil, de Carlos Slim Helu. As marcas Telmex, Telcel e Claro estarão expostas nos futuros novos carros do construtor italiano e também nos macacões dos pilotos Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, além – logicamente – de Gutiérrez.

O acordo financeiro é vantajoso para a Ferrari, não resta dúvida. Quanto ao piloto, só o tempo dirá. Sabemos que Räikkönen não vai durar mais muito tempo na Fórmula 1 e Gutiérrez aparece como uma opção viável para compor a equipe com Vettel. Mas será mesmo que os italianos confiarão nele? Difícil…

Também deu pra entender porque a Chip Ganassi Racing e Memo Rojas não estarão mais juntos após oito anos de parceria e 30 vitórias na Rolex SportsCar Series e no Tudor United SportsCar. O patrocínio da América Móvil não foi renovado para 2015 e a equipe terá que buscar novos parceiros. E o piloto mexicano, por conseguinte, novos projetos para sua carreira.

Tudo se encaixa…

Compartilhar

24 comentários

  1. Douglas Ricardo disse:

    RM, nenhuma linha sobre a F

  2. FAB1000 disse:

    Realmente, agora realmente ficou muito mais Claro, literalmente com o trocadilho, o motivo de terem levado o mexicano para ser piloto de testes, que antes de se revelar o acerto financeiro não teria sentido algum.

  3. Mefistófeles disse:

    Nem o menos pior de todos os pilotos da Telmex, Sergio Perez está de graça na Force India. Memo Rojas o trapalhão, protagonista de várias perdas de pontos na Grand Am e agora Tudor, já vai tarde , Scott Pruett não vai mais ter de carregar nas costas e entregar campeonatos de mão beijada para o mexicano.

  4. João disse:

    Acho que tem mais por trás disso. Não é segredo que o Pietro Fittipaldi (que é patrocinado por Slim) fez testes em Fiorano com o um carro de F3, da Prema (equipe da Ferrari), quebrou o recorde da pista e foi convidado à entrar na Academia de Jovens Pilotos da Ferrari e, esse pode ser um sinal de que aceitou o convite. Vamos ver…

    • Gustavo Oliveira disse:

      Ai eu acho que já é um excesso grande de otimismo, João. Se chegar, Pietro não pinta na F1 antes de 2018 e, mesmo assim, por equipe pequena.

      • Arthur Luz disse:

        Você não entendeu o que eu disse, Gustavo. Não disse que seria piloto titular da Ferrari, disse que foi convidado para o Junior Team dela e que ainda não havia decidido entrar, justamente por fazer parte do Junior Team da Telmex (assim como o Gutierrez e o Perez), mas, agora, essa decisão poderia ser fácil para ele.

      • Arthur Luz disse:

        Ei xará, não vale usar o nome dos outros pra responder.

  5. Diego disse:

    E o patrocinio do Santader? Vai junto com Alonso?

    • Rodrigo Mattar disse:

      Boa pergunta!

    • FAB1000 disse:

      Na verdade volta, né? rsrsrs
      Porque ele foi levado pra Mclaren quando o espanhol desembarcou lá, e pra Ferrari quando o Alonso se mudou para a equipe italiana depois dos 2 anos na Renault.
      Se for com ele para a equipe britânica agora, será um retorno do patrocinador, que sempre anda junto ao espanhol. Na Renault ele tinha a Universia, porque o contrato da Mclaren com o Santander ainda estava de pé, mesmo com ele pulando fora, ou sendo pulado, dependendo do ponto de vista, e lá já tinha uma instituição bancária, o ING.

    • Marcos José disse:

      Isto pode indicar que o “patrocinador master” da equipe sejá a Telmex (claro que ainda será a Marlboro mas como “não pode aparecer” será a Telmex), substituíndo o banco Santander que acompanhará Alonso na McLaren.

  6. Douglas Ricardo disse:

    Desculpe, RM, nenhuma linha sobre a Fórmula E???

  7. Diogo disse:

    Mattar, o Gutierrez esta lá só para não ficar sem pai nem mãe. Caso o Kimi saia (muito provável), o mexicano que entra é o Perez. Aí sim, sobra a vaga da Force India pra ele.

    Test driver de equipe grande não faz nada (nem andar na sexta-feira) e o desempenho dele em dois anos de Sauber foi bem fraco.

    • Zé Maria disse:

      Complementando você, Diogo, se me permite:
      Gutierrez nem por sonho será piloto Ferrari no Campeonato Mundial. . .eles não iriam “queimar” um carro na mão de um pangaré só por patrocínio. . .vai ficar só de papagaio de pirata, e olhe que já tá de bom tamanho. . .Perez também muito improvável, fico mais na aposta de que a saída de um finlandês abrirá espaço para outro, no caso o ótimo Valteri Bottas. . .já imaginou uma dupla Vettel-Bottas o estrago que faria na concorrência?

      • Diogo disse:

        Seria uma excelente dupla, mas improvável. Bottas é empresariado pelo Toto Wolff. Está esperando é abrir uma vaga na Mercedes.
        Pra Ferrari, o Perez é uma boa possibilidade, pois já fez parte da Academia de Pilotos da equipe. Fora o fato de a Telmex sempre amarrar o patrocínio a um piloto do país.

    • Gustavo Oliveira disse:

      O que se diz por ai é que Bottas já estaria muito perto de Maranelo, já que dependeria da Mercedes dispensar Rosberg para conseguir uma vaga no time campeão, algo que, definitivamente, não vai acontecer.

    • Marcos José disse:

      Tem o Daniel Juncadella e agora o Jolyon Palmer acho que se o Perez sair da Force India um desses 2 assume a vaga, sem chance para o Gutierrez lá. Talvez o Gutierrez tenha mais chances na equipe Hass pra 2016 (sendo piloto Ferrari e iria como parte do acordo entre eles, lembrando um pouco o papel que era feito pelo Bianchi na Marussia) já que eles vão de motores Ferrari e precisam de piloto que já corre na F1 (levando junto com ele o patrocinio da Telmex) fazendo dupla com algum piloto americano (seria Marco Andretti?).

      • Marcos José disse:

        Teremos que ver se a Force India também vai de Honda em 2016 já que ela tem um contrato com a Mercedes que pode ser encerrar no final de 2015. Lembrando que no segundo ano, a Honda não será mais exclusiva da McLaren e precisa de mais uma equipe para ajudar na troca de informações visando a evolução da sua unidade de potência perante a concorrência na F1.

  8. Pdr Rms disse:

    Isso não significa nada além de alguns dólares (ou pesos mexicanos) na conta da Ferrari. Para o piloto, ser 3o. piloto de uma equipe hoje em dia não representa nada além de alguns parcos testes e a honra de fazer parte do staff de uma equipe grande e tradicional como a Ferrari.

  9. Alexandre disse:

    Alguem disse q o Santander vai retornar a Maclaren, na verdade ele nunca deixou de ser patrocinador dela, sempre esteve no macacao dos pilotos. Mesmo com a saida do Alonso, o banco continuou la, pode e com certeza diminuiu o montade de patrocionio, mas la ficou

  10. Marchi disse:

    Explicado.
    Sabia que só podia ter uma espécie de influência, mas a esse ponto nem sonhava.
    Sejamos francos, ele não é piloto para categorias profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *